Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

MUSICA DA SEMANA 18/12

Essa música eu dedico ao Loanilson
23 de Novembro 
  Hoje eu parei pra escutar meu coração

Que só fala de você desde quando eu te vi

Hoje as lembranças já fazem parte dessa canção

Que eu escrevi só pra você



Nós vamos estar

Juntos mesmo quando não estamos perto

Já não importa mais o que ficou pra trás

Agora é só eu e você

Venha e me mostre como tudo deve ser

Marcou minha história mesmo sem querer

Como tudo deve ser



Eu nunca achei alguém pra ser feliz

Mas em você tem algo que me diz

Que tudo vai ser bem melhor pra mim



E você vem em câmera lenta

Agora sua imagem fica em minha cabeça

Por nós dois, eu faço tudo



Nós vamos estar

Juntos mesmo quando não estamos perto

Já não importa mais o que ficou pra trás

Agora é só eu e você

Venha e me mostre como tudo deve ser

Marcou minha história mesmo sem querer



E eu não vou mentir

Não vou mudar aquilo que eu sinto

Não vou mentir



Nós vamos estar

Juntos mesmo quando não estamos perto

Já não importa mais o que ficou pra trás

Agora é só eu... e você

Venha e me mostre como tudo deve ser

Marcou minha história mesmo sem querer


23 de Novembro

Nós vamos... estar

Juntos mesmo quando não estamos perto

Já não importa mais o que ficou pra trás

Como tudo deve ser...

Como tudo deve ser.

capítulo 9-Aliados

Pov Keroline 
Minha verdadeira família.

Olha como era as coisa,um dia eu Era Keroline filha de Erick e Renesmee e neta de Keroline e do meu terrível avô Josh e no outro simplesmente descobria que era neta de Edward e Isabella os verdadeiros pais de minha mãe ao qual teve sua Infância roubada a muitos anos,era tão estranho isso que quando meu amado Seth me contou eu fiquei totalmente sem reação sem conseguir me emocionar,rir ou chorar tudo que sentia era medo e confusão.


Mais como seria na frente da realidade,sim por que nesse exato momento Seth e eu estávamos em sua moto a caminho da casa dos Cullens minha verdadeira família.


Mil coisa passavam na minha cabeça-perguntas que teria que ser respondidas a qualquer custo mais eu não podia deixar de imaginar como seria reação de mamãe , com certeza isso seria um assunto delicado que eu teria que saber como contar ou até como provar estar falando a verdade.


-chegamos amor –Seth disse interrompendo meus pensamentos e me trazendo de volta a realidade.-vai ficar tudo bem minha boneca eu estou com você.


Eu respirei fundo desci da moto com sua ajuda e caminhei até a entrada da grande mansão.


-Tem certeza que eles estão ai? –Perguntei excitante em entrar mais na realidade eu sabia perfeitamente a resposta por que eu podia ouvir alguns pensamentos e todos eles estavam extremamente ansiosos em me ver.


-Estão sim Keroline,na realidade eles sempre estiveram –Compreendi perfeitamente o que Seth queria dizer e criei coragem para entrar por que assim como eu essa situação era também extremante delicado para eles.


Seth pegou na maçaneta da grande porta e a girou demoradamente como se soubesse perfeitamente que esse tempo poderia ser mais que precioso para mim e realmente era.


A porta se abriu e agora eu não podia mais fugir-minha realidade estava aqui.


-vem meu anjo –ele me estendeu a mão e eu a peguei como se eu fosse a qualquer momento desabar sem seu apoio.


Então eu os vi,todos eles e percebi o quão bonitos e grande era aquela família,família a qual tinha sido roubado da minha mãe e que agora tudo que mais queria era reparar esse dano,e teria de ter força por que faria de tudo para a felicidade da pessoa que mais amo,minha mãe.


-Keroline...-sussurrou a mulher que aquele dia estava em frente a minha escola e agora diferentemente eu não a via mais como uma estranha eu a via como minha vó,minha vó Isabella.


Eu olhei para baixo tentando clarear meus pensamentos e sem conseguir evitar as lagrimas desceram,e percebi ela se aproximar mais somente ela,era como se os outros soubessem que esse primeiro momento tinha que ser o nosso.


Ela chegou até mim e eu levantei meus olhos para fita-lá e tudo que conseguir dizer foi.


-vovó...-então enlacei meu braços em sua volta num aperto misturado de pura felicidade por estar aqui,dor pelo tempo perdido e alegria de ser quem eu sou,uma Cullen.


-ah keroline como esperei por esse momento, eu te amo, minha neta eu te amo-Ela disse não se contendo de tanta emoção.


Eu não conseguia dizer mais nada nem uma palavra se atreveu a sair da minha boca e tudo que tinha era lagrimas e lagrimas e uma vontade imensa de ficar para sempre ali junto dela,seu abraço era reconfortante e de uma maneira extremante familiar era como o abraço de mamãe.


Bella então se separou de mim mais não me largou nenhum estante procurando de alguma maneira sempre manter contato físico como se a qualquer momento eu fosse fugir dali e eu entendi sua reação por que eu me sentia exatamente da mesma forma,como se tudo aquilo fosse um sonho,apenas um sonho e que a qualquer momento eu iria acordar e ia voltar a minha realidade,mais não, eu não queria por que a minha realidade estava aqui na minha frente junto a eles junto aqueles que me amam mais que tudo,então finalmente os outros começaram a vir.Primeiro o Homem de cabelos dourados que devia ser Edward meu avô,depois uma moça linda talvez uma das mais bonitas que já vi sem aproximou me abraçando tão intensamente que pude senti qual era o tamanho da sua dor ‘’olá meu anjinho eu sou Rosali’’ela disse delicada,eu sorri e ainda com muitas lagrimas o abracei novamente e percebi que ali também me sentia segura,depois venho um homem muito grandão porém sorria feito um menino me abraçou com tanta força que me senti sufocada,mais não me importei nem um pouco por que gostava daquilo,’’Emmett agora é minha vez’’disse uma linda mulher com expressões delicadas que me abraçou amavelmente como se eu fosse a qualquer momento quebrar,’’olá querida eu me chamo Esme sou sua Bisavó’’era riu como se não acreditasse que tudo aquilo fosse realidade e na verdade nem eu por que agora eu tinha além de avós e tios também tinha bisavós.’’seja bem vinda eu sou o Carlisle o seu bisavó’’um homem extremante bonito me abrasou e eu vi o quanto tinha sorte de ter uma família tão linda que até meus bisavós parecia deuses,ao pensar nisso reparei pelo canto do olho que vovô riu e me lembrei que Seth havia me dito que ele lia mentes assim como eu o que fez eu desvendar a origem de uns dos meus dons.


‘’eu não acredito, isso parece um sonho,você é uma perfeita bonequinha Seth tinha toda a razão’’Disse uma baixinha de cabelos repicados e linda igual uma fadinha vindo me abraçar saltitante.


‘’olá Keroline eu sou o Jasper’’ uns dos últimos deles me cumprimentou e senti uma imensa paz era como se toda agonia e a confusão tivesse ido embora.E é claro que sabia da onde isso tinha vindo era dele do Jasper.


Depois de todos os abraços pude perceber que Sarah estava presente e mesmo me sentindo estranha evitei falar qualquer coisa afinal esse era o meu momento e eu não iria estraga -ló.


Tudo parece mágico eu não tinha palavras as lágrimas falavam por si só, como a vida nos prega peças não é,emoções tão forte como essa eu nunca imaginei sentir estar aqui nos braços de estranhos que na realidade era minha Família.


‘’te amo’’Seth sussurrou.


‘’Eu também te amo muito’’eu o abracei.’’obrigado Seth por ter me trazido até minha família’’olhei para todos eles que sorriam abraçados de felicidade’’para minha verdadeira família’’completei aos soluços.


Dali em diante todos eles me fizeram muitas perguntas e quiseram saber detalhes por detalhes de toda a minha vida que fiz questão de mostrar passo a passo por meio do dom que herdei de mamãe.


-Oh meu deus como nossa meninha está linda-Exclamou Rosali alegremente.


-está sim,ela cresceu e virou uma linda mulher.-Bella sussurrou.-como eu senti saudades da minha filhinha.


-se acalme vovó eu lhe prometo que farei de tudo para aproximar vocês de mamãe-eu a lhe assegurei e ela me abraçou novamente.


-obrigado meu anjo,muito obrigado –ela beijou minha testa.


-Pessoal acho melhor Keroline ir,já está anoitecendo e não queremos que Renesmee mora de preocupação –Carlische disse sério.


-Você tem razão por mais que seja difícil Keroline tem que voltar para casa antes que Renesmee fique preocupada.-Esme concordou e vovó me abraçou fortemente.


-mais é tão difícil –ela exclamou.


-eu sei Bella mais é preciso,Keroline tem que ir para casa.-vovô disse.


-você vai voltar não vai?-ela perguntou ranceosa.


-vou sim vovó,vou sim -dei meu último abraço por aquela noite por que sabia que depois viríamos muito por que eu nunca mais iria me afastar deles,nunca.


Seth então me levou até em casa me prometendo que viria me buscar amanhã juntamente com vovó.


Cheguei em casa já estava preste a anoitecer,então subi as escadas bem devagarzinho pensando na tarde louca que tive hoje,como pode alguém ter descobrindo em tão pouco tempo que é amada por um batalhão de gente -sorri comigo mesma.


-Filha aonde você estava ?–Mamãe perguntou sonolenta saindo do quarto de Alexandre,provavelmente ela estava fazendo ele dormir como ela fazia comigo quando era pequena.


-Oh mãe você me assustou-Dei um pulo para trás e vi que ela não entendeu muita coisa afinal eu tinha uma ótima audição mais necessariamente hoje eu estava literalmente no mundo da lua. -Bem eu estava na casa da Cris - Menti me sentindo péssima mais era preciso e sabia que ela ia me perdoar mais tarde.


-Ok meu anjo mais agora vai dormir já está tarde e logo,logo seu pai vai chegar e ele não vai gostar nada,nada de saber que você chegou essa hora-Ela me advertiu.


-ok eu vou sim mais cadê o papai ?-Perguntei.


-Ele foi para Alemanha ao que parece seu tio Manuel precisava falar com ele –Ela se explicou provavelmente achando que eu ia chorar ou fazer birra por ele não ter me esperado pra ir junto ver tia Molli.


-Será que aconteceu alguma coisa?-Perguntei preocupada e minha mãe ficou espantada com minha reação.


-Não sei filha mais assim que Erick chegar eu pergunto mais vá logo se deitar por que amanhã você tem aula mocinha-Ela sorriu alegremente mais percebi seu cansaço e sabia que não adiantaria muita coisa pedir para ela também ir se deitar já que mamãe sente muita mais necessidade disso do que nós _Mais que convence essa cabeça dura que faz questão em dormir nos braços do papai todas as noites?.


Sorri com esse pensamento e fiquei super orgulhosa em saber como meus pais se amam,era lindo de ver o carinho que eles transpassavam um para o outro principalmente papai que ficava todo bobo perto de mamãe.


Então dei um beijo demorado em mamãe com mais empolgação do que de costume e fui me deitar afinal amanhã eu ia ver novamente vovó,vovô,meu Seth a Alice,Jasper,titia Rosalie....e cai na inconsciência.


Pov Indira.
Keroline por Keroline

-Você conhece esse homem?-Perguntei sem paciência mostrando uma foto de Josh para o décimo dono de hotelzinho de quinta aqui no Japão.Criativo né mais é isso mesmo eu acabei descobrindo através das minhas fontes que o idiota do Josh está hospedado num Hotel cifrem qualquer,agora eu te pergunto o que um vampiro faz morando no hotel,deixa eu ver,será que Dormindo?NÃO VAMPIROS NÃO DORMEM.Ou será que ele está com uma garota de programa?SÓ SE FOSSE PRA SUGAR O SANGUE DELA o que seria impossível afinal o paspalho é vegetariano e não daria uma mancada dessas.


-É ele tá aqui mesmo mais eu só digo em qual quarto se a gostosinha me pagar -O velho nojento de óculos me respondeu.


-Tá legal e quanto você quer?-Perguntei.


-Ah bonequinho não é de dinheiro que eu estou falando mais sim de outra coisa... –Ele disse me comendo com os olhos,que nojo quem ele pensa que é.


-Ah entendi e que tal você me da o numero do quarto e logo depois eu me acerto com você? - Perguntei sedutoramente para o velho babão,esse idiota me paga.


-Anão você vai fugir de mim.


-Fugir como só se eu pulasse da janela e eu não sou boba em nem nada pra fazer isso não acha?.


-É eu acho... mais olha aqui cachorra se você fugir ou tentar um gracinha eu te mato...ta me entendendo ?-Acenti fingindo pânico há isso vai ser melhor que eu imaginava,tadinho dele vai sofrer tanto hoje.


O velho babão então finalmente me deu o numero do quarto que ficava no ultimo andar daquela pocilga.


Toc Toc Toc


Bati na porta impacientemente.


-O que quer aqui?-Josh atendeu esfarrapado e de mal humor.


-Nossa que depre heim- Debochei e ele tentou fechar a porta na minha cara mais eu impedi e é lógico que a fraca porta de madeira cheia de cupins não resistiu por muito tempo e virou farelo.


-Satisfeita?-Ele perguntou indignado e foi para dentro do apartamento ignorando minha presença.


-Ainda não mais posso ficar se você aceitar minha proposta .-Disse séria deixando bem claro que não estava ali para brincadeiras.


-Não-Ele disse.


-Não o que?-Perguntei confusa.


-Não eu não aceito sua proposta -Respondeu simplesmente.


-Como não mais você nem sabe qual é...


-Eu já disse não agora de o fora daqui antes que eu me zangue.-Ele ameaçou.


-Eu não vou sair daqui enquanto você não me escutar-Disse Convicta.


-Ok se você não sai,então saio eu -Ele se preparou para pular da janela.


-E se eu disser que é sobre Keroline -Gritei.


Ele voltou rapidamente aparecendo na minha frente me fazendo dar alguns passos para trás.


-O que tem a Keroline?-Ele rosnou.


-Não é por causa da morte dela que você esta nessa situação -Disse.


-Você não tem nada a ver com isso e sugiro que de o fora garota.


-Tem razão eu não tenho nada a ver com sua Keroline mais tenho a ver com Renesmee- Exclamei.


-Eu não quero saber dela -Ele disse com desdém e foi para frente da janela com uma velocidade assustadora até para mim,mais dessa vez não para pular mais percebi que esse assunto havia o irritado.


-Tem certeza? –Perguntei –E se eu te disser que a garota que tirou a vida da mulher que ama está completamente feliz enquanto você está aqui chorando lagrimas de sangue.


Ele não disse nada e eu apenas continuei.


-Pense bem Josh quer mesmo a felicidade dela,quer que ela fique impune do que fez para você e a Keroline? –Perguntei atrás dele que ainda fitava a paisagem horrorosa dos becos pobres do Japão.


-Eu prometi que não encostaria a mão nela –Ele respondeu me deixando confusa –Você acha mesmo que já não teria feito isso antes ao Ives de simplesmente ter abandonado na floresta-Ele riu sarcástico.


-Ok mais e se eu te disser que ha outras maneiras de acabar com a vida de uma pessoa,e maneiras bem piores do que a morte do próprio.-Disse e percebi que ele ficou interessado em minha teoria.


-E qual são as outras maneiras?-Ele perguntou.


-Simples vamos atingir a pessoa que ela mais ama...


-Você deve estar de brincadeira,Renesmee é uma abandonada na vida e a única que realmente se importava com ela era Keroline e ELA ESTÁ MORTA -Ele gritou as últimas palavras com raiva.


-Abandonada?-Ri com sua falta de informação e percebi o quão realmente isolado ele havia ficado por esses anos .-É ai que você se engana,nesses anos que você estava aqui chocando ovo,Renesmee estava lá formando sua linda e perfeita família.


-Família?-Disse Josh e percebi o quão inveja ele estava sentindo descobrindo que a garota que tirou sua única família estava nesse exato momento com a sua.


-Sim família,sabe aquela com papai,mamãe e muitos filhinhos - falei sarcástica.


-Você não brinca comigo -Ele me agarrou pelo pescoço me pregando contra a parede.


-Isso não é brincadeira merda,e quer saber mais ela teve uma menininha que se chama sabe como?Keroline -Ele me soltou em choque.


-Desgraçada -Ele disse no acesso de fúria e percebi que dessa vez ele estava se referindo a Renesmee.


-E então você aceita a minha proposta?-Perguntei por fim.


-Tem um plano?-Ele perguntou.


-Keroline por Keroline -Disse unicamente e ele pareceu entender.


-Ok mais ela é minha-Ele propos.


-tudo bem,tudo que quero é Erick e nada mais e sobre o que será da filha dele isso não me importa.


-Por onde vamos começar?-ele perguntou mais calmo.


-Por Forcks o lugar aonde eles estão vivendo.-respondi e ele acentiu.


-Outra coisa quero que eu mesmo faço o seqüestro -Ele exigiu.


-Ta legal tudo que preciso é de um pedido de resgate,apenas o suficiente para Erick achar que a garota está comigo.-Pedi.


-Tá mais quando ele descobrir que ela não ta,o que você pretende fazer para segura-ló -Ele perguntou curioso.


-Não sei mais isso também não te interessa e por hora eu só quero atrair ele até a mim.


-Vamos então?-Ele perguntou impaciente.


-Vamos sim mais ates eu preciso acertar algumas contas,me espere na floresta que eu já venho.


-Contas?-Ele riu.


-Ah não é nada de mais é só um velho babão que não sabe aonde pisa-Sorri diabolicamente.


Pov da narradora.
A Vingança.


Na manhã seguinte Keroline se aprontou rapidamente para ir a escola e percebeu que seu pai já havia chegado da viagem.


-Bom dia papai-ela disse dando um beijo em Erick que estava sentado a mesa lendo seu livro como era de costume.-Como esta Manuel e tia Molli você a viu? -Keroline perguntou se sentando na mesa para fazer seu desjejum.


-Não meu anjo na verdade e nem cheguei a falar com Manuel-Erick disse estando ciente que seria em vão mentir para sua filha mais tratou logo de pedir em pensamente para não comentar nada com Renesmee sobre o que de fato havia acontecido.


Keroline acentiu e evitou fazer novas perguntas e continuou a fazer sua refeição calada até ir finalmente para escola.


-Tchau pai-Ela beijou o rosto de Erick e transmitiu ao mesmo tempo seu pensamento’’fique tranqüilo papai eu não direi nada a mamãe’’Erick sorriu com o apoio da filha por que ele não queria preocupar de forma alguma seu esposa com as ousadias da vampira Indira.


-Tchauzinho mamãe-Keroline foi abrasar Renesmee que estava preparando os lanches para escola do Antonio e Alexandre.


-Tchau meu anjo e volte cedo -Renesmee advertiu.


-Pode deixar mamãe -Keroline respondeu e foi para escola feliz da vida.


No caminho Keroline começou a pensar e a imaginar como seria sua vida a partir daquele momento,ela sabia que muitas coisa iriam mudar e esperava que fossem para melhor.


Depois de alguns minutos Keroline chegou finalmente na escola avistando sua melhor amiga Cris e juntamente com ela Brigitte e Lenn .


-Oi amiga que bom que chegou -Cris abraçou Keroline que sorriu com a amiga.


-Oi Kero – Brigitte disse sem jeito e Keroline percebeu o motivo.


-Kero você deve imaginar por que só esta nos duas aqui não deve?-Lenn perguntou cautelosa.


-Sim imagino é o Beto não é?-keroline disse e percebeu o desconforto de Cris ao seu lado e se sentiu mal por ter que tocar nesse assunto.


-É exatamente isso,ele esta muito magoado,triste pra valer a final ele tava gostando mesmo de você e a noticia do seu namoro melou com todas as esperanças que ele tinha em te conquistar- Brigitte respondeu.


Keroline apenas abaixou a cabeça se sentindo extremante desconfortável com a situação.


-Mais não fica assim não miga eu que sou craque nisso sei bem como ficam os garotos com dor de cotovelo,você não viu o Dominique ele é maior chicle.-Lenn disse bem humorada pra descontrair o ambiente mais sabia que lá no fundo ela também gostava muito do Dom mais estava disposta a faze-lo pagar por ter sido tão galinha.


-Valeu -Keroline agradeceu pela atitude da amiga mais ainda se sentia mal e resolveu que o melhor era ir logo para sala.


Keroline se despediu de todas puxando Cris novamente para ir junto com ela.


-Beto pelo jeito gostava muito de você não é?-Cris disse puxando assunto com a amiga mais não conseguiu esconder a tristeza que tinha em sua voz ela estava despedaçada com tudo isso e Keroline sabia perfeitamente.


-É uma pena mesmo,mais eu não gosto dele eu amo Seth -Keroline respondeu convicta.


-Eu sei mais eu gosto -Cris sussurrou.


-Então por que não vai até lá falar com ele-Keroline disse em incentivo e Cris se assustou pelo fato da amiga ter ouvindo o que ela havia dito.


-É.. eu não ..sei se é uma boa idéia -Cris gaguejou desconfortada.


-Amiga você tem que tentar -Keroline fitou Cris -Anda vai lá -Apoiou a amiga que foi procurar Beto.


Keroline foi até a sua sala aonde teria Biologia com o professor Laurent.


-Olá Kero -Chet disse animado e cumprimentou a amiga.-Olha me desculpa por hoje...-ele tentou dizer.


-Não precisa se desculpar Chet eu entendo-keroline respondeu docentemente.


-Valeu -Chet respondeu aliviado -kero o que acha de eu chamar Cris para sair?.


Keroline ficou sem palavras afinal isso não iria dar certo e alguém ia sair machucado nessa historia.


-Kero?-Chet perguntou impaciente.


-Eu..bem não sei Chet talvez sim talvez ...


-Bom dia pessoal -O professor Laurent disse entrando na aula e interrompendo Keroline que decidiu prestar a atenção na aula mais na verdade ela estava pensando uma maneira de ajudar sua melhor amiga e Chet.


-Pessol hoje vamos aprender sobre Genética-O professor começou a explicação- Genética é a ciência dos genes, da hereditariedade e da variação dos organismos. Ramo da biologia que estuda a forma como se transmitem as características biológicas de geração para geração. O termo genética foi primeiramente aplicado para descrever o estudo da variação e hereditariedade, pelo cientista Wiliam Batesson numa carta dirigida a Adam Sedgewick, da data de 18 de Abril de 1908.-Keroline não consguiu prestar atenção ainda mais quando viu nos pensamentos de Maria uma das amigas de Sarah que Beto havia conbinado dos dois ficarem na saida.


Keroline sentiu um aperto no coração em pensar em como seria reação de Cris quando soubesse disso se é que já não sabia.


O sinal tocou e Keroline foi para sua proxima aula inquieta para encontrar logo sua amiga mais não aconteceu,Cris não estava presente na aula de matématica e isso deixou Keroline mais aflita ainda,aonde estaria sua amiga que não venho a aula?.


‘’Era claro Cris havia descobrido tudo e provavelmente estaria desolada,diante dessa situação Keroline pediu liecança ao professor Louis e foi procurar Cris pelo escola.


Depois de algum tempo ela finalmente a encontrou e quando ia na direção da amiga notou que do outro lado Chet se aproximava de Cris e de longe ela viu ele a consolar.


-Cris,Cris o que aconteceu-Chet perguntou nervoso abrançando Cris que estava sentada no chão.


-Bet...ele..vai ..ficar com Maria na saida-Cris respondeu soluçando-Ah Chet eu gosto tanto dele-Cris revelou chorando muito.


-Calma não fica assim,não fica assim-Chet sussurou desconsertado fazendo carinho no cabelo de Cris para que ela se acalmaçe e enquanto isso Keroline avistava a cena escondida sem querer atrapalhar esse momento dos dois por mais que ela quissese ajudar a amiga ela teria de ter paciencia e deixar que Chet tivesse sua oportunidade.


-Eu sou uma idiota Chet ninguem me ama-Cris disse-Olha pra mim quem eu sou para me comparar com a Kero que é uma das garotas mais doce e linda que já vi... e a Maria a bonitona do colegio.


-Não fala assim isso é mentira-Chet disse nervoso.


-Não não é-Cris insistiu.


-É sim sabe por que,porque eu te amo Cris aliais eu sempre te amei e te acho a garota mais linda que já vi.-Chet disse tomando os labios de Cris que ficou estatica com a situção afinal ela nunca havia beijado na realida nem Chet mais ele estava se deixando levar por seus sentimentos.


Chet percebendo a burrada que havia cometido beijando Cris que estava ali desolada e sofrendo por seu melhor amigo e se separou dela rapidamente.


-Ah meu deus me descupa Cris eu não devia ter feito isso-Chet tentou explicar mais estava muito nervoso para isso-Eu sou um idiota me descupa eu tenho que ir se não vou fazer mais burrada.


-Não Chet espere-Cris secou as lagriamas e o impediu fitando Chet nos olhos.-Fica-Ela pediu.


-Mas...-Chet tentou dizer mais Cris o interrompeu.


-Me leva pra casa?-Ela perguntou-Por favor preciso sair daqui.


-Claro,Claro mais eu ainda não tenho carro-Chet respondeu envergonhado.


-Não tem problema eu só quero que você me faça companhia-Cris estendeu a mão para Chet que a pegou e os dois caminharam para fora do colegio.


Keroline sorriu e ficou feliz pelos dois e torcendo muito para que tudo desse certo.


Keroline enfim teve que voltar para sala e passou o resto do dia curiosa para saber noticias sobre Cris mais ela resolveu não ligar e deixar que as coisas acontecesem naturamente.


Na última aula todos os alunos foram dispensados por que o professor Norton de Geografia havia faltado ao que pareçe por probelmas de saude.


Sem querer ir embora Keroline começou a andar pelo colegio até passar o tempo.


E no estacionamento ela acabou encontrando a professora Lourdes que estava tendo problemas com seu lindo Opala preto e vermelho.


-Droga essa bosta tinha que estragar logo agora- Lourdes resmugou tentando sem susseso mexer no motor como se estivesse entendo alguma coisa -ela sempre fora pessima com carros e só os usava para dirigir por que de resto era seu mecânico que fazia,mais agora era completamente impossivel leva-ló ao mecânico por que a belezinha não queria funcionar e ela estava com presa para ir embora terminar seu namoro que estava um lixo.


Lourdes estava namorando a dois meses com um jornalista chamado Kevin que vivia apenas para o trabalho e mal tinha tempo para ela ,tornado assim a relação totalmente chata e extresante .


A única solução então seria o fim de mais um dos milhares de namoros da professora encalhada que só queria encontrar um grande amor e viver seu conto de fadas.


-Professora Lourdes a senhora precisa de ajuda?-Keroline perguntou.


-Oh minha querida eu nem ti vi ai- Lourdes colocou a mão no peito ainda sobre o efeito do susto que acabara de levar-Me ajudar acho que não seria uma boa idéia,e presumo que saiba menos de carros do que eu não é?- Lourdes sorriu com a proposta da aula mais não via como uma menina de 15 anos pudesse entender algo de mecânica.


-É isso é verdade-keroline confessou-Mais eu podia chamar alguém para te ajudar-Propos.


-Isso seria realmente ótimo Keroline.-A professora topou a oferta da aula e Keroline seguir em busca do unico nome que vinha na sua cabeça.


-Professor Louis eu posso entrar-Keroline disse na porta da sala dos professores aonde Louis se encontrava.


-Pode sim Keroline entre.


-Professor eu vim aqui lhe pedir um favor-Keroline disse cautelosa.


-Diga Keroline o que quer?- Louis perguntou simpatico.


-Na verdade o favor não é para mim mais sim para a professora Lourdes-Keroline jogou a isca e Louis ficou apreensivo.


-E o que...seria-Ele gaguejou.


-Bem ela ta tendo alguns problemas com o carro e queria saber se o senhor podia ajuda-la?.


-Claro,Claro vamos lá- Louis largou tudo rapidamente e foi para o estacionamento com o coração saindo pelo a boca em saber que finalmente ficaria perto de sua amada Lourdes.


-Lourdes presisa de ajuda?-Ele perguntou a ela quando chegaram.


-Ah sim com certeza eu preciso,parece que a Leila morreu ou esta desacordada-A professora disse sarcastica e inrritada pelo fato do seu carro tela deixado na mão justo hoje.


-Leila?- Louis perguntou.


-Sim,sabe como é eu costumo dar nomes aos meus objetos-Ela riu e Keroline percebendo que os dois estavam se dando bem se afastou devargazinho deixando os a sos.


Keroline foi então até o refeitoro decidindo que esperaria lá até a hora da saida que não demorou muito a chegar-‘’Enfim esse sinal tocou’’ Keroline pensou consigo mesma.


E foi então até o estacionamento reparando que tanto o professor Louis como a professora Lourdes não estavam mais lá e no caminho se deparou com a cena mais deploravel de Beto se agarrando com Maria na frente de todos no colegio e se sentiu extremante aliviada por Cris ter ido embora mais cedo para não ter que se deparar com isso.


Keroline passou pelos dois agindo indiferentimente e foi em direção a sua queria vó Bella que a esperava de braços abertos.


-Vovó-Ela exclamou pulando nos braços de Isabella.


-Olá minha querida como está?-Bella perguntou a neta.


-Eu estou ótima vovó mais cadê o Seth?-Keroline perguntou curiosa afinal seu amado tinha lhe prometido que viria lhe buscar.


-Oh perdoe-me minha querida mais eu o obrigue a ficar em casa e nos esperar-Bella respondeu sem jeito-Eu queria aproveitar mais minha netinha.


-Não tem problema vovó-Keroline sorriu-Vamos então?


-vamos sim mais deixe eu chamar Sarah-Bella respondeu.


-ok.-Disse Keroline.


-Não precisa mamãe eu vou de carona com a Sefani-Sarah disse a Bella que acentiu e deu um beijo na filha partindo em seguida com o carro deixando Sarah para trás espumando de raiva e ciúmes.


-Vem cá Sarah o que aquela monga faz com sua irmã?-Gloria perguntou curiosa.


-Não faz nada ela é apenas uma amiga da família - Sarah disse trincando os dentes mais ficou estática quando avistou um linda menina aparentemente de 17 ou 18 anos parecidíssima com Keroline procurando algo entre os alunos.


‘’Mais é claro’’Sarah pensou’’aquela só pode ser a mãe de Keroline a tal Renesmee''.


E ela estava certa era mesmo Renesmee que estava ali atrás da filha para lhe propor uma caça entre mãe e filha já que Erick havia saído também com os meninos.


-Vocês viram Keroline?-Renesmee perguntou ao um grupinho de amigos,exatamente o grupinho de Beto que ficou bobo com o quão ela era parecida com Keroline.


-Nossa você deve ser a irmã dela?-Ele perguntou.


-Sim..sou sim -Foi tudo que Renesmee conseguir dizer se lembrando que ela não poderia falar que era na verdade a mãe de Keroline -seria completamente impossível isso para os humanos.


-Olha eu só sei que ela saiu mais cedo por que o professor Norton faltou mais não faço idéia da onde ela esteja.-Lenn respondeu.


-Ok muito obrigada -Renesmee disse simpática e voltou a procurar a filha pelo colégio mais foi parada por Sarah.


-Você deve ser Renesmee não é a mãe de Keroline?-Sarah disse.


Renesmee engoliu em seco mais percebeu que ela era uma vampira,ou melhor uma hibria.


-Sim sou sim -Renesmee respondeu.


-Bem pelo que vi você a esta procurando não esta?.


-Estou -renesmee respondeu -Por que você sabe aonde minha filha esta?.


Sarah sorriu.


-Sei sim ela acabou de pegar carona com Bella.


-Bella quem é Bella?-Renesmee perguntou confusa.


-Oh você não sabia Keroline anda saindo com a familia de vampiros Cullens.


-O que como assim?-Renesmee perguntou nervosa.


-Me desculpe por dizer isso mais Keroline não devia andar com eles,todos são muitos perigosos e eu mesmo me mantenho bem afastada -Sarah se aproximou mais de Renesmee e sussurrou -Dizem por ai que eles pegam vampiros por toda parte para fazerem parte da família -Sarah mentiu descaradamente.


-Meu deus por favor você tem que me ajudar aonde estes tais Cullens moram?-Renesmee implorou totalmente desesperada


-Calma,Calma é claro que eu irei te ajudar-Sarah fingiu compaixão-Eu também acho que é melhor você tirar sua filha logo de lá caso contrario eles podem a levar ou até mesmo machuca-lá,nunca se sabe não é?.

-Eu tenho que ir.-Renesmee disse pegando o endereço com Sarah e saindo aos prantos em direção a mansão com uma idéia totalmente absurda sobre os Cullens idéia ao qual havia sido plantada descaradamente por Sarah que estava radiante de alegria por ter executado sua vingança.
                                  by:natineces

capítulo 8-Minha Obsessão

Pov de Indira.
O noivo de Irina.


Eu era uma das mais belas e cobiçadas jovens de antigamente, meus pais eram o rei Abraão e a rainha Ruth donos da Europa, um grande império com uma enorme população e muitos guerreiros.


Minha vida era um verdadeiro conto de fadas sempre tendo o que eu queria e quando precisa se.


Isso até Patrick aparecer,uns dos melhores guerreiros do meu pai, Patrick era jovem,bonito,forte,valente e tudo mais que uma mulher poderia querer em um homem e me encantou me deixando perdidamente apaixonada por ele.


Ainda assim Patrick era um moço honroso que evitava olhar para mim com luxuria e sempre me respeitava muito me deixando mais apaixonada ainda. Eu estava completamente certa do que queria e faria de tudo para conseguir que ele fosse meu mais para isso teria de esperar que minha irmã mais velha como manda a tradição se casa-se primeiro.


E para minha alegria Irina finalmente havia encontrado seu pretendente e hoje mesmo iria apresenta lo para papai.


-Irina deixes de bobagens e me conte logo quem ele é?.-Sussurrei para minha irmã em nossos aposentos.


-Nem pensar Indira vos mi cê só vai saber quando ele chegar. -Ela respondeu.


-Certo,certo mais então vamos descer logo, ates que eu morra de ansiedade. -peguei em seu braço e a puxei para fora do quarto.


-ta mais vais com calma.-ela riu descendo as escadas logo atrás de mim.


Lá embaixo encontramos papai e mamãe em seus receptivos tronos que sorriram em nos ver.


-Então papai ele já chegou?-Irina perguntou.


-sim filha e já estas nos esperando junto ao banquete. -papai respondeu me deixando confusa.


-parece que esse noivo é realmente muito especial para ser convidado ao um banquete com os reis. -sussurrei a mamãe que caminhava ao meu lado graciosamente.


-certamente meu anjo, esse será um casamento de muita estima do seu pai. -ela respondeu.


Enfim chegamos todos até o imenso jardim local aonde seria o banquete e a primeira coisa que vi foi ele, sim Patrick estava aqui mais lindo do que nunca.


- Patrick o que fases aqui?-perguntei sem entender.


-ele é o noivo de sua irmã. -papai respondeu me deixando sem chão.


-Rei. -ele complementou papai se ajoelhando. -Rainha. -beijou a mão de mamãe. -Princesa. -beijou a minha e depois foi à frente de Irina.


-Minha princesa. -ele a beijou na mão delicadamente olhando sempre em seus olhos e de longe podia se ver que ele estava perdidamente apaixonado por ela.


Quer dizer que o noivo de Irina era então meu amado Patrick. Isso não podia estar acontecendo não comigo, ele tinha que ser meu e não dela.


Diante daquilo tive que passar o banquete inteiro me contendo para não gritar aos quatro ventos o que sentia por ele ou até mesmo cair em lagrimas, não eu não podia ser tão fraca pelo menos não agora que eu estava preste a perde lo .E por mais que fosse duro de aceitar os fatos Patrick realmente pediu a mão de Irina e papai como era de se prever aceitou de bom grado visando que nunca um guerreiro seria tão honroso quanto Patrick para futuramente assumir o reinado.


...


Amor Doentio.


Os meses se passaram rapidamente e os preparativos para o casamento da princesa e do melhor guerreiro da Europa já era o assunto mais falado em todo o reino, todos estavam muito felizes com o acontecido, todos menos eu que agora mais do que nunca tinha que agir rapidamente.


Então ordenei a um servo do palácio para ir até Patrick e levar um bilhete meu, dando a entender que fosse de Irina.No bilhete minha irmã estaria marcando com ele um encontro em frente a cachoeira.


Eu sabia que viria e de fato exatamente minutos depois de ter recebido a carta ele já estava a caminho da cachoeira e não demorou muito há chegar ao ponto que eu me encontrava.


-Irina,Irina vos mi cê está ai?.- Patrick perguntou olhando para todos os cantos em busca da minha irmã.


-Ela não vem. -respondi saindo de trás das arvores.


-Indira o que fazes aqui?-ele perguntou assustado. -e por que Irina não venho?


-Não venho por que ela não sabe sobre esse encontro. -disse.


-Como não sabe e o bilhete....


-O bilhete fui eu que escrevi. -disse o interrompendo.


-Vos mi cê?


-Sim eu mesma e fico muito feliz por teres vindo. -sorri.


-o que quês comigo?-perguntou.


Eu simplesmente não respondi nada e apenas me aproximei tomando seus lábios que não emitiram nenhuma reação contra os meus que emanavam amor e desejo.


-Pare-Ele gritou me afastando bruscamente-Eu sou o noivo da sua irmã isso não esta certo Indira.


-Eu sei mais pode ficar se você escolher a mim -Eu implorei.


-Não posso eu o a amo.-Ele respondeu.


-Não, Não ama-Disse chorando- vos mi cê tem que se casar comigo.


-Desculpa mais não a nada e nem ninguém que me separe da Irina.-ele disse se virando de contas e caminhando até seu cavalo me deixando humilhada.


Eu não sabia mais o que dizer e a dor em meu peito só me encaminhava ao desespero.


-Será ?–Gritei juntando o mínimo de dignidade que ainda existia em mim. -E se eu disser a ela que vos mi cê me beijou a força. –Eu o ameaçei.


-Como?. –ele perguntou confuso.


-Isso pode ser fácil ou difícil Patrick a escolha é sua.


-Você não pode fazer isso- Ele disse furioso.


-Posso sim e é exatamente o que vou fazer se vos mi cê não se casar comigo.-disse.-Vos mi cê só tem duas opções Patrick,a primeira é se casar comigo e mesmo assim ainda continuar perto dela ou continuar com esse casamento e se arriscar a nunca mais vê lá depois de eu dizer a ela que vos mi cê me beijou.


-Eu não vou fazer isso. -ele avançou para cima de mim me apertando o pescoço e me fazendo dar alguns passos para trás perto da margem. -Esqueça Indira eu amo a sua irmã que é meiga, doce, delicada e não é essa cobra feita vos mi cê- ele disse enfurecido.


- Patrick me solta- pedi assustada com sua reação e na tentativa de me livrar de seu aperto acabei impulsionando o corpo para trás e sem me dar conta da onde estava me sinto deslizar pela predas e cair na água funda e gelada da cachoeira.


- Patrick, Patrick me ajuda SOCORRO. -Gritei para ele que me olhava do alto da preda.


-SOCORRO, SOCORRO. -Continuei gritando pra que Patrick me ajudasse e tudo que vi foi que ele já havia indo embora.


Não podia ser Patrick iria me deixar morrer, justo eu que o amo tanto. O desespero me tomou e sem forças para subir até a margem ou até mesmo tentar nadar coisa que eu não fazia idéia de como, eu acabei afundando.


Naquele momento ainda consciente de mim cenas de toda a minha vida me passaram na cabeça,vi minha mãe me ensinar a se portar como uma verdadeira princesa e me contar lindas historias,vi meu pai durão, mais muito prestativo me ensinado a cavalgar no meu novo pônei, vi Irina minha única irmã que sempre foi minha segunda mãe e sempre esteve lá nas noites de pesadelo que eu acordava chorando e ela aparecia afogando os meus cabelos e sussurrando baixinho para mim’’vai ficar tudo bem,eu estou com você e vou te proteger de todos os perigos’’ela sempre dizia para me acalmar e as vezes ficava horas e horas ao meu lado na cama até que eu novamente pegasse no sono.


E agora tudo isso estava em jogo,a minha vida estava em jogo por que cada vez mais sentia que estava morrendo.Este então seria meu destino,tudo que sonhei em conquistar estava sendo perdido tudo por um único motivo,tudo por um único homem que amei mais que a mim mesma,tudo por Patrick.


Senti meu corpo sendo levado para lá e pra cá na correnteza e no fim algo bater na minha cabeça fortemente e antes de qualquer dor me atingir eu entrei na plena inconsciência.


.............................................................................................


Nova vida.


Acordei na grande floresta escura e avistei um homem me fitando e antes de qualquer impulso de fuga senti uma forte ardência na garganta e uma louca sede que chegava a queimar para ser saciada mais por incrível que pareça eu não sentia sede de água ou vinho mais queria outra coisa que eu não fazia idéia do que era.


-Deve estar com sede não ta?-o homem perguntou se aproximando de mim com jarra que continha dentro um conteúdo vermelho escuro,que certamente não devia ser vinho pela tonalidade.


-Sim muita- Foi tudo que conseguir dizer depois de sentir o cheiro daquele liquido me atingir e passei então a quere lo com tanto desejo que eu poderia até ter o atacado mais ao perceber que estava apreensiva para tomar dele o jarro o homem me entregou de bom grado e eu mais que depressa sem sequer me importar com o que continha a li tomei o rapidamente sentindo sua textura viscosa porém foi o suficiente para aliviar boa parte da queimação mais apenas parte, por agora mais do que nunca eu queria mais daquele liquido, muito mais.


-Eu me chamo Oliver e a senhorita como se chama?.-perguntou.


-Indira.-Respondi.


-Indira eu sei que parece confusa e isso é normal depois de você ter batido a cabeça e da transformação mais fique tranqüila querida.-Ele disse.


-Transformação?.-Perguntei sem entender.


-Sim,eu te achei na marchem do rio machucada e sangrado muito, preste a morrer e tudo que pude fazer foi te transformar-.Senti um bolo se formar na minha garganta com suas palavras.


-Me transformar em que...?-sussurrei.


-Em uma vampira-.ele respondeu cauteloso.


-não,não isso não pode ser verdade...Vampiros não existem.-gaguejei.


-Existe sim e agora você é uma.


-Não me diga que aquele liquido era...-não conseguir terminar.


-Sim exatamente aquilo era sangue –Ele confirmou minha suspeitas.


Quer dizer que agora eu era uma vampira bebedora de sangue não podia ser como isso foi acontecer.


-Tenha calma Indira eu vou sempre estar aqui-Ele me assegurou.


Depois desse dia Oliver passou a me ensinar a caçar e a me controlar mais,já que no primeiro ano sempre é mais difícil resistir ao desejo de sangue então fomos obrigados a ficar bem longe da cidade para evitar que eu atacasse um inocente sendo que Oliver é uma vampiro vegetariano ou seja só bebe sangue de animais.


Depois que finalmente conseguir controlar meus próprios instintos e não dependia tanto assim de Oliver eu pude finalmente ganhar o mundo e embarcar numa aventura sozinha.Me despedi dele que virou meu melhor e único amigo a quem devo a minha existência e parti.


Fiquei anos e anos sozinha por minha opção já que em todo lugar que ia havia sempre algum vampiro que me queria como companheira mais nem um deles fez minha cabeça então sempre os deixava com água na boca e loucos por mim. - Os anos então se passaram e a solidão me atingiu me forçando a voltar para a companhia de meu amigo que me recebeu de braços abertos.


-Que surpresa Indira finalmente tu resolveste voltar para seu amigo velho aqui.-ele me abraçou.


-Velho?justo você que está eternamente congelado num rosto perfeito.-debochei.


-Você não mudou nada não é-ele disse sorrindo.-mais me conta, trouxe-me alguma novidade?.-Perguntou.


-Nenhuma que mereça ser citada.-falei com desdém.-mais e você tem alguma?.


-Bem eu tenho sim.-ele respondeu sem jeito.


-e qual seria?.-Perguntei curiosa.


-Eu encontrei meu grande amor.-ele respondeu.


-E quem é?.-me fingi de desinteressada mais no fundo estava me corroendo de ciúmes afinal ele era quase um irmão para mim.


-Ela se chama Lizbeth e vive no colégio interno aqui do México....-O interrompi.


-O que? uma humana.-Perguntei incrédula.


-Sim Indira uma humana que em breve será minha esposa.


-Você só pode estar louco?.


-Não estou não,aliais eu nunca tive tanta certeza na minha vida como tenho agora.


-Oliver uma humana é algo fraco e mortal.-tentei argumentar.


-Deixe de bobeiras Indira,eu é que tenho que decidir o que quero ou não para minha vida.-disse magoado.


-Ta legal,mais depois não digas que não avisei.-disse brava por que afinal meu quase irmão estava me trocando por uma humana que mesmo não a conhecendo eu já a odiava.
--------------------------------------------------------
Nova obsessão.


Depois de tudo planejado Oliver finalmente pode seqüestrar do orfanato sua amada Lizbeth que passou a morar conosco até se casar e ficar grávida para nossa total surpresa.


A gravidez foi extremamente delicada e no parto Oliver foi obrigado a transformar Lizbeth logo após ela dar a luz a pequena Sarah.


Sarah foi criada com muito amor e carinho por Oliver e Lizbeth que via nela seu pequeno milagre.Tudo isso estava indo muito bem até sermos atacados por um vampiro que conseguiu matar Oliver e Lizbeth com grande facilidade me dando apenas tempo para eu pegar Sarah e fugir.


Então desde esse dia tive que ser responsável por ela e confesso achava isso detestável,eu nunca gostei de crianças, mais esse seria o meu preço a pagar a meu grande amigo falecido Oliver.


Fiquei com Sarah por algum tempo até receber a visita de Josh um vampiro que mal conhecia que me deu uma grande idéia me convencendo de que o melhor para mim e para Sarah seria eu a deixar aos cuidados dos Cullens o Clã que recentemente havia perdido uma meninha hibria que eu sabia exatamente aonde estava mais isso já não era assunto meu.


Eu aceitei e a deixei próxima a mansão ciente que eles a encontraria rapidamente. Depois fiquei novamente livre para ir atrás dele,o vampiro que matou meu melhor amigo e quando finalmente o achei o que era para ser um acerto de contas se tornou uma terrível obsessão sim por que desde que pus meus olhos nele tudo mudou e agora ao invés de querer matá-lo eu o queria pra mim.E é claro que sabia que seria uma grande traição eu me envolver com ele,mais novamente pela segunda vez eu estava completamente apaixonada e mais que disposta a ficar com alguém custe o que custar.(nati:gente isso pode parecer precipitado mais lembra que os vampiros também se apaixonam assim como Edward se apaixonou por Bella e passou a ser incapaz de ficar longe dela,então Indira senti agora o mesmo por Erick mais digamos que isso se tornou uma obsessão ta aí o motivo do nome do capítulo...bjs)


Segui em direção ao seus rastros e depois de muita procura eu finalmente o achei com uma menina aparentemente de 12 anos que ele protegia como um leão selvagem sem se quer dar uma chance de me aproximar e o mais absurdo é que eu sabia exatamente quem era ela.


Renesmee sim a tal hibria seqüestrada dos Cullens pelo Josh e sua esposa que segunda minhas investigações havia perdido a vida por causa dessa garota e Josh sumido no mundo agora que já não tinha mais motivos para viver abandonando assim Renesmee na floresta.


Mais o que eu não estava entendendo era o por que do Erick estar com ela,seja como for ele passou anos e anos a protegendo me dando assim uma imensa curiosidade de saber o passado dessa garota,quer dizer o verdadeiro passado aquele que só eu sabia qual é,aquele ao qual Josh e sua esposa a muito tempo fizeram questão de roubar para si .


Em Forks lugar aonde morava seus verdadeiros pais eu descobri muita coisa,como por exemplo a grande proximidade dos Cullens com uma espécie inimiga os lobisomens,também descobri muito sobre esse povo que acredita fielmente num tal de imprinting que segundo suas lendas é tão poderoso que tanto o lobo como sua impressão são incapazes de amar um outro alguém e por fim o que mais espantou foi ter descobrindo que Renesmee era o objeto de impressão de uns dos lobos,ou melhor uns dos alfas os chefes da alcatéia,isso não podia ser melhor e mais assustador,uma vampira sendo o motivo da existência de um lobo .


Então depois de ter todas as informações possível eu resolvi voltar disposta a convencer Erick a levar a tal Renesmee de volta para o seio da família,mais o que parecia tão simples se tornou um grande pesadelo para mim por que na viagem de volta eu acabei descobrindo que meus planos nunca seriam possíveis,por que simplesmente a pequena garotinha de 12 anos havia se tornado uma grande mulher de 17 e ainda por cima uma mulher casada com ele,isso mesmo Erick havia se casado com aquela mostrinha berração da natureza nesse momento que fiquei fora.


Nunca uma dor tão forte havia me atingido era uma espécie de ódio,dor,magoa,revolta,desejo de vingança e ciúmes muito ciúmes,sentimentos tão fortes quanto aquele dia na cachoeira ao qual Patrick me largou pra morrer,mais forte por que agora eu sabia que ia sobreviver e estava muito mais poderosa para fazer tudo o que eu queria e bem entendia.


Foi então que resolvi sumir por uns tempos e esquentar a cabeça pra quem sabe lhe dar uma outra oportunidade,vai que de repente ele preferisse a mim ao invés dela,quem sabe esse casamento não passou de um grande equivoco,por que afinal ele nunca me viu já que não ti vi a oportunidade de me aproximar,talvez fosse realmente isso mais só talvez.


Naquela noite encontrei Manuel o paspalho a quem resolvi afogar minhas magoas do tamanho ódio que sentia e ele como previsto ficou totalmente encantado por mim e me faz mil e uma juras de amor,mas assim como todos os outros eu o abandonei no meio da floresta depois de ter o usado.Mesmo assim fui obrigada a entrar em contato novamente por que acabei descobrindo que ele simplesmente se tratava do melhor amigo do meu grande amor,meu Erick .-Então por todo tempo que fiquei fora Manuel fazia questão de me ligar diariamente e eu sempre dava um jeito de tirar as informações que realmente me importava dele,então um dia todos os meus planos mudaram por que fui informada por Manuel sobre a gravidez de Renesmee e o nascimento dos três filhos e algum tempo depois a decisão deles de se mudar para Forks,finalmente a sorte sorria para mim e era hora de parti para reconquista mais dessa vez para ganhar.


Cheguei na Alemanha em dois dias e marquei um encontro com Manuel que ficou muito feliz de me ver.- um perfeito idiota.


-oi amor que saudades-ele disso todo meloso tentando me beijar.Eca


-Quando eles foram?.-Perguntei sem paciência a Manuel


-Em alguns dias.-Ele se aproximou tentando me beijar novamente.Será que ele nunca vai desistir não.


-Mais que droga.-Esbravejei.


-vem cá você me chamou aqui por que queria me ver ou por que queria saber do Erick?-ele perguntou- Por que se for isso eu vou embora agora mesmo- ameaçou.


-Não seja estúpido Manuel tu sabes que Erick me deves algo – Menti.


-Isso foi você quem disse-ele pegou meu queixo me fazendo olhar em seus olhos- mais quem disse que é a verdade?.


-Eu disse e agora pare com isso- Me afastei dele –A questão é se você vai ou não me ajudar?- Perguntei.


-Vou sim mais com uma condição – Ele propos.


-E qual seria?- Perguntei sedutoramente.


-Você terá de ser minha- Ele disse – Por que senão eu não faço o que está me pedindo e volto para minha esposa.


-O que para Darlli –Debochei – Pensa que eu não sei que você não gosta dela e só mantém essa farsa por dor de cotovelo – disse rindo.


-Você se acha muito garota – Ele agarrou meus cabelos.


-Eu não me acho eu sou – Manuel tentou me beijar mais eu o impedi – Primeiro quero que ligue para ele – Peguei seu celular do bolso e coloquei em sua mão.


-Ta legal eu faço – Disse ele em desistência –Mais depois eu quero um beijo seu de tirar o fôlego – Ele propôs e eu só acenti mordendo os lábios sedutoramente.


Manuel discou os números e em questão de segundo Erick atendeu.


‘’Oi Manuel tudo bem’’Ele disso do outro lado da linha.


‘’E aí cara como estão as coisa na nova casa,como está você a Ness e as crianças?’’ Manuel perguntou me deixando irritada.


‘’Melhor impossível ,graças a deus as crianças já se adaptaram e Nessi e eu estamos mais apaixonados do que nunca’’ele respondeu dando risada.


‘’Que bom cara você não sabe como fico feliz’’Falso.


Mais que droga será que o Manuel tinha que enrolar tanto assim? por que ele não vai direto ao ponto.


Fiz sinal já impaciente para que ele andasse logo e ele só assistiu com a cabeça e finalmente entrou num assunto que preste.


‘’Bem Erick eu te liguei para te pedir um grande favor meu amigo’’ele disse.


‘’E qual seria Manuel?aconteceu alguma coisa?’’Erick perguntou preocupado.


‘’Calma Erick eu só preciso conversar e queria que você me encontrasse hoje aqui na floresta’’


‘’Claro,claro eu vou sim é só você me aguardar’’O que um melhor amigo não faria pelo outro não é.


‘’ok então eu estou te esperando’’


‘’ta tchau e até mais’’Ele se despediu.


‘’até’’ Manuel disse finalmente desligando o celular.


-Ah, até que enfim eu cheguei a pensar que ia ter que quebrar esse celular para você desligar logo – Disse enfurecida.


-ta,ta mais agora venha aqui – Ele me puxou pelo braço –Eu acho que a senhorita ta me devendo algo não ta?


-To e vou pagar – sem dar tempo dele disser alguma coisa e louca para acabar com aquilo logo eu aproximei nossas bocas num beijo selvagem e quente.


Depois de ter pagado minha parte do acordo Manuel resolveu que era a hora de ir por que afinal ele não podia nem imaginar em Erick nos pegando juntos ainda mais ele que se paga de melhor amigo.


Depois de duas horas e meia Erick finalmente chegou(nati:duas horas de avião e mais meia hora do tempo que ele levou para chegar na floresta)


- Manuel –Ele chamou –Você ta aí cara?


Eu não me mexi mais Erick não demorou muito para notar meu cheiro e ficou em posição de ataque.


Era hora de parecer e falar tudo o que sinto por ele,algo que esperei durante anos,será que finalmente Erick vai ser meu?


-Quem está aí? – Perguntou – Aparece –Ele gritou.


Respirei fundo e sai detrás das arvores o encarando com um misto de felicidade.


- Tem razão há realmente alguém aqui – disse.


- Quem é você? – Perguntou sério, e eu resolvi ir direto ao ponto sem embolações por que eu não ia resistir muito longe de seus lábios que tanto desejei por esses anos.


-Eu sou a pessoa que te ama com todas as forças – Eu me declarei.


-O que você quer? – Ele perguntou ignorando completamente o que havia dito me deixando muito desconsertada.


-O que eu quero?eu já disse eu quero você –Continuei e fui me aproximando lentamente dele.-Eu te amo Erick,eu te amo.


-Olha aqui garota você deve estar louca eu nem te conheço.


-Você não mais eu sim,aliais eu sei tudo sobre você meu amor e agora olha onde você está – eu sorri - bem aqui na minha frente,como eu esperei por esse momento.


Ele parecia incrédulo com a minha afirmação e se negou a falar.


-Meu nome é Indira – me apresentei a ele que sequer me estendeu a mão.


Engoli em seco e continuei.


-Erick, por favor me escute eu quero uma chance,só uma chance para te provar que posso te fazer mais feliz do que ela – pedi me referindo a Renesmee sua esposa e minha eterna inimiga.


-Me desculpe mais meu coração já tem dona e eu amo muito – Ele disse com um tom de pena o que me deixou extremamente irritada.


-Você não pode preferir ela ao invés de mim,eu sou linda ,perfeita e ela não passa de uma mutação entre duas espécies – Esbravejei.


-Olha como você se refere a minha esposa eu não lhe dei esse direto – Ele apontou o dedo na minha cara.


-Erick me escuta fica comigo,vamos fugir meu amor,ela nunca vai nos encontrar –pedi me ajoelhando aos seus pés.


-Será que você ainda não entendeu que eu amo Renesmee e não vou para lugar algum com você – Ele me levantou bruscamente olhando nos meus olhos com ódio.


-Eu te quero – Aproximei meu rosto ao dele – E eu vou te ter – disse tentando beija ló mais ele se afastou.


- Que parte do ''eu não quero você'' e ''nunca vou te querer'' você não entendeu? –Ele cuspiu as palavras em mim – Agora se me der licença tenho que voltar para minha mulher.


-Você não pode fazer isso – Eu gritei.


-Não só posso mais eu vou.- Ele respondeu a altura.


- Desgraçado você acha que serás feliz para sempre –Retruquei –Pois estás muito enganado tu não eis o destino dela.


-Do que você está falando –Ele esbravejou.


-Do destino que roubaram dela.


-Você estás louca? – Ele perguntou.


-Não,eu não estou louca muito pelo contrario eu sei tudo que fez no seu passado e isso voltará a tona e você não ficará em puni,todas as mortes as famílias perdidas serão cobradas em troca de sua infelicidade.


Ele rosnou mais eu não me detive e continuei por que sabia que de alguma forma eu estava o atingindo.


-O destino dela não é ao seu lado e mesmo que no fim ela te escolha não será você com quem ela vai querer estar e sim o grande lobo o seu verdadeiro amor.


-Ela me ama – Ele rosnou.


-Não até ele entrar no caminho e daí você vai perder pra sempre o coração da mulher que ama.


-Você não sabe o que diz estas eloquecendo e eu não ficarei mais aqui para escutar suas sandices.


-Você vai se arrepender por ter escolhido ela ao invés de mim que sempre te amei –o ameacei mais já era tarde Erick havia partido me deixando desolada e humilhada para trás mais isso não iria ficar assim por que eu ia me vigar e ele não ficaria com ela por que se ele não fosse meu ele não seria de mais ninguém.


A dor de uma segunda rejeição me tomou mais dessa vez seria diferente por que eu sabia exatamente o que iria fazer- e Josh teria de me ajudar,sim por que assim como eu ele também perdeu algo por causa daquela mostrinha.


Tudo o que tinha que fazer é encontra ló e convence lo a se aliar a mim contra ela.


Renesmee charlie Cullen.
                                                      by:natineces
Tema da Indira:
Sky Ferreira - "Obsession"

Woah (x2)


(Verso 1)
Ouça, vou te contar algumas coisas sobre mim
Estou numa situação, não envolve ninguém mais
Somente você e no que pode me benificiar
(Ooh)


Tive uma vida de v*
Agora estou numa situação meio medonha, preciso de você
Não é amor, preciso de algo extra

(Refrão)
Está aqui a minha confissão (Nesse momento 2x)
Não quero que você apenas me ame
Quero ter sua atenção (Nesse momento 2x)
Quero sempre estar em destaque
Quero que você (Me queira)
Quero que você (Precise de mim)
Quero que ouça minha confissão
Quero ser sua obsessão
(Whoa)


(Verso 2)
Fingirei que estou doente pra você nunca me deixar
Posso ser seu vício nas rádios
Eu poderia ser do tipo que você aprecia
(Posso te dar o que você gosta)
Suas conversas sobre o Narcisismo, quer dizer, em Hollywood
Estou me amando, preciso que você se sinta bem (Vamos lá)
Deixe a música dominar


(Refrão)
Aqui está a minha confissão (Nesse momento 2x)
Não quero que você apenas me ame
Quero ter sua atenção (Nesse momento 2x)
Quero sempre estar em destaque


(Refrão)
Quero que você (Me queira)
Quero que você (Precise de mim)
Quero que você
Ouça a minha confissão
Quero ser sua obsessão (2x)


Whoa (3x)
Não há nada de errado com transtornos obsessivo-compulsivos
Desde que seja por mim, desde que seja por mim
Não há nada de errado com transtornos obsessivo-compulsivos
Desde que seja por mim, desde que seja por mim


(Refrão)
Está aqui a minha confissão (Nesse momento 2x)
Não quero que você apenas me ame
Quero ter sua atenção (Nesse momento 2x)
Quero sempre estar em destaque


(Refrão)
Quero que você (Me queira)
Quero que você (Precise de mim)
Quero que você
Ouça minha confissão
Quero ser sua obsessão (3x)
Oooh

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados