Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

capítulo 10-E a história se repete

Me desculpe o atraso....boa leitura e até o proximo


Pov Renesmee
O impacto da verdade


-Você deve ser Renesmee não é a mãe de Keroline?-uma garota de cabelos pretos e pele pálida perguntou parando bem em minha frente.


E quando a fitei mais atentamente engoli em seco ao perceber que ela era uma vampira ou melhor pelo batimentos acelerados do seu coração deveria se tratar de uma mistura entre um humano e um vampiro como eu.


-Sim sou sim –disse.


-Bem pelo que vi você a esta procurando não esta?.-perguntou e eu me espantei.Será que ela conhecia Keroline?acho que não minha filha teria me contado ela nunca mentiu para mim.


-Estou -Respondi -Por que você sabe aonde minha filha esta?.-disse automaticamente sentido um aperto em meu coração.




-Sei sim ela acabou de pegar carona com Bella.-Respondeu sorrindo.


-Bella quem é Bella?-Perguntei confusa.


-Oh você não sabia Keroline anda saindo com a família de vampiros Cullens.


-O que como assim?-Perguntei nervosa sentindo meu coração sair pela boca.


-Me desculpe por dizer isso mais Keroline não devia andar com eles,todos são muitos perigosos e eu mesmo me mantenho bem afastada –Disse ela se aproximando mais de mim -Dizem por ai que eles pegam vampiros por toda parte para fazerem parte da família –ela sussurou.

-Meu deus por favor você tem que me ajudar aonde estes tais Cullens moram?-Eu implorei totalmente desesperada.


-Calma,Calma é claro que eu irei te ajudar-Ela disse com compaixão -Eu também acho que é melhor você tirar sua filha logo de lá caso contrario eles podem a levar ou até mesmo machuca-lá,nunca se sabe não é?.


-Eu tenho que ir.-Eu disse pegando o endereço com ela e saindo aos prantos em direção a mansão para resgatar a minha filhinha.Ta eu sabia era quase impossível uma vampira ou melhor metade vampira vencer uma família de vampiros mais eu não me importava por que era minha filha que estava em perigo e eu enfrentaria qualquer coisa por ela.


Corri rapidamente para lá em pouco tempo consegui avistar a grande mansão branca e me aproximei com cautela ciente que eles já havia com certeza notado a minha presença.


Decidi então esperar do lado de fora e em pouco tempo a grande porta se abriu e para o meu espanto a primeira a sair de lá foi keroline isso mesmo minha meninha saiu as prantos e com um olhar totalmente surpreso em me ver.


-Mãe o que a senhora faz aqui?-Ela exclamou vindo em minha direção acompanhada de um garoto alto e moreno e mais atrás vários vampiros que numa contagem rápida somavam 8 todos com expressões emocionadas no rosto e nada ameaçadores.’’que estranho?’’pensei comigo mesma.


“Não era para eles estarem me atacando ou coisa assim?afinal eles seqüestraram a minha filha”.


-Mãe eles não me seqüestraram -Keroline disse calmamente.


-Keroline como...-Tentei dizer mais ela me interrompeu.


-Mãe me perdoe por ter escondido tudo isso da senhora mais eu posso explicar.


-Explicar?Explicar como filha- Disse indignada- Explicar que você mentiu para mim,Explicar que está andando com vampiros desconhecidos?sim eu acho que quero uma explicação- Falei magoada.


-Mãe eu sei que eu errei mais eles são bons tenha calma- Ela disse soluçando.


‘‘Vampiros do bem,Filha eles querem que você seja uma deles,querem te tirar de mim’’ Pensei para ela e nessa hora notei um rosnado vindo do homem de cabelos acobreados(Edward) que olhava para o chão balançando a cabeça indignado.


-Mãe isso é tudo mentira,o que Sarah te disse não faz nenhum sentido,ela só falou tudo aquilo por vingança ela me odeia -Keroline disse entre dentes e percebi que todos os outros que estavam ali ficaram revoltados.


-Ela te odeia como assim?- Perguntei confusa.


-Sim ela é filha deles e tem ciúmes de mim- Keroline respondeu de cabeça baixa.


-Isso não diminui nada,nada o fato de você ter mentido para mim- Adverti- Agora anda vamos para casa- Fui até ela e peguei em seu braço mais ela se esquivou.


-Não mãe eu não vou para lugar algum com a senhora achando que eles são maus.


-Keroline não me desobedeça eu sou sua mãe e não os conheço.-Rosnei para ela e tentei puxa - lá de volta.


-Mãe espere a senhora está nervosa se acalme -Keroline implorou voltando a chorar e isso cortou meu coração,afinal eu nunca havia a tratado assim.


-Renesmee fique por favor vamos entrar e conversar com calma- O homem de cabelos acobreados se manifestou abraçado com uma vampira cabelos chocolate(Bella)que parecia estar aos prantos na realidade todos estavam.


-Eu não quero conversar e vocês fiquem bem longe da minha filha -Disse para todos eles e depois olhei para Keroline- E você esta proibida de velos novamente está me entendendo?


-Mãe para você não pode fazer isso.


-Keroline agora chega eu já perdi minha paciência- Disse a puxando novamente mais dessa vez com mais força e pelo canto do olho percebi que a vampira cabelos chocolates tentou impedir mais foi segurada pelo o de cabelo acobreado.


-MÃE PARA- Keroline começou a gritar mais não me impediu de leva - lá floresta adentro.


-Keroline –Ouvi uma voz rouca a chamar e quando olhei para trás avistei o garoto moreno.


-Seth- Keroline se soltou de mim com facilidade e correu para os braços dele chorando e assim ficaram.


Meu coração partiu vendo aquela cena,e eu me senti um mostro - lagrimas caíram pela primeira vez em meu rosto e comecei a caminhar de volta para casa com passos humanos deixando Keroline para trás que notou minha ausência.


-Seth amor eu tenho que ir-Ouvi Keroline se despedir e vir atrás de mim.


-Mãe não faz assim- Ela disse pegando em meu braço ainda chorando –Se você parasse para me ouvir seria tudo mais fácil...- Ela sussurrou e quando abri minha boca para responder comecei a ver do nada uma série de imagens.


Keroline segurava meu braço com força para que eu não me soltasse e estava de olhos fechados completamente concentrada em mostrar para mim centenas de cenas.


‘’Na primeira cena havia uma mulher ninando em seus braços um bebê com cabelos acobreados pele clara bochechas rosadas perfeita,uma linda bonequinha que era admirada carinhosamente pela mãe”


‘’Em outra cena avistei a mesma mulher que agora pude ver mais detalhadamente,cabelos chocolates,pele pálida,olhos castanhos,linda completamente perfeita que corria sorrindo atrás de uma garotinha sapeca”


‘’na próxima o que eu vi me deixou assustada aquela mesma mulher que sorria em outras cenas agora mantinha em sua face pura tristeza,sua menininha havia sido tomada por um homem....’’OH MEU DEUS MAIS ELE É Josh’’


-PARA COM ISSO AGORA KEROLINE –Gritei puxando meu braço e ela soltou abrindo os olhos e me fitando espantada.-O que você pensa que está fazendo?.


-Eu só estava mostrando toda a verdade mãe eu sei que é difícil de acreditar mais você é a filha deles que foi seqüestrada pelo Josh e Keroline- Ela respondeu com desprezo ao tocar no nome da minha mãe e com um impulso involuntário eu lhe dei um tapa no rosto.


-Não fale assim da minha mãe- Disse nervosa.


-Ela não é sua mãe- Ela gritou chorando com a mão no rosto bem no lugar que havia batido.


-SIM ELA É MINHA MÃE,SUA AVÓ -Retruquei e voltei a andar indignada.


Por que a minha filha estava fazendo tudo isso?o que será deu nela?.


-POR QUE É TÃO DIFICIL PRA A SENHORA ACEITAR A VERDADE?-Ela gritou atrás de mim.


-POR QUE ESSA NÃO É A VERDADE- Disse me virando para fita-lá.


-É sim e você sabe disso- Ela disse e saiu correndo em direção a nossa casa enquanto eu permanecia imóvel no mesmo lugar sem conseguir esboçar nenhuma reação.


Fiquei assim por alguns instantes até sentir meus joelhos cederem e cai sobre a terra molhada começando a chorar descontroladamente,sentindo todo o impacto da verdade se estabelecer.


A minha ficha enfim havia caído.


A mulher que tanto amei,que chamei de mãe era no fundo uma pessoa egoístas que chegou até mesmo ao ponto de tirar um filho de uma mãe,isso é algo monstruoso e completamente imperdoável mais mesmo assim alguma coisa dentro de mim não queria odia-lá ou melhor simplesmente não conseguia odiar.


Senti braços fortes me envolveram e só então me dei ao trabalho de abrir meus olhos e pela minha visão turva pude ver que era meu querido Erick que me levava em seu colo’’Erick’’sussurrei baixinho’’Calma amor eu to aqui e vou te levar pra casa’’ele disse delicadamente “Erick eu fui engana’’disse contra seu peito quase sem forças para me mexer”Keroline me contou...mais agora descase querida...só descanse’’Erick respondeu com a voz nitidamente abalada -Ele estava sofrendo e eu sabia disso,sabia que Erick sofria quando não estava bem mais agora mesmo que quisesse não havia forças em mim para lutar eu só conseguir ficar imóvel ali no aconchego de seus braços.


Erick enfim parou de correr e eu abri novamente meus olhos notando só agora com mais clareza que o céu estava escuro o que me espantou provavelmente havia ficado horas e horas naquele lugar e mal havia me dado conta.


-Papai papai o que aconteceu com a mamãe?- Ouvi a vozinha de sinos do Antonio choramingar e senti uma aperto no coração meus filhotes devia estar assustado com o meu estado.


-Mãe não faça nenhum esforço ta,eu estou aqui vai ficar tudo bem -Minha princesinha me tranqüilizou enquanto Erick me colocava carinhosamente em nossa cama -Me desculpa mãe a culpa foi toda minha eu não tinha nada de ter falado aquelas coisa pra senhora.


‘’Não meu anjo a culpa não é sua,eu só estou muito abalada com tudo isso e nunca pensei que minha própria mãe foi capaz de cometer uma monstruosidade dessas comigo’’Pensei para ela.


-Eu te amo mamãe -Keroline me abraçou e depois beijou meu rosto saindo do quarto logo em seguida.


-Ela vai ficar boa não vai Pai? -Alexandre perguntou e percebi que meu pequeno também estava chorando.


-Vai sim filho,vai sim -Erick respondeu acariciando meus cabelos –Mais agora vocês dois vão tomar banho e se deitar amanhã vocês tem aula.


-Ta bom- Os dois responderam juntos e saíram do quarto.




-Vai ficar tudo bem amor,agora descanse- Erick disse se deitando ao meu lado e me envolvendo em seus braços começando novamente a acariciar meus cabelos até eu cair na inconsciência.




Pov Keroline.
E agora o que vai ser de mim?

 
No dia seguinte eu acordei rapidamente e fui ver como minha mãe estava, chegando lá bati na porta dos meus pais delicadamente.


-Posso entrar? –Pedi educadamente.


-Pode sim filha,entre- Mamãe respondeu e eu entrei correndo assim que vi sua voz.


Mamãe estava lá sentada em sua cama sorrindo para mim com o papai logo ao lado ao pé da cama e os gêmeos deitados felizes um em cada lado e no meio uma bandeja quase vazia de café da manhã com lírios brancos as flores preferidas da mamãe.


-Mãe que bom que a senhora acordou- Fui abraça-lá sentindo as lagrimas caírem pelo meu rosto mais dessa vez elas eram de alegria,de alegria por minha mãe estar bem.


-Oh minha querida me desculpe?-Ela perguntou envergonhada.


-Mãe não precisa pedir desculpas...-Tentei dizer mais ela me interrompeu.


-É claro que preciso filha-Ela começou a chorar -Você não sabe o quanto me arrependo por te lhe dado aquele tapa-Ela disse acariciando meu rosto carinhosamente.


-É lógico que desculpo mãe eu sei que a senhora não fez por mal-Disse e ela sorriu aliviada.


-Bem turminha ta na hora de vocês irem para escola-Papai disse- Keroline filha vai tomar café eu já deixei tudo preparado pra você lá embaixo –Disse ele beijando a minha testa.


-Ok pai obrigada-Respondi abraçando-o –E vocês pestinhas vamos também?- Perguntei para os dois que estavam agarrados na mamãe.


-Ah não a gente já comeu com a mamãe- Alexandre respondeu e eu gargalhei.


-É mais temos que nos arrumar para ir a escola -Antonio disse se despedindo de mamãe com um beijo no rosto.


-Você está certo agora vão meus amores-Mamãe disse abraçando os dois que sorriram felizes.


-Poxa mãe deixa a gente faltar só hoje?- Alexandre implorou juntando as mãos e fazendo a carinha do gatinho do Shrek,mamãe se derreteu com a cena  mais foi o papai quem salvou a pátria.


-Nada disso vocês vão para a aula sim,agora andam vão se arrumar que eu vou leva -lós ao colégio.-Papai disse serio mais tava na cara que ele estava segurando o riso da cara de decepção que Alexandre fez.


-Pai não precisa não eu mesmo posso leva -lós para escola,não me custa nada e você pode ficar com mamãe -Respondi sorrindo.


-Obrigada filhota- Papai me abraçou.


Antonio o mais ajuizado saiu do quarto sem reclamar com Alexandre logo atrás resmunga algo do tipo ‘’Eu tava quase conseguindo que droga’’


-Você não existe-Mamãe disse rindo da cena para papai que estava agora em seu lado.


Ele retribuiu e com muito cuidado lhe deu um selinho.


-Bem gente eu acho que vou indo- Sussurrei baixinho deixando eles a sós.


Fui então para o meu quarto tomei um banho rápido e depois fui até a cozinha pegar algo para comer e encontrei os pestinhas na sala,Antonio ansioso e Alexandre impaciente.


-Ah né até que enfim pensei que tinha esquecido da gente -Resmungou Alexandre.


-Keu a gente tem que ir já estamos atrasados- Antonio me advertiu.


-Tah,tah calma ai- Disse correndo para cozinha para pegar uma maça seria a única coisa que daria tampo pra comer-Era assim que a casa toda ficava seu o auxílio da mamãe que de alguma forma matinha as coisa na perfeita ordem e sem atrasos.


-Vêm vamos- Passei pelos dois estendendo minha mãe livre para o Alexandre que torceu o nariz- O que foi garoto? –Perguntei rindo.


-Eu já sou bem grandinho ta não preciso dessas coisas.-Ele me informou.


-Garoto pensa que eu não sei que mamãe faz essas coisa qual é o problema de você pegar em minha mão?.-Perguntei indignada,não era como se precisasse daquilo mais gostava de cuidar dos meus irmões e mamãe sempre dizia que tinha que ser pra eles algo como a segunda mãe.


-Com mamãe é diferente né ,pra ela eu não posso dizer não-Eu sorri pra ele,Alexandre podia ser tudo mais uma coisa eu tinha certeza ele iria fazer sempre o que mamãe queria para vê- lá feliz como papai.


-Ta legal mais agora vamos-Disse apertando suas bochechas para irrita -ló um pouquinho não podia perder a oportunidade né.


-Keroline -Ele gritou logo atrás de mim e comecemos a correr pela floresta em direção ao Colégio Peter Facinelli aonde eles estudavam.


Depois de levar os dois fui direto para o meu colégio encontrando minha amiga Cris a minha espera com Chet,Lenn,Dominique,Ashley e Brigitte.


-Amiga - Cris venho me abraçar e percebi que ela estava radiante de felicidade.


-Tudo bem?- Perguntei rindo para ela.


-To sim...a bem..a gente pode conversar um instantinho?- Ela sussurrou sem graça e eu acenti e a segui depois de ter cumprimentado todos os outros.


Cris me levou até o refeitório que estava vazio.


-Então o que quer me contar?- Perguntei fingindo curiosidade(Lembra Keroline lê mentes).


-Aí eu não sei nem como começar...é tão complicado- Ela começou a gaguejar nervosa.


-Cris,Cris se acalme –Pedi e ela respirou fundo.- Agora comece pelo começo ta legal- Disse sorrindo e ela retribui nervosamente.


-EuestounamorandooChet pronto falei- Ela disse rapidamente e se não fosse uma vampira teria que pedir para ela repetir,mais felizmente eu era.


-O QUE?QUE MARAVILHA CRIS- Disse pulando de alegria e indo abraça -lá e percebi que ela se sentiu aliviada pelo meu apoio.


-Sério?-Ela perguntou- Que bom que gostou por que tirando minha mãe e o Chet você foi a primeira pra que eu estou contado.-Eu sorri feliz com isso,Cris mostrou que me considerava muito assim como eu a considero,afinal ela é minha melhor amiga.


-Nossa valeu eu nem sei que dizer-Disse emocionada.


-Ah você sabe não é que é minha melhor amiga –Ela disse chorando e nós nos abraçamos outra vez.


-Sei e você também sabe que é a minha não é?-Disse secando suas lagrimas.(aiii gente quero aproveitar esse momento de amigas e dizer que amo muito as minhas Clau ,liza e Nathy eu amooo vcs)


-Amor já vai bater o sinal –Chet disse logo atrás da gente interrompendo nosso momentos de friends (Tradução “Amigas’’)Nos duas nos viramos para ele ao mesmo tempo sorrindo e secando nossas lagrimas,Chet riu e estendeu a mão para Cris.


-Vamos?- Ele perguntou novamente.


-Vamos- Ela respondeu rindo,pegando na mão de Chet e com a outra ela enganchou em meu braço,e fomos os três juntos para as nossas salas.


No corredor o que era esperado aconteceu Cris e Chet foram os centro das atenções e eu junto de cobaia,mais não me importei nem um pouco muito menos Cris que estava mais confiante e decidida do que nunca,não havia mais motivo pra se esconder ela gostava de Chet e os dois estavam juntos,a ex garota que antes era completamente invisível com um dos garotos mais populares da escola ou pelo menos melhor amigos deles.


No fim Chet foi para sua sala e eu e Cris fomos juntas para nossa aula de Geografia com o professor Norton.


Chegando lá nos deparamos com a Diretora Tanya com uma cara abatida esperando impaciente a entrada de todos os alunos que estavam ansiosos pra saber o motivo que levou a diretora vir até nossa sala.


Quando todos os alunos aparentemente já estavam em seus lugares a diretora começou a falar.


-Bem vocês todos devem saber os motivos que levou o professor Norton a se ausentar pela primeira vez em 25 anos de Carreira- Tanya pausou por alguns instantes buscando forças para continuar e prosseguiu- Pois bem,é como muita tristeza que venho aqui lhes da essa noticia,mais infelizmente hoje as uma da manhã o professor Norton que havia dando entrada no hospital com ferimentos graves por todo o corpo acabou falecendo-A diretora terminou de falar com os olhos vermelhos e todos os alunos ficaram chocados,alguns deles ainda abalados com o peço da noticia começaram a chorar na mesma hora e os outros tentaram servir de consolo.


-Pessoal,Pessoal se acalme eu sei que isso é muito difícil mais precisamos ser fortes- A diretora pediu tentando ao Maximo conter as próprias emoções –Bem diante disso a direção solicitou que despenássemos vocês mais cedo,e causo alguns queiram participar do velório hoje a tarde e do enterro amanha é só passar na diretoria que estará a disposição hoje o dia inteiro e amanhã também não haverá aula,bem eu acho que isso é tudo então se me dão licença- Tanya disse e se retirou da sala de cabeça baixa.


-Ah meu deus eu não posso acreditar que o professor Norton morreu- Cris disse ao meu lado completamente chocada


-Eu também não Cris isso tudo é muito triste- Disse a ela enquanto pegávamos nossas mochilas e saiamos da sala encontrando Chet logo depois.


-Vocês vão ao velório? -Chet perguntou com a voz tristonha.


-Eu acho que vou sim mais antes quero dar uma passadinha em casa pode ser?- Cris respondeu.


-Claro,Claro eu te acompanho -Ele disse.


-E você Kero vem junto?-Cris perguntou.


-Eu acho que não ...é melhor eu ir para casa minha mãe não está muito bem-Disse preocupada –Mais amanhã que sabe eu dou uma passadinho no enterro ta legal?


-Ok tchau amiga e qualquer coisa me liga ta- Cris disse me abraçando.


-Tchau Kero – Chet se despediu.


-Tchau -Disse me encaminhando para fora do colégio,e lá fora no estacionamento avisto Sarah me olhando culpada- Passo por ela fingindo indiferença por que se resolve enfrenta -lá agora não ia sair coisa boa e aqui não era a hora e nem o melhor lugar para termos nossa conversa.


Adentrei então na grade floresta ruma a minha casa e no percurso sinto algo estranho como se alguém estivesse me seguindo e o mais estranho é que de forma alguma conseguir detectar cheiro ou pensamentos.


Parei por uns instante com a respiração ainda ofegante e olhei para todos os lados não havia nada,’’deve ser coisas da minha cabeça’’pensei comigo mesma e voltei a correr e do nada sentir meu corpo sendo arremessado com violência e minhas costas bater nas arvores que caíram com o atrito e ates mesmo que pudesse me levantar para me defender do inimigo invisível avistei o homem que mais odiava,aquele que fez minha mãe sofrer anos atrás a abandonando para ser morta no meio do nada.


-O que você faz aqui?-Rosnei me levantando para ficar em posição de ataque, Josh não se mexeu e continuou com um sorrisinho sínico nos lábios.


-Ué eu vim visitar minha querida netinha,por que não posso?-Ele perguntou ainda rindo.


-Eu não sou sua neta- Esbravejei.


-Tem razão você não é,Aliais um homem como eu jamais teria uma neta selvagem e tão mais agradecida como você- Respondeu.


-Vai embora- Gritei ignorando seu comentário.


Josh fechou a cara e venho em minha direção.


-Não sem antes pegar o que eu quero –Ele disse tentando me agarrar .


-Me solta,Me solta -Comecei a gritar desesperada tentando me livrar do seu aperto de aço.


-LARGA ELA –Ouvi alguém gritar logo atrás da gente e quando tentei me virar para ver que era Josh me soltou e eu cai no chão.


-Ora,ora parece que você trouxe a amiguinha –Nessa hora senti meu corpo tremer e quando me viro me deparo com Sarah,’’Droga o que ela faz aqui’’.


-Sarah vai embora –Pedi gemendo de dor.


-Não eu vou ficar...e não saiu daqui sem você Keroline –Ela respondeu convicta.


-Ah por favor não me façam rir com esse teatrinho idiota –Josh disse.


-Sarah isso é muito perigoso esse homem pode lhe fazer mal –Implorei a ela.


-Eu não vou te deixar Keroline não adianta insistir –“”Eu sei que eu errei,e fiz coisas horríveis contra você,e eu entenderei que possa não me perdoar mais não vou deixar ele te fazer mal,por que queira ou não queira somos uma família e é assim que eles agem protegem uns aos outros’’Sarah disse através dos pensamentos me deixando sem palavras.


-Pois bem mocinha sinto lhe informar que terá que ficar aqui sozinha por que eu e Keroline já estávamos de saída- Josh disse educadamente e agarrou novamente o meu braço-Não é mesmo minha querida?


-Eu já disse pra soltar ela- Sarah gritou mais dessa vez era de desespero por que mesmo se ela quisesse era completamente impossível vencermos Josh um vampiro forte e muito mais experiente do que nos duas juntas.


Josh então soltou meu braço mais não em sinal de rendição,mais sim para ir atrás de Sarah e na hora minha única reação foi chamar sua atenção para mim novamente-Deixa ela em paz seu problema é comigo -Gritei.-E parece que funcionou por que Josh parou na mesma hora e voltou para o meu lado.


-Você tem razão eu não tenho tempo para bobagens,afinal o velório daquele professorzinho idiota não vai durar muito tempo- Ele disse me deixando chocada,quer dizer que o professor Norton havia sido assassinado por ele.


-Eu não acredito você matou meu professor...


-Que matou o que garota,eu só dei um susto no cara e a culpa não é minha que ele teve um infarto.-Ele disse com desdém- Humanos fracos como mosca morta.- Debochou.


-Você é um assassino -Rosnei


-Ah pare com isso menina agora chega de lenga,lenga e vamos embora.


-O que?não você não pode me seqüestrar –Gritei desesperada vendo o plano formado em sua cabeça.


-Exatamente –Ele me fitou –Pelo visto você é mais inteligente do que aquela burra da sua mãe.


-Não fala assim dela você não tem esse direito.-Esbravejei.


-Cala sua boca eu já perdi muito tempo com você- Ele agarrou meu braço com força mais foi interrompido por um grande rosnado que vinha de dentro das arvores.


-Mais que diabos é isso –Josh exclamou quando viu o grande lobo cor de areia preste a ataca -ló.


-Seth –Gritei para ele quando avançava em Josh com muita brutalidade que foi arremessado metros a frente,Sarah correu mais não consegui se aproximar de mim por que nos duas estávamos de lados opostos quando a luta começava,nessa hora Josh se levantou sem o mínimo esforço e partiu pra cima de Seth que tombou contra as árvores e ficou desacordado.


-Seth –Grite em pânico indo ao seu encontro mais fui impedida pelos braços ágeis de Josh que me arrastaram dali.


-Seth,Seth me solta seu canalha me solta- Comecei a gritar mais infelizmente já era tarde.

 
‘’E agora o que vai ser de mim?’’



Pov de Sarah.
Como eu pude ser tão idiota,não infantil eu tenho que concertar tudo isso.


-Sefane hoje eu vou ficar na sua casa ta legal? –Perguntei a ela quando entravamos no seu carro um i30 azul.


-Beleza,mais por que não foi junto com sua irmã e a lambisgoia,Aliais eu ainda não entendi o que ela foi fazer na sua casa,nem eu vou lá- Sefane respondeu magoada.


-Eu já disse ela é amiga da família –Falei ríspida.


-Tah,tah foi mal,mau humorada não ta mais aqui quem falou- Sefane disse e ficamos em silêncio por um tempo.


-Me desculpa ok,eu só não to legal –Falei sinceramente e Sefane riu balançando a cabeça com um sim,e eu acabei rindo junto,Era quase que impossível ficar brava com ela muito tempo,Sefane era do tipo de garota que fazia o que desse na telha,mais sempre foi uma grande amiga.


-Ta legal garotas agora alguém aqui pode me dizer aonde foi parar Maria? –Gloria perguntou se inclinando para frente no banco de trás.


-Eu não faço a mínima idéia –Admiti.


-Aé não vai me dizer que não sabe que Maria ta pegando o Beto? –Debochou Sefane.


-Disso eu sei né,mais o que tem a ver com ela não ter vindo a aula hoje ?- Perguntei.


Sefane simplesmente não disse nada e só levantou a sobrancelha como se tivesse deixado passar o obvio.


-Não acredito –Glória exclamou no banco de trás com a boca aberta.


-Você por acaso está insinuando que a Maria não venho para escola por que está com ele? –Perguntei a ela.


-Eu não estou insinuando nada é só vocês verem o obvio- Disse –Maria conseguiu finalmente pegar o Beto o garoto por quem ela era louca,os dois ficam na frente de todo mundo e faltam no dia seguinte,ta na cara que eles estão aprontando –Argumentou.


-Gente é sério eu não posso acreditar que a Maria com aquela cara de santinha fosse tão rápida.-Gloria disse chocada.


-Só se for a cara por que de santinha a Maria não tem nada –Sefane garantiu –Até eu sou menos safada que ela.


-Ata isso é impossível Sefane –Disse rindo.


-Tah,tah eu confesso eu sou bem pior –Ela se rendeu.


-Por falar nisso garota e o bonitão do Dom ta no papo ? –Gloria perguntou animada e eu revirei os olhos.


-Ah menina nem me fale parece que o Dom é realmente caidinho pela Lenn –Sefane admitiu desepcionada.


-O que o galinha do Dom,amarrado a alguém,ah conta outra Sefane –Debochou Gloria.


-Eu to falando sério miga,eu até que tentei algo a mais –Sefane disse Séria –Mais foi só um garoto se aproximar dela pra ele sair correndo feito cachorrinho.


-Ah vem cá Sefane não vai me dizer que ficou bolada? –Perguntei –Você não ta apaixonada por ele né?.


-Mais é claro que não Sarah da onde você tirou isso?- Ela riu.


-Ué pelo modo que disse parecia.-Observei.


Sefane pensou por alguns instantes e começou a falar.


-Não é isso,eu só...queria que alguém me amasse,sacou? Mais amasse de verdade do tipo para vida inteira –Sefane confessou e no banco de trás Gloria caiu na gargalhada e eu fiquei calada com aquelas palavras,por que no fundo eu queria a mesma coisa na verdade todas nos queremos.(n/a:eu tb quero rsrsr)


-Qual é a graça em Glória –Sefane perguntou magoada e Glória parou de rir no mesmo estande.


-Foi mal amiga eu só fiquei impressionada,eu nunca havia visto você falar assim,logo a garota que não se apega a ninguém e vive a vida com pura curtição –Disse Gloria sinceramente.


-Eu sei na verdade eu nunca quis se assim –Admitiu Sefane baixinho.


-Como? –Perguntei confusa.


-É complicado...eu era uma garota boa,estudiosa e podem duvidar eu era tímida –Sefane parou por um tempo e percebi que estava com os olhos vermelhos –Eu era educada,do tipo de garota que toda mãe e pai iria querer como filha –Ela continuou – Mais conforme eu foi crescendo e percebendo que meus pais não davam a mínima pra mim,quer dizer...papai ta sempre lá no escritório cuidando de processos,papeladas ...já mamãe- Sefane parou novamente e limpou algumas lagrimas traiçoeiras que escorriam pelo seu rosto mais depressa –Mamãe bom...essa vive em salões,spas e em chás com aquelas amigas dela granfinas ou em casa reclamando de dor de cabeça sempre quando eu quero conversar –Sefane balançou a cabeça tristonha e eu e Gloria nos mantemos caladas –Então eu resolvi criar problemas,Festas,Bebedeiras,Pegações do tipo de coisas que pais de verdade se importariam,dariam sermões longos,deixariam de castigo mais se importariam –Sefane começou a chorar e parou o carro na frente da sua mansão.


-Amiga não fica assim nos estamos com você –Gloria a consolou pegando em seu braço –Para sempre –Completou.


-Gloria tem razão sempre iremos estar juntas para o que der e vier –Disse para Sefane começando a chorar o que era raro,eu nunca havia chorado na frente delas,na verdade sempre manti a posse de durona,mais diante daquelas palavras de Sefane que me atingiram em cheio,foi que eu vi a burrada que tinha feito,e pior contra minha família,contra a minha mãe,eu era um mostro como fui capaz disso,e agora como vou olhar para mamãe e dizer que fui egoísta e afastei Renesmee dela.


-Brigada meninas eu amo vocês –Sefane disse emocionada me tirando dos meus pensamentos –vem vamos entrar a casa ta vazia –Ela nos convidou.


Saimos do carro juntas e fomos nos três abraçadas para dentro.


-Meninas vocês vão querer o que?suco,refri,café,água ou alguma coisa pra comer?- Sefane perguntou enquanto nos acomodávamos na grande sala.


-Só se for salada –Gloria disse –To de regime –Ela esclareceu depois e eu ri a final nunca precisei disso,essa era umas das vantagens em ser vampira ou melhor metade.


-Ta legal,mais que tal uma maça é bom e não engorda – Sefane propôs.


-Perfeito –Gloria aceitou.


-E você Sarah vai querer uma maça também?- Sefane perguntou para mim.


-Não,não –Respondi apenas.


Depois da maça Sefane resolveu colocar um filme para assistimos e o escolhido foi Plano de vôo que não preciso nem dizer que ele me deixou abalada,aquela historia de mãe e filha,ta certo que não era o mesmo caso da mamãe e Renesmee,mais no fundo a moral era a mesma ‘’uma mãe nunca desiste de seu filho’’.


Nessa hora meu celular começou a tocar.


-Meninas eu já venho –Disse indo para o jardim do fundo e quando vi no visor quem ela meu coração parou.


-Mãe –Atendi o celular.


-Sarah quero que venha para casa precisamos conversar–Pediu –Seu pai esta indo te buscar –Disse e desligou.


Eu voltei correndo pra sala pra me despedi com o coração na mão,eu estava sinceramente com muito medo.


-Meninas eu tenho que ir meu cunhado ta vindo me buscar.-Disse a elas e Gloria se animou.


-O que aquele bonitão? –Gloria perguntou ajeitando o cabelo,ela não mudava mesmo sempre fora louquinha pelo Edward.


-É sim,to indo tah garotas –Disse rapidamente e saindo sem dar oportunidades para ela.


-Calma ai Sarah me apresenta pra ele...-Ouvi ela tentando dizer mais já estava no lado de fora e não demorou muito para eu avistar a volvo prata do papai.


Ele parou bem ao meu lado e abriu a porta do passageiro para eu entrar e assim o fiz sem dizer nenhuma palavra e ele também não se incomodou em dizer nada,devia ter sido um pedido de mamãe deduzi,e pelo canto do olho percebi uma inotável balançada de cabeça em confirmação a minha teoria.


Durante todo o percurso eu não olhei para ele estava envergonhada demais para isso então tudo que fiz foi olhar para fora observando os mínimos detalhes que passava em alta velocidade,mesmo assim pude senti o olhar duro de Edward sobre mim,eu me calei,merecia isso.


Não demorou muito para chegarmos em casa,papai saiu rapidamente do carro ainda calado e eu o segui de cabeça baixa entrando em casa e me deparando com olhares duros para mim,a única que não se encontrava na sala era mamãe,e eu estranhei.


-Ah ai está você garotinha –Rosalie rosnou espumando de raiva- Como foi capaz de dizer aquelas blasfêmias sobre nos para a nessie?


-Rose se acalme.-Vovó pediu.


-Rose eu sei que ela errou mais tenho certeza que Sarah está arrependida não é querida –Tia Alice me defendeu.


-Rose agora não ta legal,Sarah errou sim mais nada de violência – Papai advertiu olhando friamente para Rosalie e eu gelei na certa ela estava pensando em algo como me bater só pode.


-É o que ela merecia,levar umas boas palmadas para aprender a não ser egoísta –Esbravejou Rosalie que estava sendo segurada por Emmett.


-Emmett é melhor levar Rosalie daqui ela está muito exaltada e pode fazer bobagens –Vovô pediu.


Rosalie se soltou de Emmett e saiu pela porta mais não sem atés dizer algo a mais para mim.


-Se perdemos a nossa menina você me paga –Ela disse por fim e saiu com Emmett logo atrás que me olhava tristonho.


-Edward,Carlisle,Esme,Jasper e Alice vocês poderíamos deixamos a sós quero conversar com Sarah –Mamãe pediu educadamente descendo as escadas.


-Claro Bella –Vovó respondeu.


-Qualquer coisa é só nos chamar –Vovô completou e saiu da sala ao lado da vovó.


-Vamos Alice?-Jasper perguntou.


-Claro,claro –Ela disse excitante olhando pra mim mais também saiu.


-Edward? –Mamãe perguntou.


-Bella você tem certeza que quer fazer isso sozinha –Perguntou.


-Tenho por favor,quero conversar com minha filha a sós –Ela pediu.


-ok então qualquer coisa me chame –Ele disse sem ao menos olhar pra mim.


-Sarah pode me seguir –Mamãe pediu e eu fui atrás dela até a porta do quarto que nunca havia entrado,o quarto que minha mãe matinha intacto,ao qual entrava todo dia o quarto de Renesmee.


Ela entrou e fez um gesto para que eu a seguisse sentando logo em seguida na grande cama branca com detalhes em rosa.


-Ta vendo esse é o quarto que você sempre me pediu pra entrar –Ela me lembrou sorrindo e eu sorri também o admirando mais atentamente.


-Filha –Ela começou –Eu sei que pude ter falhado as vezes com você ou deixado....


-Mãe você não vez nada de errada –A interrompi chorando.


-Então por que fez aquilo,por que disse todas aquelas mentiras ?–Ela perguntou tentando entender.


-Por ciúmes mãe e por medo –Eu admiti secando minhas lagrimas e a fitando.


-Medo do que querida?- Ela me perguntou confusa.


-Medo de perder minha família,medo de te perder,mãe eu não ia agüentar ver ela ocupando o lugar que sempre foi meu....eu...não ia.


-Sarah,Sarah para, isso é uma tremenda bobagem o meu coração pertence as duas eu sempre vou amar você,aliais eu sempre te amei desde o dia que pus meus olhos em você eu decidi que seria minha filha a menininha que ia amar e cuidar pelo resto da vida-Ela acariciou meu rosto –Mais também posso amar Renesmee,aquela que foi tirada de mim cruelmente a qual não tive a oportunidade de dar todo o amor que queria dar-Ela abaixou a cabeça.


-Mãe me desculpa,me desculpa –Implorei abraçando-a.


-É claro que te desculpo meu amor,e quero que saiba que coração de mãe é enorme e extremante capaz de guardar dentro dele todos os filhos e sem exceções- Ela riu.


-Mãe o que eu vou fazer pra concertar tudo isso? –Perguntei desesperada.


-Faça apenas o que seu coração mandar meu anjo –Ela respondeu simplesmente e me aconchegou mais em seu colo me fazendo deitar por inteiro na grande cama recebendo seus carinhos até cair na inconsciência.


Acordei com sol tocando meu rosto e percebo que passei a noite inteira no quarto de Renesmee com mamãe do lado que sorriu quando abri os olhos.


-Bom dia dorminhoca –Mamãe falou.


-Bom dia –Respondi sorrindo –Que horas são? –Perguntei preocupada.


-São horas de você acordar e ir pra escola –ela respondeu rindo e eu levantei correndo para tomar banho mais parei no meio do caminho.


-Acho melhor eu tomar banho no meu quarto –Me corrigi rapidamente.


-Não precisa querida pode tomar banho aqui,o chuveiro funciona perfeitamente,e na questão de roupa não se preocupe Alice já aprontou um look perfeito para hoje como ela mesmo disse –Mamãe revirou os olhos.


-Tem certeza mãe eu não acho que seja uma boa idéia esse é o quarto de Renesmee –Argumentei.


-Eu sei mais por que não,agora anda vá se não você vai se atrasar para escola –Ela advertiu depois riu me dando uma beijo na testa –Te espero lá embaixo pro café da manhã –Disse e eu acenti.


“Como eu pude ser tão idiota,não infantil eu tenho que concertar tudo isso’’Pensei comigo mesma durante o banho,depois coloquei a roupa linda que Alice havia separado pra mim e desci para o café.


A casa estava silenciosa mais no caminho encontrei a tia Alice que me deu um enorme abraço e Jasper que me desejou bom dia depois logo a frente avistei vovó que conversava com mamãe e notei que nem Rosalie e nem Emmett se encontravam e me senti aliviada.


-Oi Vovó –Disse indo abraça -lá.


-Oi meu anjo.


-Cadê o pai? –Perguntei para mamãe.


-Ele está lá fora filha esperando por você.


-Por mim –Perguntei em pânico.


-Se acalme meu amor seu pai só que conversar –Vovó me tranqüilizou.


-ok então eu vou indo,tchau vó tchau mãe –Me despedi das duas.

-Calma ai mocinha tome seu café primeiro seu pai pode esperar –Mamãe advertiu.


-Não dá mãe eu não vou conseguir comer nada –Admiti.


-Certo,certo então leva pelo menos uma maça –Ela pediu.


-Ok –Disse pegando uma e saindo de casa.


-Pai? –Chamei do lado de fora avistando ele olhando o rio mais a frente eu então me aproximei e ele se virou para me fitar com as mãos no bolso.


-Sarah pode ficar tranqüila eu não vou lhe dar nenhum sermão –Ele me tranqüilizou.


-Não vai? –Perguntei confusa.


-Não –Ele respondeu sorrindo torto.


-Mais eu pensei....-Comecei a dizer e ele me cortou.


-Filha eu não nego que ontem estava muito zangado com sua atitude mais entendi que o melhor de um erro é sempre depois você fazer a coisa certa –Ele esclareceu –E a coisa certa nesse momento e eu te dizer que Te amo filha e sou capaz de dar até minha própria vida pela sua –Ele disse sério e eu fiquei sem palavras.


-Pai...-Fui abraçá-lo chorando –Me..des..culpa –Tentei dizer soluçando.


-Shhh não diga nada só faça o que tem de fazer –Ele disse –Agora é melhor você ir eu vou te levar.


-Obrigada –Agradeci secando as lagrimas.


Papai então me levou até o colégio e saiu rapidamente talvez por medo de encontrar Keroline que pediu um tempo a eles pra concertar a burrada que eu fiz imagino.


Chegando lá encontrei as garotas que começaram a fofocar sobre uma tal de Cris e Chet que estavam namorando mais eu não me importei e tratei logo de ir para sala.


Minha primeira aula seria inglês,mais parece que um professor de Geografia faleceu e fomos dispensados hoje e amanhã-Não havia duvida hoje seria a única forma fácil de falar com a Keroline,sai da sala apressadamente e fiquei no estacionamento a sua espera.


Depois de alguns segundos eu a avistei ela saindo sozinha e apresada e nem sequer se deu o trabalho de me olhar,supôs então que não queria conversa e decidi segui - lá até um lugar mais afastado seria o melhor.


-Sarah aonde você vai ?–Sefane perguntou quando estava me afastando –A gente vai ao velório você não vem?.


-Não,não eu tenho que ir a outro lugar –Esclareci e voltei a andar e graças a deus ela não disse mais nada.


Segui agora o cheiro da Keroline por que ela já havia sumido floresta adentro,mais não pude correr muito ela provavelmente sentiria minha presença decidi ter calma e quando enfim a encontrei algo me chocou,Keroline não estava só mais tinha um vampiro com ela que estava tentando agarra - lá na hora fiquei desesperada o que eu ia fazer para ajudar,correr e chamar ajuda,não isso não daria certo e se ele a machucasse ou coisa pior eu não podia deixar.


-LARGA ELA –Gritei e ele a soltou surpreso com a minha presença.


-Ora,ora parece que você trouxe a amiguinha -Falou ele e Keroline virou para trás pra me olhar e sua expressão foi de pânico.


-Sarah vai embora –Pediu ela gemendo de dor.


-Não eu vou ficar...e não saiu daqui sem você Keroline- Disse convicta.


-Ah por favor não me façam rir com esse teatrinho idiota- Ele zombou.


-Sarah isso é muito perigoso esse homem pode lhe fazer mal- Keroline me implorou novamente.


-Eu não vou te deixar Keroline não adianta insistir –disse a ela e depois através dos meus pensamentos transmiti ”Eu sei que eu errei,e fiz coisas horríveis contra você,e eu entenderei que possa não me perdoar mais não vou deixar ele te fazer mal,por que queira ou não queira somos uma família e é assim que eles agem protegem uns aos outros’’disse sinceramente.


-Pois bem mocinha sinto lhe informar que terá que ficar aqui sozinha por que eu e Keroline já estávamos de saída- Disse o vampiro pra mim se fingindo de educado e depois agarrou novamente o braço dela -Não é mesmo minha querida?


-Eu já disse pra soltar ela- Eu gritei mais dessa vez foi de desespero por que mesmo se eu quisesse era completamente impossível vencermos ele que devria ser mil vezes mais forte do que nos duas juntas.

O vampiro então a soltou e começou a vir na minha direção,eu fiquei em choque sem reação mais foi Keroline quem me salvou -Deixa ela em paz seu problema é comigo –Ela gritou.-E parece que funcionou por que ele parou na mesma hora e voltou para o seu lado.


-Você tem razão eu não tenho tempo para bobagens,afinal o velório daquele professorzinho idiota não vai durar muito tempo- Ele disse.


-Eu não acredito você matou meu professor...-Keroline exclamou chocada e minha ficha caiu que dizer que ele havia matado o tal professor Norton,mais por que?.


-Que matou o que garota,eu só dei um susto no cara e a culpa não é minha que ele teve um infarto.-Ele disse com desdém- Humanos fracos como mosca morta.- Debochou.


-Você é um assassino –Ela rosnou


-Ah pare com isso menina agora chega de lenga,lenga e vamos embora.-Ele se inrritou.


-O que?não você não pode me seqüestrar –Keroline começou a gritar desesperada.

-Exatamente –Ele disse–Pelo visto você é mais inteligente do que aquela burra da sua mãe.


-Não fala assim dela você não tem esse direito.-Keroline esbravejou.


-Cala sua boca eu já perdi muito tempo com você- Ele agarrou novamente seu braço mais foi interrompido por um grande rosnado que vinha de dentro das arvores.


-Mais que diabos é isso –Ele exclamou quando viu o grande lobo cor de areia preste a ataca -ló.’’Meu deus é o Seth’’


-Seth –Keroline gritou para ele quando avançava no vampiro com muita brutalidade que foi arremessado metros a frente,Eu corri pra tentar me aproximar de Keroline e ficar junto dela mais foi impossível por que nos duas estávamos em lados oposto e no meio acontecia a briga.


O vampiro então se levantou e partiu pra cima de Seth que tombou contra as arvores e ficou desacordado,eu então corri pra ajuda -ló.


-Seth,Seth acorda,acorda –Comecei a gritar desesperada e tudo que ouvi foi Keroline gritar em pânico e do nada desaparecer dentre as árvores –Ah me deus,ah meus deus KEROLINE,KEROLINE.-Comecei a gritar e correr atrás de algum rastro mais nada Keroline havia desaparecido completamente.


Voltei correndo pra ver como Seth estava e me deparei com ele no chão já na forma humana.


-Seth,Seth você está bem ?–Foi ajuda –ló a se levantar evitando ao Maximo olhar para baixo.


-Sarah cadê ela ,CADÊ A KEROLINE ?–Ele começou a gritar tremendo descompensadamente.


-Ele a levou e não há nem cheiro e nem vestígios dos dois- Respondi chorando de cabeça baixa.


-O QUE NÃO,NÃO...-Eu me afastei por que do jeito que ele estava ele ia se transformar e não demorou muito,Seth virou um grande lobo cor de areia e adentrou na floresta atrás de Keroline.


-Seth espera –Tentei impedi –ló mais já era tarde e minha única reação foi correr o mais rápido possivél para casa avisar mamãe e todos os outros.


No percurso bati em vários lugares do tamanho pavor que estava mais em fim cheguei em casa.


-MÃE,MÃE –Comecei a gritar do lado de fora sem forças para correr mais.


Mamãe e todos os outros saíram assustados de dentro da mansão.



-Filha o que aconteceu –Mamãe perguntou em pânico e tudo que conseguir fazer foi mostrar a papai toda a cena e o vampiro que havia levado Keroline.

-O QUE EU NÃO ACREDITO QUE AQUELE CRETINO DO JOSH VOLTOU E LEVOU KEROLINE COM ELE –Papai gritou completamente enfurecido e desesperado.


Olhei pra mamãe e ela estava em choque,e agora o que vai ser?



                      
By:natineces

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados