Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

CAP.V

(Fic Tem que ser Você)

No outro dia eu tive acordar cedo, me aprontar e pegar a estrada na minha volvo que estava quase mofando na garagem.

-Tem certeza que vai querer ir sozinha filha?-Meu pai havia me perguntando quando eu assumia o volante do meu carro e pedia com educação que eles fossem à frente.

-Tenho pai- Eu lhe respondi,ansiosa demais pra ter um tempo a sós comigo mesma e depois avistei o meu motorista dando partida e levando os meus pais rumo ao aeroporto.

-Algum problema senhorita Culllen?- Um empregado que era encarregado da segurança da minha casa perguntou,estranhando o meu silencio repentino dentro do automóvel.

-Não Imagina... - Respondi acordando do meu transe momentâneo com um sorriso sem graça nos lábios e em seguida dando partida no  carro e deixando para trás aquela mansão, as lembranças e aquele idiota que eu não conseguia nem citar o nome.


>>>>

E agora eu estava aqui,encarando o meu pára-brisa encharco pela água da chuva e as arvores se transformarem em borrões ao passo que eu  aumentava e diminuía a minha  velocidade até avistar uma figura estranha no meio da estrada,um pouco mais a frente.

-Jacob- Sussurrei freando o meu carro de maneira brusca quando eu finalmente o reconheci-O meu deus-Disse assustada abrindo a porta do meu carro e saindo na chuva- O que você esta fazendo aqui?-Quis saber tentando me proteger inutilmente da água e encarando seu rosto retorcido e suas mãos fechadas com tanta força que seus dedos estavam brancos e tremiam muito,assim como o resto do corpo, que estava desnudo,exceto a parte de baixo,que era coberta por uma bermuda surrada e  Jens.

-Eu não posso deixar você ir - Meu queixo caiu e ele se aproximou.

-E o que você vai fazer?-Aticei-Me sequestrar de novo?-Arqueie minhas sobrancelhas esperado ansiosamente pela sua resposta.

-Se for preciso.... Sim-Ele afirmou e eu engoli em seco sentindo uma sensação tão estranha em meu peito que eu reconheci ela como felicidade.

“Eu só podia estar louca”

-Você não pode me seqüestrar - Cai em si novamente.

-Você é que não pode me abandonar- Jake rebateu chegando tão perto de mim que sua respiração quente e muito convidativa naquela manhã fria,chicoteava meu rosto com aquele halito delicioso- Você pode me bater e me humilhar quantas vezes quiser,mais eu sempre Renesmee,sempre vou-te amar -Ele exclamou me pegando no colo rapidamente e me deixando em desespero.

-Por favor Jacob, me larga-Eu implorei balançando as minhas pernas no ar e tentando me soltar dele a qualquer custo.

-Não dess...-Ele ia me dizer antes de ser interrompido.

-Solta ela Black- Uma voz grosa trovejou atrás da gente e quando eu me virei para achar o dono dessa voz, vi vários homens enormes, musculosos e morenos com  bermudas saindo da floresta.

-Quem são eles?-Eu sussurrei baixinho para Jacob, meio intimidada por aquelas caras que me encaravam com uma espécie de ódio e repulsa no olhar.

 -O que vocês estão fazendo aqui?- Jake rosnou me agarrando mais a ele e um dos caras com cara de mal lhe respondeu.

-Nós estamos aqui para impedir que você acabe com a sua vida e com a nossa tribo também- O mais velho respondeu dando alguns paços à frente em relação aos outros.

-Renesmee é problema meu Sam- Jake afirmou-Então não se meta-Ele me colocou no chão e depois me empurrou de um modo que eu ficasse protegida atrás das suas costas.

-Não!!-Sam bradou furiosamente- Essa garota já deixou de ser a muito tempo um problema só seu Black- Ele constatou convicto e eu permaneci calada atrás de Jake que não parava de tremer violentamente com isso -Agora, ela é também um problema nosso -Sam me apontou.

-A onde você pretende chegar Uley?-Jacob foi mais direto.

-Se você insistir em transformar essa patricinha da cidade grande em sua esposa, você será expulso da nossa tribo Jacob Black- Ele ameaçou.

-E quem vai me expulsar?-Jake perguntou- Você?-Ele quis saber rindo -Não se esqueça Sam,você já tentou me deter um vez e eu te derrotei num piscar de olhos -Jacob relembrou confiante.

-Eu não estou me referindo a uma luta de alfas Black-Sam cuspiu essas palavras com um sorrisinho muito irritante na cara.

-Não?-Jacob disse confuso-Então á que você esta se referindo Uley?- Ele perguntou.

-A uma expulsão definitiva- Sam respondeu me deixando chocada.

-Expulsão- Jake repetiu -Você só pode estar de brincadeira-Ele constatou -Ninguém aqui pode me expulsar da tribo- Jacob falou mais alto-Eu sou autoridade lá, o alfa e vocês me devem lealdade e respeito-Ele exigiu-Sou o único neto numa linhagem de fortes guerreiros, meus antepassados nasceram para reinar, foram os primeiros e por isso eu sou imbatível... Então Uley se você quiser mesmo me tirar da tribo,vai ter que me matar antes disso acontecer - Meu coração se acelerou.

-Não precisamos chegar a esse ponto Sam- Outro cara se antecipou em defesa ao Jacob- Eu não posso matá-lo- Ele afirmou.

-Rachel vai entender Paul-Sam constatou- Que o irmão dela estava completamente fora de si por um amor besta.

-Besta?-Jacob repetiu estapafúrdio-Todo mundo sabe que é impossível não amar a escolhida.

“Escolhida?” Repeti sem entender.

-Mais é claro que não- Sam de novo rebateu-Olha só pra mim? Eu mesmo sou um belo exemplo de que não precisamos do amor delas para sobreviver.

-Para sobreviver não-Ele concordou- Mais pra ser feliz- Jake me olhou pelo canto do olho-Sim.

-Eu sou feliz com a Leah- Sam continuou com aquele papinho,que eu não entendia bolufias nenhuma.

-Amando outra mulher, desejando estar ao lado de Emily quando na verdade quem se deita com você é a Leah?-Jacob jogou na cara e outro brutão que mais se parecia com um garoto rosnou incomodado com esse assunto-Eu sei bem o motivo dos seus sumiços repentinos Sam,então não tente me enganar,por que eu sei que você ainda vai atrás dela e que faria tudo por Emily.

-Seu mentiroso- O tal garoto que havia rosnado esbravejou tentando pular em cima de Sam, mais a tempo foi segurando pelos outros companheiros- Você me prometeu que nunca iria trair a minha irmã... Deu-me a sua palavra.

-Se acalma Seth- Sam pediu se virando para o menino que estava transtornado-Será que você não vê?-Ele perguntou-Eu amo Leah e o que ele esta tentando fazer é me jogar contra você,pra ficar com ela- Sam constatou voltando a me olhar com a mesma ira do inicio.

-Nada do que você disser agora vai mudar a nossa cabeça Black... Ou você larga essa patricinha e deixa ela voltar pra casa e nos deixar em paz ou você esquece que tem uma tribo e suma de La Push de uma vez por todas.

 -Eu já disse Sam-Jacob repitiu- Eu só saio daqui morto e enterrado.

-Você está mesmo disposto a morrer por ela?- Ele me apontou -Que te abandonou na primeira oportunidade assim como a Sarah fez?-Sam jogou na cara e dessa vez foi o Jake que perdeu a calma e avançou pra cima dele.

-Se você falar outra vez o nome da minha mãe,eu juro Sam,por tudo que mais sagrado nessa vida que eu mesmo te mato,aqui e agora- Jacob rosnou nervoso segurando o pescoço de Sam com as duas mãos.

-Solta ele Jacob-Paul pediu.

-Você só esta agindo assim por que sabe que é verdade... Então se conforme Black e aceite de uma vez por todas que as duas mulheres que você mais amou nessa vida, não te amam do mesmo jeito e não te querem por perto- Sam continuou a falar com a voz falha por que Jacob a nenhum momento afastou as suas mãos do seu pescoço.

-Você não sabe o que diz- Jake sussurrou.

-Quer pagar pra ver então?-Sam perguntou-E morrer em nome de uma mulher que nem ao menos te ama?

-Eu estou disposto a isso- Jacob afirmou convicto e eu coloquei as mãos na boca tentando conter o choro violento que ameaçava sair pela minha garganta.

“Não ele não pode morrer”Constatei desesperadamente e não tive outra escolha, a não ser, interferir naquela historia toda.

-VOCÊS NÃO PRECISAM FAZER ISSO- Gritei chamando a atenção de todos que estavam ali presentes,inclusive do Jacob e do Sam que me olharam confusos- Não precisam matá-lo por minha causa-Disse dessa vez um pouquinho mais baixo e com a voz mais calma e segura- Por que você tem razão Sam...Eu sou igual a Sarah- Meus lábios de repente começaram a tremer,por que eu sabia muito bem que isso nunca mais teria volta,mais era preciso,por que eu não podia deixar Jake morrer por minha causa,talvez eles tivessem mesmo razão.

“Eu não o mereço”

-Renesmee...-Jacob tentou protestar soltando o Sam e me olhando com tristeza.

-Jacob ta na hora de eu ir embora... Não tem lugar pra mim aqui...na verdade –Arrumei -Aqui não é o meu lugar,nunca foi e nunca vai ser.

 -Você não pode me deixar-Ele implorou.

-Posso sim- Garanti a ele- E isso- Respirei fundo- É exatamente o que eu vou fazer-Constatei dando as costas a Jake com meu coração nas mãos e entrando no meu carro completamente ensopada pela água da chuva que ainda caia insistentemente lá fora.

-RENESMEE- Ouvi ele gritar o meu nome lá fora desesperadamente enquanto era segurado por quatro caras que eu não me importei em saber quem era,já que a ultima coisa que os meus olhos molhados por lagrimas grossas queriam ver agora era ele, berrando o meu nome e me pedindo para ficar.

-Desculpa-Foi a ultima coisa que eu disse contra o vidro do carro antes de partir.


Eu nunca tive uma vida muito normal,quando era pequeno eu vivia no México numa pequena casa de madeira no meio do nada com a minha mãe Sarah,meu pai Billy e minha duas irmãs mais velhas Rachel e Rebecca.

Lá eu passei grande parte da minha vida aprendo tudo o que eu podia com o meu pai. Ele era alfa de uma pequena matilha de 13 lobos e era constantemente perseguido,por que tinha o sangue puro,ou seja,meu pai vinha de uma linhagem rara de lobos que originaram a nossa raça e por isso levava  vantagens em qualquer disputa de território que estivesse disposto a entrar.

Mesmo assim ele se contentou em ficar parado por um bom tempo na intenção de me passar tudo o que sabia e me ensinar à arte do ofício.

E depois de tantos anos até eu completar meus 16 e me tornar em definitivo um lobo, papai me avisou que havia chegado à hora. A hora de ganhar o mundo e lutar por território.

No mundo existiam milhares de matilhas espalhadas por mais de 150 países e todas elas sem exceção abrigavam seus alfas e outros lobos que por obrigação eram leais a ele até a morte.

Nos nossos costumes apenas alguns lobos eram fortes o suficiente para lutar com o chefe da matilha e causo isso acontecesse, eles eram obrigadas por lei e por honra á entrar numa batalha sangrenta a onde o mais forte só podia parar quando o outro estivesse completamente morto e assim assumir ou manter o seu lugar.

E foi exatamente isso que aconteceu comigo, assim que encontrei meu território ideal,desafiei para luta Maikon que até então liderava uma das maiores matilhas que já existiu situada numa pequena reserva chamada La Push e venci a batalha tão rapidamente que minha fama também correu por todos os lugares e no período de cincos anos foi desafiado constantemente por lobos que queria me testar como original e venci todas elas com garra e coragem conquistando cada vez mais a admiração e respeito do meu povo.

E durante todo esse tempo eu também fui muito julgado e colecionei inimigos á metros, alguns deles até mesmo me jogaram pragas,mais eu nunca me deixei abater por que aprendi com o meu pai a ser superior a tudo isso.

Mais nada,nada mesmo foi tão forte como dia que minha mãe sumiu e abandonou tanto a mim,como o meu pai e minhas duas irmãs por vontade própria.

Flash Back on.

-JACOB-Rebecca gritou o meu nome,saindo correndo de dentro da casa que eu havia dado para minha família aqui em La Push,depois que eu me estabilizei.

-Isso tudo é saudades de mim maninha- Brinquei enquanto abria bem os braços para rebelá-la mais nesse estante percebi que Raquel estava aos prantos e isso me assustou-O que aconteceu Rebecca?- Perguntei nervoso levantando o rosto dela com as minhas mãos.

-A mamãe Jake- Ela tentou me dizer entre soluços e neste estande senti meu corpo congelar.

-O que aconteceu com a mamãe Rebecca...Diz logo POR FAVOR- Gritei desesperado, aquela garota não desembuchava logo e isso já estava me deixando irado.

-Ela foi embora Jake- Minha outra irmã me respondeu da porta da nossa casa.

-Embora?-Repeti confuso passando as mãos nos cabelos num gesto claro de agonia.

-Sim ela nos deixou- Rebecca consentiu.

-Por quê?-Eu tentei entender e Raquel se aproximou e me entregou um bilhete.

-Leia e acredite se quiser-Ela mandou com rancor,Raquel estava visivelmente transtornada com a decisão da nossa mãe e isso estava bem visível nos olhos dela.

Amor –Mamãe começava a carta.
Eu sinto muito pelas coisas terem chegado a esse ponto,mais eu infelizmente tive que partir, por favor, não me procurem e tentem entender a minha decisão e eu juro a vocês meus filhos e a você meu amor-Ela se referia ao papai
Que um dia eu vou voltar para casa e tudo estará resolvido.

-Se ela resolver mesmo voltar algum dia...E bom que não seja pra cá- Raquel afirmou entrando na casa de volta como um furacão.

-Ela não podia ter feito isso comigo- Exclamei sentido gotas grossas de lagrimas escorregarem pelo meu rosto e pela primeira vez na minha vida eu me via chorando e destroçado por dentro de tal forma,que eu perdi o rumo.

-Ela também nos abandonou Jake- Ouvi Rebecca dizer,minha irmã ainda estava lá chorando baixinho num canto enquanto me avaliava com cuidado- Você vai atrás dela?-Me perguntou com esperança no olhar.

-Mais é claro que não- Foi o que eu respondi a ela naquele dia.

Mais não era à verdade, por que naquela mesma noite eu sai sim a procura da mamãe e passei dois dias inteiros fora,na mesma esperança que Rebecca tinha em revê-la novamente,mais isso não aconteceu e quando enfim eu resolvi voltar para casa,encontrei um dos lobos irados pelo meu sumiço.

-Como você ousa nos abandonar dessa forma?-Sam venho tirar satisfações. Do meu bando inteiro ele era o único que cobiçava o meu lugar e batia sempre de frente comigo.

-Primeiro eu quero saber que tom é esse comigo?-Perguntei-Perdeu a noção do perigo é?

-Você sumiu e não nos deu noticias, o nosso povo ficou em perigo por dois dias e nesse meio tempo podíamos ser até mesmo atacados, será que você não tem noção do que faz?-Ele continua a reclamar.

-Olha aqui Uley- Me virei para encará-lo –Essas suas atitudes já estão me irritando, então é melhor você parar com isso e aceitar que eu sou o alfa aqui ou me desafiar para um luta e perder no final- Deixei bem claro e comecei a caminhar para minha nova casa,antes da minha mãe desaparecer eu estava construindo ela em segredo para dar de presente a dona Sarah,mais agora que ela me deixou sem mais e nem mesmo ela ia ser minha,por que só lá eu ia ter paz, já que ela era situada num ponto mais afastado na mata entre Focks e uma hora de La Push.

-Então que assim seja- Ouvi a voz dele responder com tanta convicção que eu parei no meio do caminho e me virei.

-Você quer mesmo me desafiar para uma luta?-Perguntei novamente, era inacreditável acreditar que Sam era tão burro ao ponto de achar que me venceria.

-Quero sim-Ele repetiu de cabeça erguida.

-Eu admiro muito a sua coragem Sam,mais lembres-se que você tem filhos pra criar-Joguei pesado na tentativa de fazer ele desistir,não por que eu não queria lutar com o cara mais marrento do meu bando e acabar de uma vez por todas com a vida dele,mais sim por que eu conhecia a família desse babaca e sabia que Leah não teria forças para criar os dois filhos e mais um que estava na barriga sozinha.

-Não se preocupe com isso Jacob,eles são problemas meus- Ele me garantiu-Te vejo amanhã então -Ele constatou se virando e indo embora.

-Jakeee você voltou- Uma garota gritou me abraçando fortemente pela cintura.

-Voltei-Respondi meio sem jeito encarando o rosto dela que ficou vermelho instantaneamente com isso.

-Eu pensei que você tinha ido embora- Confessou me soltando desconsertada.

-Nunca faria isso- Afirmei voltando a andar em direção á minha casa.

-Eu arrumei tudo lá pra você- A menina confessou.

-Pêra ai você entrou na minha casa?- Perguntei encarando ela.

-Eu só queria deixar tudo pronto para quando você voltasse pra cá... Por favor, não fique bravo comigo-Ela me implorou.

-Tudo bem,ei não estou bravo com você...mais por favor não faça mais isso- Pedi,eu não gostava que ninguém interferisse na minha vida e geralmente era mais rude,mais aquela garota parecia tão meiga e delicada que eu tive medo de machuca - lá.

-Tudo bem-Ela me prometeu ainda me seguindo- Eu fiz o seu almoço também?-A garota afirmou trocando de assunto.

-Fez?-Falei surpreso- Obrigado por isso então-Agradeci de coração,eu estava exausto,sujo e maluco por um bom prato de comida.

-Enquanto você estiver tomando banho eu posso esquentar ele pra você então?-Ofereceu.

-Ham- Pensei por um momento-Não precisa não,eu faço isso sozinho, não se preocupe-Garanti.

-Ah que isso,não me custa nada-Ela insistiu.

-Acho melhor você voltar pra casa moçinha- Constatei tentando me livrar da garota a todo custo,eu precisa de sossego e com ela ali,isso ia ser impossível.

-Allana- Ela me disse.

-Que?-Perguntei confuso.

-Meu nome é Allana- Ela me explicou sorrindo timidamente.

-Ah e o meu é Jacob...

-É eu sei- Ela me cortou empolgada.

-To vendo que sim- Sussurrei avistando a frente da minha casa.

-Bem então fica a vontade...Você já sabe a onde é a cozinha né?Qualquer coisa eu vou estar no meu quarto.

-Pode deixar- Allana respondeu me encarando de uma maneira tão estranha que eu resolvi entrar logo em casa.

 Subi os degraus da minha escada rapidamente e entrei no banho me sentindo exausto de verdade.

A água do meu chuveiro era gelada e incrivelmente reconfortante naquela hora,ela relaxava os meus músculos e diminua um pouco a temperatura do meu corpo, que havia subido muito devido a tensão.

Terminei o banho num estante e sai do banheiro só de toalha e vesti um short mais comportado e em seguida cai feito uma preda na cama e apaguei e só acordei no dia seguinte sentindo uma mão pequena e bem macia alisar os meus cabelos, depois as minhas costas e em seguidas os meus braços.

Aquela sensação eu não podia negar, era gostosa demais e um pouco excitante, mais do nada eu cai em si e acabei me tocando que àquelas mãos talvez não fossem de uma mulher e sim de uma garota bem mais nova que eu, que ontem mesmo estava aqui.

-O que você esta fazendo?-Levantei assustado da cama e me deparei com Allana me encarando.

-Me-me desculpa- Ela gaguejou desconsertada-Eu preciso ir-E depois saiu correndo do quarto deixando numa mesinha ao lado uma bandeja enorme de café.

-Allana espera-Eu tentei chama - lá pela janela,mais já era tarde,a garota já havia desaparecido na mata e provavelmente voltado para casa.

-Droga – Exclamei me dirigindo até a bandeja e pegando um sanduiche enorme que ela havia me feito- Nossa isto esta realmente bom- Disse enquanto comia o sanduíche rapidamente.

Eu estava com presa, afinal de contas,eu tinha uma luta muito importante hoje e não podia enfrentar ela de barriga vazia.

Terminei de comer o meu sanduiche e depois tomei um dois copos de sucos grandes de laranja e sai de casa em direção a clareira.


Local a onde as batalhas por disputas de território costumavam acontecer e encontrei Sam e quase todo o povo de La Push por lá, incrédulos com essa luta.

-O que você vai fazer Jacob?... Não pode matar o Sam,ele tem uma família- Rebecca me implorou assim que eu cheguei.

-Sam me desafiou para essa batalha Rebecca,eu não posso recusar-Expliquei a ela.

-Então não o mate Jake...Todos sabem que você vencerá com toda certeza-Ela sussurrou -Então não há necessidades de ir até o fim- Rebecca tentou me convencer.

-Não posso fazer isso,desculpa.

-Jake- Ela rangeu os dentes nervosa- Ele tem uma família enorme,com mulher e filhos que precisam dele.

-Você devia estar falando isso a ele e não á mim- Rebati.

-Você é o alfa aqui,então seja superior.

-Essa não é a questão Rebecca.

-É a questão sim Jacob, papai sempre te ensinou a ser um alfa com honra e as vezes ter piedade de um cara cego por poder,que já sofreu tanto na vida pode ser sim um demonstração clara dela- Rebecca rebateu.

-Rebecca faz um favor pra mim? Não se meta nisso- Mandei me afastando dela e indo até o Sam.

-Está pronto- Perguntei sem paciência.

-Sempre estive- Sam respondeu dando um abraço em Leah e nos filhos que não paravam de chorar e depois se transformando assim como eu em lobo.

-Eu quero que você saiba Sam que essa luta não tem mais volta- Eu deixei isso bem claro nos meus pensamentos.

-Eu entrei nessa ciente disso- Ele exclamou convicto.

-Você devia pensar mais na sua mulher e nos seus filhos- Afirmei avaliando ele com cuidado.

-Leah e os garotos vão me agradecer quando eu derrotar você.

-Ou chorar em cima do seu caixão, o que eu acho mais provável.

-Tanto faz-Ele respondeu despreocupado.

-Você só quer ser o novo alfa por causa de Emily não é?

-Não seja absurdo... Eu já esqueci Emily há muito tempo.

 -Você só quer me vencer pra depois rouba - lá de Samuel.

-Emily é uma vagabunda e essa luta não tem nada a ver com ela- Sam terminou avançando na minha direção com as garras a mostra.

-Rápido de mais Uley- Alertei saindo do seu alcance e mordendo a sua pata traseira com tanta força que Sam gemeu de dor e depois caiu completamente derrotado no chão com menos de segundos de uma luta que deveria durar horas.

-Isso não é possível- Ouvi ele pensar em desespero esperando o meu ataque mortal.

-É possível sim- Respondi a ele levantando a minha cabeça sobe a soberania de um alfa e encarando seus olhos pavorosos- Por que é isso que acontece quando um lobo qualquer desafia um original.

-Vai me matar agora?-Ele perguntou em minha mente,em seu tom de voz não havia mais medo e sim magoa pelo seu próprio fracasso.

-Você conhece  bem as regras- Respondi a ele levando uma das minhas patas e nessa hora em questão ouvi um grito agudo e depois um corpo pequeno se jogar aos soluços sobre Sam,  que ainda estava como lobo estirado e completamente vulnerável no chão.

-Não mate meu papai tio Jake...Por favor eu imploro não o mate- Cauã de 6 anos implorou derramando sobre o pelo negro de seu pai uma grande quantidade de lagrimas.

 -Saia daqui filho-Sam pedia em vão,,já que Cauã não poderia escuta ló.

-Tio Jake...Por favor- Cauã repetia , olhando diretamente pra mim e provando que tinha coragem de sobra.

-Espero que tire essa batalha como lição Uley- Aconselhei depois de tomar uma decisão que provavelmente causaria grandes protestos no conselho de anciões e depois me retirei deixando para trás, o pequeno cauã agarrado ao pai que era um completo estúpido e suicida.

Flash Back off.

E depois do sumiço inexplicável da mamãe e da tentativa fracassada de Sam em ocupar o meu lugar, eu ainda fui punido pelos anciões da minha tribo que entenderam o meu gesto de piedade diante de um pai de família, como um tremendo desrespeito as leis do nosso povo.

O meu castigo? Colocar o próprio Sam em segundo lugar no comando e dando ao cara que eu mais odiava no mundo uma arma engatilhada pra minha cabeça, já que com esse novo poder ele estaria literalmente mais próximo de ser o novo Alfa, causo eu não tivesse herdeiros ou viesse a falecer.

Mais eu tinha certeza que isso nunca iria acontecer,por que eu jamais deixaria o meu povo nas mãos de uma cara tão inconseqüente e cego de amor como Sam.

A muito tempo atrás ele conheceu uma bela jovem chamada Emily,uma garota doce e encantadora a primeira vista que foi a escolhida de Sam.

E o que isso significa?Significa que Sam havia achado finalmente a única garota que poderia lhe fazer feliz,a mulher que ele iria amar incondicionalmente querendo ou não,a pessoa que ele iria proteger até mesmo com a própria vida e a única que habitaria o seu coração para sempre.

A escolhida na vida de um lobo poderia significar uma vida mais feliz e completa ou a ruína total de seu coração.

Mesmo assim, havia vários relatos de que se era possível viver sim sem aquela que amava e seguir em frente,mais nunca,ouvisse dizer que algum desses lobos de fato, consegui amar de corpo e alma outra mulher.

E talvez tenha sido esses fatores também que me levaram a decisão de manter Sam vivo,uma cara completamente cego de amor por uma mulher que não o amava,certamente não deveria ter equilíbrio nenhum sobre o seu próprio controle e eu sabia que esse era o causo dele,então resolvi ponderar por que afinal de contas eu nunca me apaixonei na vida e talvez isso nunca fosse acontecer.

É claro que eu queria ter uma família grande também e cheia de herdeiros com uma mulher linda,que me amasse e me respeitasse de verdade,mais isso nem sempre esteve nos meus planos por que até então eu nunca tinha visto a minha escolhida ou me interessado por ágüem que de fato tivesse dentro desse padrões até conhecer a Allana.

Ou melhor, até rever a mesma garota que alguns anos antes havia feito um café delicioso na minha casa, esquentado o meu jantar que eu infelizmente não comi e fugido como se tivesse cometido um crime por que simplesmente encostou a mão em mim enquanto eu dormia na manhã seguinte.

Mais nada disso, se compara ao choque instantâneo que eu tive em vê-la transformada em uma mulher cheia de curvas,sexy e meiga,alguns anos mais tarde.

E eu ainda consigo me lembrar claramente do dia que eu literalmente babei com aquela visão,enquanto ela vinha lentamente na minha direção de forma decidida e segura.

-Ainda se lembra de mim?-Ela me perguntou sorridente e depois bebericou um pouco do seu vinho em uma taça pequena que estava sendo servida no noivado de Collin,ex solteiro do nosso bando.

-Como eu poderia esquecer-Respondi de maneira sedutora, avaliando ela com mais cuidado.

-Ainda esta morando na mesma casa?- Allana puxou outro assunto ignorando o meu elogio e me deixando cismada.

“Por que afinal de contas,cadê aquela garotinha que corava por que qualquer coisa que eu dizia?”

-Não,já estou em outra- Afirmei- Por que aquela eu resolvi reformar.

-Reformar?-Allana arqueou as sobrancelhas.

-Exatamente-Constatei.

-Mais reformar pra que?-Ela continuava sem entender-Eu achei ela tão bonita e o lugar então é fantástico,parece até um cenário típico de conto de fadas.

-Eu sei-Concordei -Na verdade eu só levantei aquela casa pra minha mãe- Allana abaixou a cabeça,é claro que ela devia conhecer a minha historia familiar,afinal de contas eu era o Alfa e ali todos me conheciam.

-Entendo- Ela falou com pensar- A casa á lembra não é?-Allana tentou entender.

-Não,não- Neguei com a cabeça -Na verdade morar naquela casa me traz uma paz de espírito que eu nunca senti igual,lá eu me sinto realmente bem nesse mundo.

-Então por que você quer reforma – lá?-Ela insistiu.

-Pra morar com a minha família,meus filhos e minha mulher- Allana me encarou.

-Você conheceu alguém?-Ela me perguntou meia triste e chocada,algo que eu logo fiz questão de reparar.

-Na verdade não- Afirmei sorrindo e a expressão de Allana se suavizou-Mais pretendo-Completei e ela sorriu comigo.

-Talvez a sua pretendente esteja mais perto do que você imagina-Disse me jogando um verde sem ao menos corar.

-É-concordei olhando nos olhos dela- Eu to achando isso também.

-E a sua nova casa -Allana novamente mudou de assunto.

-O que tem ela?-Falei meio desconcertado, a gente estava num maior clima há meio minuto atrás e agora voltamos à estaca zero.

-Quando você vai me levar lá?-Allana dessa vez foi bem mais direta e eu abri um sorriso imenso ao ouvir isso.

-Agora mesmo se você quiser-Respondi imediatamente.

-Ótimo- Ela concordou deixando a taça de vinho vazia em cima de uma mesa qualquer e me acompanhando até a minha casa,numa caminhada que não durou nem 10 minutos.

-Nossa ela é muito linda também- Allana constatou enquanto avaliava os cômodos da minha sala pequena e apertada com cuidado.

-Da pra passar uma boa noite aqui na boa-Eu soltei antes que pudesse me segurar.

-Eu imagino- Ela se virou para me encarar- Você é bem grande então pelo menos a cama deve ser espaçosa- Comentou despreocupadamente e eu comecei a me aproximar aos poucos para não assustá-la.

-Ela é sim,muito grande- Garanti parando bem na frente de Allana que nessa hora esfregava as duas mãos uma na outra como se estivesse nervosa- E cabe perfeitamente nos dois- Deixei minha sutileza de lado e coloquei as minhas mãos na nuca dela que fechou os olhos pelo primeiro contanto e depois suspirou abrindo eles de volta.

 -Eu acho que é melhor eu ir-Ela tentou escapar se afastando um pouco de mim.

-Você não quer ir agora- Constatei segurando os seus braços que estremeceram com o meu contato.

-Eu não quero que tenha impressões erradas de mim- Me confidenciou.

-E por que eu teria?-Perguntei confuso obrigando ela a me encarar.

-Por que é assim que as coisas são... -Allana afirmou.

-Não é não- Rebati olhando nos olhos dela.

  -Então você não vai me abandonar depois que a gente passar essa noite juntos?-Allana quis saber esperançosa e pela primeira vez na minha vida eu quase fiquei sem resposta.

-Eu não seria tão canalha assim – Garanti.

 -Jura?-Ela parecia não acreditar.

-Juro- Reafirmei a abraçando pela cintura.

-Você não esta falando isso só pra me ganhar né?-Allana continuava com duvidas.

-Allana eu sou um Homem e não um moleque qualquer-Falei num to mais serio e ela concordou.

-Não!!você é um Alfa-Ela me corrigiu rindo- Um Alfa com palavra e eu sei disso.

-Então por que,você ainda tem duvidas?- Perguntei levantando o seu queixo com as minhas duas mãos.

 -Por que eu sou uma tola-Ela declarou encabulada.

-Não, Você não é uma tola - Eu sorri -Em certa parte eu até entendo esse seu medo todo,eu nunca fui um santinho e sei que tenho muita fama por aqui, mais eu quero que você saiba que eu nunca fui pra cama com uma mulher com a intenção de ter uma coisa mais seria com ela depois- Allana enrijeceu.

-Então eu não tenho mesmo chances com você?-Ela perguntou chateada.

-Não! Pelo contrario- Comecei -Você até agora foi à única por quem eu realmente me interessei-Confidenciei a ela que sorriu e depois se aproximou um pouco mais do meu rosto e me deu um beijo,calmo e delicado assim como ela era.

-Você é especial- Sussurrei antes de puxa - lá para mais perto ,tornando aquele beijo um pouquinho mais urgente.

-E nem acredito que isso esta acontecendo - Escutei Allana proferir enquanto eu beijava o seu pescoço com vontade e nos direcionava até o meu quarto.

-Shiii não fale - Disse colocando um dedo em seus labios -Só curta o momento –Pedi enquanto suspendia o seu vestido azul e massageava as suas formas num caminho lento que ia desde as suas costas, agora nuas,até seus seios que ainda eram cobertos pelo sutiã,sua barriga lisinha e por fim o seu bumbum arrebitado que se moldava perfeitamente em minhas mãos.

-Ai meu deus- Allana gemeu no meu ouvido completamente fora de si,mordendo a minha orelha de leve e apertando os meus ombros na mesma hora que eu levantava ela do chão e colocava as suas pernas em volta da minha cintura e começava a lamber seus pequenos seios,afastando com dificuldades o pano que os cobria e depois os tomando para mim.

-Ahhh Jacob eu preciso de você....Por favor-Ela implorou tendendo a cabeça para trás num sinal claro de entrega e eu resolvi deita lá na cama também.

-O que você quer Allana?-Perguntei com a voz mais grossa pelo grau de excitação que eu estava sentindo naquele momento e ela me respondeu.

 -Você- Respondeu sem excitar me olhando com desejo- Por favor, entra em mim,eu não consigo mais esperar-Me confidenciou agoniada puxando o meu pescoço.

Olhei para Allana por alguns longos minutos e depois me ajoelhei na cama e tirei rapidamente as minhas roupas,enquanto era constantemente observado por ela que esfregava as pernas uma na outra e gemia o meu nome.


Depois peguei uma camisinha que estava guardada dentro da gaveta e deslisei ela rapidamente pelo meu membro dolorido enquanto visualizava a cena mais erótica e deliciosa que eu já tinha visto e a partir dali eu resolvi não esperar mais nada e com apenas um puxão forte eu rasguei de uma vez a peça que cobria meu objeto de cobiça e vislumbrei aquela vagina molhadinha e extremamente apetitosa clamando por mim.

 -Jacob o que você vai fazer?-Allana perguntou quando eu me aproximava da sua parte intima como um lobo esfomeado e lambia, primeiro a parte de fora só com a pontinha da minha língua colhendo o seu mel e depois na parte de dentro chupando seu clitóris que estava visivelmente inchado e por ali eu fiz questão de me concentrar ao Maximo levando Allana literalmente a loucura,já que seus gritos,não era mais baixos e sim berros altos e roucos que me deixava mais maluco ainda.

-AI MEUS DEUS- Allana se contorcia e eu a liberei para logo depois me enterrar dentro dela com dificuldades.

E foi ai que eu me dei conta de que ela era virgem e parei na mesma hora o que eu estava fazendo.

-Por favor, Jacob, eu quero que seja com você- Ela começou a chorar.

-Você tem certeza?- Perguntei um pouco sem graça, segurando o seu rosto e limpando as suas lagrimas com carinho.

-Tenho... E pode apostar eu nunca vou me arrepender dessa decisão- Allana afirmou me beijando, dessa vez com mais fervor e intensidade do que antes.Me incentivando a continuar e me sentindo um completo canalha por isso,é claro que eu não ia descarta lá na manhã seguinte,mais também não ia me fazer de cego e dizer que não percebi que Allana me olhava como se tivesse realmente apaixonada por mim e talvez isso já me tonasse um,por que eu sabia que era incapaz de ama-lá do mesmo jeito,não por que não tinha um coração,mais sim por que não tinha uma escolhida e nem iria ter com toda certeza.

Enterrei-me dentro dela dessa vez por completo e comecei a me movimentar num ritmo lento e muito prazeroso que foi capaz de substituir até mesmo a dor da sua primeira vez por prazer.

-MAIS FORTE JACOB,MAIS FORTE....AI MEU DEUS EU VOU GOZAR- Allana gritava embaixo de mim extremante suada e enlouquecida,investindo seu quadril de encontro o meu membro e fazendo um atrito tão absurdamente gostoso que em menos de alguns minutos nos dois explodimos num orgasmos maravilhoso e caímos na cama em seguida.

-Isso foi perfeito Jacob- Ela comentou ofegante deitada no meu peito.

-É bom saber que sua primeira vez foi especial- Respondi sorrindo, enquanto acariciava as suas costas suavemente com as pontas do meu dedo.

-Ela não foi especial- Allana levantou um pouco a cabeça e depois me encarou-Ela foi inesquecível, melhor até do que imaginava.

-Você já imaginou isso?-Perguntei surpreso.

-Muitas e muitas vezes-Ela respondeu- Hoje é o melhor dia da minha vida.

-Por quê?-Minha boca grande teimou em perguntar.

-Por que eu realizei o meu maior sonho-Ela afirmou se sentando na cama e me deixando confuso- Eu te amo Jacob Black,na verdade desde o primeiro momento que eu te vi,eu te amei,você é o homem da minha vida-Eu engoli em seco.

-Allana...-Tentei falar mais ela me calou com um selinho rápido nos lábios.

 -Shiii- Allana sorriu-Não diga nada,não entregue esse momento...Eu sei que você precisa de um tempo e acredite eu vou te dar,mais por agora eu só quero que saiba que eu sempre vou estar ao seu lado-Ela me prometeu voltando a se deitar em cima do meu peito e fechando os seus olhos em seguida.

-Durma bem meu amor- Ouvi Allana sussurrar antes de cair no sono,enquanto eu,ainda me mantinha ali,de olhos bem abertos e com a cabeça a mil,naquelas duas palavrinhas que eu certamente nunca iria dizer na minha vida.

“Eu te amo”


                    by:natineces.

1 comentários:

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados