Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

capitulo I -Pov Carol Cullen

(Fic Impressão Sua)

-A volta pra casa

Me chamo Carol,Carol Cullen e moro desde meus 12 anos aqui em Paris com a minha mãe Alice Cullen uma das melhores estilistas do mundo,que teve em seu casamento uma terrível desilusão amorosa.
Quando mamãe tinha apenas 15 anos de idade ela conheceu meu pai Jasper filho de um fazendeiro rico de modos extremamente antigos e rústicos com uma dona de casa,por quem mamãe se apaixonou perdidamente,os dois então começaram a namorar claro que com a supervisão da vovó Esme que nunca confiou em papai que tinha por toda Forcks uma má reputação,mesmo assim mamãe nunca ligou para falatórios como diz ela mesmo’’eu estava cega de amor’’.

Então os dois namoraram por pouco tempo e já partiram logo para algo mais sério,’’o casamento’’-mamãe e papai se casaram com 17 anos e mamãe engravidou de mim com 18 anos e logo depois titio Emmett engravidou a namorada Rosalie o que foi uma terrível confusão,mais enfim as 19 anos mamãe deu a luz a mim e logo depois foi a vez de Rosalie que deu a luz a Ellen a caçula até hoje da família já que no total eu só tenho 2 primas,uma é Anita um ano mais velha filha de Edward e da tia Isabella uma amor de pessoa e a Ellen.

Logo depois que mamãe me teve,ela resolveu ir morar com papai na fazenda da família lá eu passei meus piores dias sendo judiada horrores pelos meus primos mais velhos que puxavam os meus cabelos e pela vovó que me obrigava em pleno aos 6 anos a trabalhar feito uma condenada alegando ser o destino certa para todas mulheres’’ser dona de casa’’.

Não agüentando mais tudo isso mamãe e papai passaram a brigar todos os dias e meu pai a passar várias noites fora, então um dia mamãe desconfiada dessa situação, me deixou com vovó Esme para ir atrás de papai e logo depois tudo que me lembro foram gritos e choros e muito desespero.

Flash back on:

-Seu canalha bem que me avisaram que você não prestava mais eu burra estava completamente louca por você –Mamãe dizia aos berros dando socos em papai que não emitiu nenhuma reação.


-Para com isso sua doida eu sou homem o que você queria?-disse-E a culpa é toda sua se desse conta do recado eu não precisava ir atrás de outra.


-Seu canalha idiota eu tenho nojo de você está me entendendo nojo-Mamãe cuspiu as palavras com muita raiva e eu comecei a chorar de medo.


-calma meu anjinho vai ficar tudo bem-Vovó me pegou em seu colo mais eu ainda conseguia escutar toda a briga que acontecia lá fora.


-Para com isso agora Alice venha vamos para casa chega de escândalos vamos resolver isso só eu e você.


-Não eu não vou a lugar algum com você seu canalha e me solte não coloque suas mãos em mim nunca mais.


Ouvi mamãe gritar e um barulho de carro estacionando.


-Ah graças a deus-vovó disse aliviada e só então pude notar do que se tratava,era o tio Edward que chegou com titia Bella e Anita que correu para dentro de casa para ficar comigo a pedido de mamãe.


-Carol,Carol-Anita sussurrou detrás da porta.


-Meu anjo entre aqui venha-Vovó chamou.


-Anita que bom que você está aqui-Eu a abracei aos soluços estava feliz de estar com minha prima aqui afinal ela era minha melhor amiga.


-Vai ficar tudo bem Carol meu pai vai cuidar de tudo -Ela me assegurou.


-CAROL,CAROL,ANDA VENHA VAMOS PARA CASA AGORA-Papai berrou chamando meu nome de lá de fora.


-Eu já disse eu e minha filha não vamos a lugar algum com você -Mamãe esbravejou e eu me agarrei de novo a vovó que afogava meus cabelos delicadamente.


-Você vai sim e vai agora-Ele disse aos berros novamente.


-Você não vai leva - lá daqui a força Jasper,não com eu aqui -Ouvi a voz dura e autoritária do titio Edward e me senti aliviada por ele estar protegendo mamãe.


-Vamos conversar com calma Jaspes isso não precisa ser assim -Pediu titia Bella.


-Precisa sim e ela é minha mulher e eu faço o que quero ta me entendo Edward.-Papai ameaçou.


-Eu não sou sua propriedade seu canalha-Mamãe respondeu.


-Eu já disse Jasper,Alice só sai daqui por vontade própria caso contrário....-Papai o interrompeu.


-Caso contrário o que Edward? você vai me bater vai,justo você o senhor bonzinho-Papai debochou.


-Não eu vou te bater.-Disse uma voz distante mais percebi de cara que era o tio Emmett que ameaçava.


Naquela hora senti um grande pânico ocorrer afinal,titio Emmett era muito forte e lutador de boxe ele acabaria com papai com um simples soco.


Sai dos braços de vovó Esme e corri porta fora.


-Não titio Emmett não bate no meu pai-Eu gritei chorando desesperada.


Na hora senti braços macios e reconfortes me pegar,era mamãe.


-Calma minha filha,calma-Ela sussurrou.


-Pode ficar tranqüila Docinho eu não vou machuca -ló –Titio me aliviou me chamando do apelido carinhoso que ele havia me dado,na verdade não só pra mim mais titio sempre me chamou de Docinho,Anita de florzinha e Ellen de lindinha uma comparação com o desenho meninas super poderosas o preferido de nos três.


-Não vai mesmo sabe por que?por que você é um floxo –Papai disse-Fica ai se posando de fortão,bonitão o todo bonzão mais na verdade não passa de um pau mandado pela sua mulher,que coisa feia em um homem desse tamanho sendo mandado por uma dondoca feito a Rosalie.


-Olha aqui seu canalha você lave a boca pra falar da minha mulher, ta me entendo -Tio Emmet avançou para cima do papai e o pegou pelo colarim.


-Sua mulher?-Papai debochou -Sua e do país inteiro você quer dizer...-e antes mesmo de papai terminar a frase tio Emmett o jogou no chão e começou a distribuir socos e pontapés na cabeça e na barriga e eu a gritar e chorar assustada com a cena.


-Para titio,para-Eu gritava.


-Edward separa eles,separa -Bella também dizia desesperada.


E mamãe ainda comigo no colo não disse absolutamente nada e apenas se dirigiu para dentro de casa sussurrando em meu ouvido várias vezes.


-Eu te amo,a gente vai ficar bem filha-Ela disse e depois de um tempo eu cai na inconsciência vencida pelo cansaço daquele noite em seus braços.

Fash back off.

Depois desse dia eu e mamãe passamos a morar na casa do vovô e da vovó que nos trataram com muito amor e carinho,mesmo assim percebia o desconforto de mamãe em ter que encontrar em todos os cantos o papai que a perseguia quase sempre querendo que nos voltássemos para casa,mais ela sequer dirigia a palavra para ele e tentava de todas as maneiras evitar que ele se aproximasse de mim,eu não posso negar eu não sentia tanta falta de papai assim mais tinha um profundo respeito por ele e ao mesmo tempo magoa por ter machucado mamãe a pessoa que mais amo na vida.

Então quando completei 12 anos mamãe já esgotada dessa situação fugiu comigo para Paris aonde começou a engrenar na sua carreira tão sonhada ser estilista e promoter de festas e eventos, os anos então se passaram e eu já muito nova aprendi com ela todos os macetes da moda e virei seu braço direito,e desde então eu e mamãe somos muito requisitadas por agencias de moda,casamento ou eventos de extrema importância.

Mais o fato de estamos tão longe das pessoas que mais amamos nos obrigou a tomar uma grande decisão.A de voltamos para Forks,para vovô,vovó,meus tios minhas tias,para minha priminha Anita e a caçulinha Ellen.

-Docinho já aprontou suas malas?-Mamãe perguntou no andar debaixo.

-Já sim mamãe pode mandar o Alfredo me ajudar com elas -Gritei para ela chamar Alfredo o nosso motorista e grande amigo.

-Claro,claro -Ela disse.

Eu sorri e peguei minha bolsa e desci as escadas.

-Nossa você está linda filha,aposto que mamãe mal vai te reconhecer.-Eu corei,não conseguia nem imaginar a cara de espanto de todos quando me verem afinal eu sai de casa com apenas 12 anos e tenho que dizer que de la até aqui eu tive uma grande evolução.

-Você não pode falar nada Senhorita Alice,você também mudou muito e esta maravilhosa-Eu a elogie.

-Não eu não mudei tanto assim-Mamãe protestou.

-A você mudou sim e aposto que todos iram concordar comigo -Sorri alegremente me lembrado de mamãe naquela época quando estava com papai e de agora que esta muito bem arrumada e elegante.

-A eu só pintei o cabelo e o deixei crescer-Ela continuou resmungando abraçada a mim enquanto nos dirigimos para o carro.

Seguimos de carro até o aeroporto e em pouco tempo já estávamos acomodadas nas nossas poltronas da primeira classe.

-Você está feliz?-Mamãe perguntou ao meu lado.

-To sim mãe,muito,muito mesmo -Respondi empolgada.

-Que bom –Ela sorriu.

Ficamos alguns minutos caladas e fomos interrompidas pelo meu celular tocando.

Era o Alec.

Eu não atendi e mamãe percebeu meu desconforto.

-É ele?-Ela me perguntou.

-É sim -Respondi simplesmente excitante em falar desse assunto.

-E por que não atende-Ela advertiu.

-Eu já disse que acabou,é passado......é passado -Repeti a última parte mais para mim mesmo.

-Não precisa ser assim filha,se ele mexe com você quer dizer-Mamãe se cortou e eu sabia que era difícil falar desse assunto ‘’Amor’’não era algo que minha mãe gostava de lidar pelo menos desde aquele tempo,mesmo assim ela estava aqui se sacrificando em entrar nele por mim -Se realmente o ama não ha o por que fugir disso...-Eu a cortei.

-Mamãe não precisa fazer isso,eu to legal é serio-Tentei dizer mais foi em vão.

-Carol tudo aquilo que disse sobre o amor não precisa necessariamente servir para você,eu sei filha que eu enchi sua cabeça com essa bobagens mais entenda só não quero que se machuque como eu me machuquei...

-Mamãe....

-Filha deixa eu terminar eu preciso -Ela pediu e eu só acenti com a cabeça.

-O que aconteceu comigo foi o acaso,eu só simplesmente não encontrei a pessoa certa e na verdade nem espero em encontrar,mais você filha é jovem,bonita tem tudo pela frente não pode fugir de um sentimento tão bonito que sua mãe boba aqui não soube lidar-Ela choramingou abraçada a mim.

-Mãe isso não é verdade,você não pode simplesmente se fechar para o amor-Eu a adverti,não podia ser uma mulher tão linda quanto ela e tão maravilhosa viver só a vida inteira.-vamos fazer assim,vamos deixar isso pra lá ok esse assunto não é o mais adequando para essa ocasião -Pedi.

-ok,ok mais me prometa que quando encontrar a pessoa certa não vai deixa - lá escapar e destruir esse amor-Ela pediu.

-Prometo,prometo-A tranqüilizei e percebi que ela tirou um peso da costas.

E me senti feliz por isso,afinal a felicidade da minha mãe era também a minha felicidade.

Enfim o vôo chegou e desembarcamos encontrando todos a nossa espera.

-Vovó -Gritei correndo para os braços dela que me abraçou chorando.

-oh me querida quantas saudades-Ela disse soluçando e eu também não conseguir conter o choro.

-Minha Alice -Vovô disse abraçando mamãe e depois a mim -Olá minha princesa como você cresceu e está linda-Vovó disse me deixando corada.

-Verdade ela tá uma gata de parar o trânsito -Emmett disse assobiando e eu pulei nos braços do meu tio preferido.

-Oi meu ursão quantas saudades-Ele me rodopiou como se eu ainda fosse uma criança.

-Você nem imagina como fez falta Docinho-Ele me pois nos chão e eu pude abraçar tia Rosalie mais bonita do que nunca.

-Nossa tia como você está linda-Eu a abracei.

-Obrigada meu amor você também não fica atrás-Eu revirei os olhos.

-Oi tia Bells -abracei minha tia preferida e minha terceira mãe afinal a segunda era a vovó Esme.

-Olá meu anjo-Ela me deu um beijo no rosto e acariciou meus cabelos -Minha nossa você está uma mocinha,como o tempo passou não é Alice?-Ela perguntou a mamãe que estava abraçando Anita.

-Passou mesmo olha só para essa aqui ela esta maravilhosa uma perfeita princesa-Ela apontou para Anita que corou com o comentário.

-Oi florzinha -Abracei minha prima preferida que a muito tempo não via.-Nossa como eu senti sua falta,você está tão linda -Disse entre soluços admirando a bela prima que Anita havia se tornado.

-Imagina,olha só para você como você mudou eu estou sem palavras-Ela respondeu.

-Ei,Ei,Ei e eu será que esqueceu de mim?-Ouvi Ellen reclamar e puder notar como ela estava maravilhosa também só podia mesmo ser filha de Rosalie.

-Não eu não esqueci de você não-eu a abracei e ela sorriu -Você está perfeita priminha -A elogiei por que sabia que assim como Rosalie, Ellen não dispensava um bom elogiou,sabe como é né,só pra ativar o ego.

-Disso eu sei -Ela disse com desdém e eu ri-Então está de boca aberta não está de ver como aquela pirralha se tornou essa bonitona aqui?-Ela perguntou girando graciosamente para mim.

-Tá sim lindinha afinal você também está uma gatona - Emmett a abraçou por trás mexendo em seu cabelo orgulhoso pela filha.

-Pai não mexe em meu cabelo eu já disse o senhor vai me despentear toda -ela esbravejou e eu ri com o susto que o tio Emmett levou com o piti da filha.

-Ta legal lindinha foi mal-Ele tentou se explicar mais não conseguiu conter o riso.

Ellen bufou e saiu pisando fundo até o estacionamento com a cúmplice Rosalie logo atrás.

-Meu deus Emmett como você agüenta 2 Rosalies em casa?-Mamãe perguntou rindo.

-Muita pratica irmãzinha,muita pratica-Ele disse indo provavelmente se desculpar com as duas ao que parece.

-Oi tio Edward -O cumprimentei lhe dando uma abraço.

-Oi Carol -Meu tio disse formal como sempre.

-Oi maninho que honra você aqui no horário do trabalho,achei que não viria -Mamãe disse o abraçando.

-Alice não deboche eu estou aqui não estou?-Ele disse sério e mamãe se calou.

Então fomos todos para casa do vovô e lá uma pequena festa intima nos aguardava não tão estonteante como eu e mamãe fazia mais foi o suficiente para fechar esse dia tão maravilho com chave de ouro.
                                                             
                                                By:natineces
                                               
                                        
                                                   Em breve pov de Anita...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados