Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

Capítulo 2

(Fic Never Gonna Be Alone)

Eu me lembro muito bem daquele dia, como se fosse hoje que estive com ela pela primeira vez.

Era uma manha muito fria em Taloha,uma pequena cidade com apenas 824 mil habitantes- bem próxima a La Push- algo que eu sempre procurei evitar.


Mais hoje, por incrível que pareça algo me trouxe até aqui, como uma espécie de imã, me puxando para esse local.


Resolvi então aproveitar que já estava por aqui e caçar, havia um bom tempo que eu não me alimentava direito por causa do perigo que rondava essas bandas, ''os frios'' estavam por todos os lugares  e era realmente uma tremenda sorte da minha parte não ter cruzando com nem um deles durante esse tempo.


Na verdade eu acho que sorte realmente não era a palavra certa, os ‘‘sanguessugas’’ eram espertos e sabiam que os lobos viviam em bando,então na certa presumiram que eu estava com o meu e resolveram não se aproximar.


Mesmo assim, eu já cruzei com vários ao longo dos anos e todos eles sempre estavam sozinhos e procurando alimentos.


O que me gerava uma tremenda vantagem nas lutas, visto que todos ficavam de boca aberta com o enorme lobo castanho avermelhado á sua frente, ‘’idiotas’’, achava que iriam ter um banquete fácil e farto e no fim acabavam se estrepando e se surpreendendo quando eu arrancava aquelas cabeças imundas sem dó e depois já na forma humana eu tinha a chance de dizer minhas ultimas palavras carregadas de desprezo e ódio e depois com o maior prazer do mundo atear fogo em seus corpos e os ver queimar até virar cinzas.


(...)


Fiquei somente o tempo necessário naquele local vigiando minha presa, um pequeno veado que parecia estar perdido, creio até que nem precisaria segui-lo por muito tempo, como era costumeiro, tomaria aquilo como apenas um lanchinho, eu precisava sair daqui, não queria morrer nas mãos daqueles fedorentos, seria humilhação demais, na verdade não me importaria se por ventura isso algum dia viesse a acontecer, mais teria que ser no momento e na hora certa e ‘’de preferência’’ depois que eu encontrasse o assassino do meu pai e fizesse valer a minha promessa de vingança.


Agachei-me numa posição de ataque e rondei os meus olhos até o veado que notou o perigo que o percorria e começou a correr’’tarde demais meu amiguinho’’Pensei quando impulsionava minhas patas traseiras e pulava de uma maneira certeira no pescoço do pobre veado que caiu na lama molhada sem qualquer chance de defesa ou escapatória.


Ainda com os meus dentes agarrados a pele do veado ele começou a gemer de dor, porém esse não era apenas o único som que eu podia ouvir pela floresta, que até então estava deserta.


Pus-me num estado total de alerta preparando para um possível ataque, mais algo me fez parar, ou melhor, um som distinto que não era muito normal de se ouvir’’pelo menos não aqui’’, um coração batendo, na verdade dois,se eu prestasse mais atenção, sim havia dois corações batendo e ambos de maneiras distintas.


Enquanto um deles palpitava rapidamente e era quase inaudível o outro fazia mais barulho e batia mais depressa, num ritmo que me fazia pensar que esse humano provavelmente estava correndo e aos poucos chegava mais perto.


Soltei o pequeno veado no chão que correu com dificuldade para dentro da mata e focalizei os meus olhos num ponto cego da floreta esperando atentamente para o que estava por vir


Foi então que ela apareceu bem ali em minha frente com roupas rasgadas e manchadas de sangue seco, nos seus cabelos havia galhos e folhas de arvores e no seu rosto nem mesmo a expressão pálida e de dor foi capaz de enfear sua doçura, ela era linda, seus traços delicados me denunciava sua idade que provavelmente era entre seus 17 ou 18 anos, nos seus braços havia um pequeno embrulho branco que era segurado com muito carinho, à mulher então arfou e caiu bem á minha frente ralando seus joelhos na terra vermelha.


‘’Oh meu deus vocês existem’’Ela disse com os olhos gravados na minha direção segurando ainda o embrulho de encontro ao peito e começou a chorar descontroladamente, ’’não de medo’’e sim de alivio.


‘’Por favor, eu preciso falar com você... Se destransforme... Por favor’’Ela implorava em meio aos soluços me deixando um tanto quanto confuso com o seu pedido.


Por que não havia medo nenhum naquela humana? Afinal de contas ela estava de frente para um mostro enorme, cheio de pelos e mesmo assim sorria e parecia extremamente segurada.


Eu não deveria lhe por medo?Pois era assim que nos éramos para os humanos, eles costumavam a nos chamar de monstros e aberrações, o que foi uns dos motivos que me levaram a me isolar do mundo, eu não aceitava de maneira nenhuma essa vida, queria ser normal, eu só queria ser humano e não um homem lobo.


‘’Por favor’’Ela voltou a repetir e eu não me movi, seria o certo realmente fazer o que ela estava pedindo?Fiquei preso pela duvida e ela pareceu perceber.


‘’Por favor, eu preciso olhar para o seu rosto... Por favor’’Ela implorou pela ultima vez se deitando no chão de barriga pra cima como se fosse dormir,mais não,eu ainda não havia notado,mais aquele sangue todo que estava em sua roupa havia vindo do seu abdome...que esta perfurado?


Aquilo me alertou, decidi então me destransformar mesmo estando nu, não podia haver constrangimento da minha parte, pelo menos não ali diante de uma mulher que estava quase morrendo.


‘’Oh meu deus... Obrigada’’Ela exclamou assim que pus os meus dois pés descalços sobe a lama e encontrei o seu olhar.


‘’Quem é você?E como sabe quem eu sou?’’Perguntei me sentindo um tremendo idiota por estar fazendo isso,a garota quase não conseguia se mexer mais existiam muitas perguntas e duvidas que precisavam ser esclarecidas.


‘’Meu nome é Isabella... Eu vim de uma vila aqui perto que foi atacado por vampiros, muitos deles... Você precisa me ajudar... Eu sei que está confuso... Mais eu posso explicar... Quando eu era pequena meu avô costumava me contar historias antes de dormir e as minhas preferidas eram sobre vocês... Eu cheguei a achar que ele mentia quando falava dos homens lobos que podiam nos salvar daqueles monstros de olhos vermelhos... E agora vejo que não, vocês existem mesmo’’.


‘’Você esta muito machucada, eu preciso te levar para um hospital’’


‘’Não,não, espere’’Ela me refreou’’Não se engane ,eu não vou durar por muito tempo...todos morreram e ela não tem mais ninguém,você precisa cuidar da minha filha...por favor tira ela daqui’ Demorei apenas alguns segundos para entender a quem ela se referia.


‘’Cuidar da sua filha?’’Perguntei catatônico.


‘’Sim’’Ela engoliu em seco e voltou a dizer’’Você é a única coisa que Renesmee vai ter agora... Por favor, moço?...


‘’Jacob me chame de Jacob’’Esclareci rapidamente.


‘’Por favor, Jacob pegue a minha bebe e saia daqui o mais rápido possível,você precisa protege - lá do mal.....eu sei que aqueles miseráveis vão querer a minha filha....mais não,você não pode deixar que isso aconteça...pela amor de deus,não deixa’’


‘’Quem vai querer ela?Do que você esta falando?’’-Perguntei confuso.


‘’Dos vampiros, eles mataram a minha família e agora estão com o meu marido’’


‘’E você?Como conseguiu fugir’’ - Quis saber, como  uma coisa certa em mente’’os vampiros nunca sentem piedade’’era completamente impossível uma humana machucada e ainda por cima com um bebe ter fugindo de algum deles assim do nada.


‘’Meu marido... Edward Cullen tem um dom-Ela começou a relatar’’Que despertou de alguma forma o interesse nos vampiros... Então eles sugiram do nada, a principio pareciam pacíficos e só queriam conversar, mais depois quando Ed disse que jamais aceitaria ser um deles... Eles...eles –A moça parou por alguns segundos buscando forças e depois prosseguiu com o uma visível dificuldade em seu tom de voz- Pra se vingar resolveram matar todo mundo e no fim me bateram tanto que meu Ed teve que implorar por piedade....


‘’E eles?’’Perguntei com os dentes trincados.


‘’Começaram a me bater e no fim quando achei que iriam me matar de uma vez por todas um deles simplesmente me mandou fugir com a minha filha... no começo eu fiquei confusa,mesmo assim não pensei duas vezes,meu coração ficou em pedaços quando tomou a decisão de deixar o meu Ed na mão daqueles crápulas mais eu precisava fugir...e salvar a minha menina...na minha cabeça eu só queria encontrar La Push e pedir ajuda a vocês....mais antes que pudesse raciocinar direito um deles me atingiu –Isabella colocou uma das suas mãos sobre o seu ferimento e com a outra apertou mais a filha que começou a chorar - Mesmo machucada eu não desisti de tentar sair dali...peguei minha filha e comecei a correr,nenhum deles se quer me seguiu,mesmo assim, isso ainda não me era o suficiente...Eu não sei da aonde encontrei forças Jacob!...Por deus eu achei que iriam morrer antes de salvar minha menina... ’’


‘’Calma,calma você conseguiu’’Tentei acama lá.


‘’Sim eu consegui’’Ela sorriu por um tempo e eu me aproximei’’Jacob  segure ela....e me prometa pela amor de deus que vai protege - lá...e por favor não permita que eles peguem ela e façam o mesmo que vão fazer com o meu Edward ,não deixe isso acontecer,eu lhe imploro’’


‘’Fique calma... Eu não vou deixar que isso aconteça... A parti de agora serei capaz até mesmo de dar a minha vida para proteger a sua filha’’Prometi a ela e de alguma forma doida eu me senti muito bem fazendo isso.


‘’Obrigado Jacob...Foi realmente deus que lhe pós no meu caminho. ’’Isabella agradeceu estendendo sua bebe para mim que a peguei antes que caísse no chão e alinhei em meus braços fazendo o possível para protege - lá da garoa densa que caia naquela hora.


‘’Vai em paz Isabella....eu vou cuidar da sua menina’’Disse a ela que sorriu para mim novamente e colocou as mãos na barriga comprimindo as palmas em seu ferimento com força.


''Eu te amo filha'' Foram suas ultimas palavras.


Fiquei ali em pé encarando o corpo de Isabella por um longo tempo e o embrulho nos meus braços completamente chocado, ’’e agora Jacob qual vai ser o próximo passo?’’


Eu me perguntava como um idiota, como é que eu podia agir diante de uma cena dessas?


Espera!Eu acho que agora essa não é realmente a questão,Isabella me pediu para proteger a bebe e sair daqui o mais rápido possível ,Então é exatamente isso que eu tenho que fazer!


Entre um pensamento confuso e outro algo me despertou naquela hora quando tocou de leve com as pequenas mãozinhas o meu peito desnudo.


Isso chamou de vez a minha atenção e na mesma hora tratei de levantar a manta banca que cobria a bebe em meus braços e focalizei uma linda menininha com rostinho de porcelana, olhos castanhos, bochechas rosadas e cabelos acobreados.


Naquela mesma hora o meu mundo confuso sem tornou algo fácil, a minha esperança de futuro ganhou apenas um nome, a minha alegria e a minha vontade de viver e ser feliz agora tinha uma única razão e ela se chamava Renesmee.
   .....

-Jacob acorda- Becca me chacoalhou.

-A qual é Rebecca me deixa dormir-Resmunguei em protesto e ela bufou.

-Ok,eu levo a Renesmee’’sozinha’’então para o primeiro dia de aula dela- Becca exclamou e na mesma hora eu pulei da cama.

-Já ta na hora?- Perguntei atordoado e Becca sorriu.

-Não,ainda falta muito,mesmo assim eu quis te acordar primeiro -Eu assenti -Mais agora anda logo tah,que eu vou na cozinha preparar o café da nessie e depois vou acorda - lá para se aprontar-Ela me informou.

-Ta eu já estou saindo então- Falei enquanto procurava uns dos meus calções e Becca saia do quanto.

Achei o meu famoso shorts surrado e coloquei na janela do meu quarto, eu sempre fazia isso para evitar que Becca me visse pelado por ai, eu sei que ela era minha irmã,mais certas coisas são demais né?

Depois disso me despi ali mesmo e pulei da janela do meu quarto para logo em seguida me transformar num enorme lobo castanho avermelhado e correr para janela da nessie.

Isso já havia se tornado costumeiro, toda vez que minha menina acordava ela ia até a janela e me chamava e adivinha? Lá estava eu para lhe dar o bom dia.

Fiquei ali por alguns minutos só parado esperando e Renesmee apareceu com aquele sorriso lindo de menina sapeca me chamando com as mãozinhas.

-Jakee...Jake hoje vai ser o meu primeilo dia-Ela gritou para mim enquanto Becca tentava lhe colocar a roupa da escola.

-Filha fica quietinha,eu preciso-te arrumar- Becca pedia enquanto eu me aproximava mais da janela e recebia um carinho de nessie.

-Mamãe o Jake vai junto?-Renesmee quis saber.

-Vai sim bebe, mais só até a estrada....você se lembra né filha do que a gente conversou?-Becca perguntou a nessie que balançou a cabeça dizendo que sim.

-Lembro...que eu não podia contar pla ninguém sobre o Jake- Ela repetiu.

-Exatamente bebe, eles não podem saber que você tem um amiguinho, senão vão querer machucar o Jake- Eu revirei os olhos,a Rebecca as vezes eram tão dramática.

-Eu não vou contar mamãe eu julo- Renesmee prometeu quando Becca colocava-lhe o tênis.

-Isso mesmo meu amor- Rebecca assentiu e pegou nessie no colo e a colocou na sua cadeirinha-Que penteado você quer fazer hoje filha?

-Hoje...-Renesmee pensou por alguns segundos e depois respondeu animada-Eu quero maria-chiquinha.

-Perfeito filha... Você vai ficar uma boneca- Rebecca comentou começando o penteado no cabelo de nessie que ficou o tempo todo quietinha esperando a mãe terminar, depois Becca foi para cozinha e levou nessie para tomar o seu café da manhã e logo em seguida fomos para a escola dela.

Na verdade, eu só pude acompanhar as duas no trajeto que fazíamos dentro da mata aonde nessie foi montada em mim, ela adorava fazer isso, desde pequena era assim que nos dois nos locomovíamos juntos, no começo Becca protestou por medo que a minha pequena caísse e se machucasse mais depois ela percebeu que nessie tinha muito jeito e adorava a carona.

-Jacob me espera aqui tah -Becca pediu tirando nessie de cima de mim e a pegando no colo,havíamos chegado na estrada e a parti dali eu tinha que ficar para trás.

-Tchau lobinho- Nessie me abraçou por um tempo e depois se agarrou a mãe e duas atravessaram a rodovia sobe o meu olhar atento, aquele local realmente era muito perigoso, todos os dias passavam milhares de carros nas duas pistas e infelizmente pra nessie poder ir à escola que ficava do outro lado, ela teria que sempre atravessar por aqui.

Depois que as duas sumiram das minhas vistas eu fiquei escondido atrás das árvores esperando por Becca que demorou a voltar,''coisa de mãe'', eu acho que sempre era muito difícil pra elas esse momento.

Se separar do filho ou da filha no primeiro dia de aula era mais um laço da dependência quebrado.

-Vamos Jacob- Becca voltou chorando e eu revirei os olhos- O que é?Foi difícil pra mim tah... -Ela se justificou limpando as lagrimas que caiam do seu rosto e nos dois voltamos para casa.

Aquela tarde foi com certeza a mais longa, solitária e estressante que eu já tive na minha vida.

Ficar sem nessie mesmo que fosse por um período curto de tempo era muito entediante, a vida só fazia sentido para mim quando ela estava por perto, só tinha cor, harmonia e alegria quando eu podia ver os seus olhos e sentir o seu cheiro delicioso de camomila.

-Jacob vai ficar ai parado pensando na morte da bezerra é?-Rebecca gritou da cozinha, ela estava uma pilha de nervos hoje, é eu acho que a ausência da nessie nessa casa não fazia mal só a mim.

-Eu já vou Rebecca,espera- Falei nervoso entrando na cozinha.

-Da pra você arrumar essa droga logo?-Ela apontou para a torneira-Ela não para de pingar deve estar estraga... Merda.

-Você fica insuportável quando a nessie não esta em casa- Comentei começando a arrumara aqueça bendita torneira da pia.

-E você vira um lerdo que não presta pra nada- Rebateu com a mesma ironia.

-Se continuar a me xingar assim eu não arrumo merda nenhuma- Ameacei.

-Então você também não vai comer merda nenhuma.

-Vai continuar?-Perguntei apertando a mangueira.

-Não e você vai?-Ela me irritou e quando dei por mim apertei demais a torneira que explodiu e começou a sair água por todos os lados- Ahhhh Jacob desliga isso ahhhhhh- Becca começou a gritar.

-Me ajuda aqui então-Eu disse tentando parar a água com as minhas mãos, ‘’mais a situação estava bem critica viu’’- Becca não seja burra e vai lá fora desligar o registro - Gritei e ela saiu correndo.

Fiquei ali feito um idiota segurando o maximo que conseguia os jatos fortes de água que saia da pia até parar totalmente me denunciando que finalmente a Becca havia feito algo que preste.

-Pronto-Ela apareceu na cozinha bufando e molhada da cabeça aos pés.

-E depois diz que não é imprestável- Ela resmungou apontando para si mesma e na hora nos dois caímos na risada- Eu vou buscar um pano para limpar essa bagunça.

-Ta e eu vou arrumar essa torneira aqui- Comentei.

-É faça isso-Ela assentiu e começou a secar o chão.

Becca e eu ficamos uma boa parte da manhã limpando a cozinha que tinha virando um caos completo, depois nos dois nos sentamos no sofá da sala já totalmente secos e começamos a  relembrar dos nossos momentos com nessie.

Continua...
                                         
                                                      By:natineces.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados