Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

Capítulo 12-Tempo que trás surpresas

POV Jack






Olho pra trás e começo a me lembrar de tudo o que aconteceu.Dos momentos felizes que eu tive com ela.De quando eu a vi pela primeira vez,do nosso beijo na cozinha de Charlie,que por sinal eu me livrei de levar um tiro...,de quando começamos a namorar,dos dias felizes com ela,da nossa primeira vez,da segunda...,e fico pensando se não haverá mais uma vez.Não pelo sexo,mas pela sensação de sentir sua pele na minha,se sentir que ela pertence a mim e eu pertenço a ela.






Mas parece que tudo estava contra nós.O destinos nos uniu,as circunstancias nos separou.E agora me sinto vazio,e com um enorme buraco em meu peito.






Quando aquela loira burro dos diabos,falou aquelas palavras contra mim,eu tive que me segurar para não arrancar a cabeça dela.Mas infelizmente uma parte ela disse a verdade,pois eu amei muito a mãe dela,como eu a odiei quando estava na sua barriga,e como também protegi a Bella enquanto a esperava ,colaborando pra que ela nascesse e a Bella morresse.Mas no final tudo deu certo,e eu fui o idiota que ficou fazendo o inferno de todos.






Se existe um culpado por tudo que esta acontecendo hoje,sou eu.Porque se eu no passado estivesse escutado,eu não estaria nessa situação.






Eu não considero como uma substituta de Bella.Não...






Ela é a minha companheira,a minha prometida...Agora observando bem melhor as coisas ,eu vejo que tudo se encaixava,só não fui inteligente para decifrar as lacunas na minha vida.






Os meus sonhos que eu consideravam pesadelos,as vozes sussurrando o nome dela.Tudo porque era ela a pessoa que a vida o destino trouxe para mim.






Eu me arrependo de ter sido um cabeça dura,movido pela vingança de uma coisa que eu criei na minha mente.E agora eu estou pagando por isso.E o preço para pagar e ver a mulher que eu amo pensar que ela em minha vida é um premio de consolação.Que o que sinto por ela,é devido a um imprinting,e se não fosse por isso talvez ela não estivesse viva.mas não era pra ser assim,pois sempre pertencemos um ao outros,muito antes dela nascer.Pois agora eu entendo porque quando Bella estava a esperando,se sentia feliz quando me via,e era como se tivesse ganhado o melhor presente quando me viu.E eu achava que Bella era louca,mas ela não era e toda essa demonstração de amor,era Renesmee que no ventre de sua mãe já sabia que eu era seu.






E hoje eu olho para Bella eu a vejo como a minha melhor amiga,eu a amo com uma amiga que é o certo e sempre foi e deveria ser.






Sinto me um caco,por não saber como fazer a mulher que eu amo,acreditar que tudo o que sinto é verdadeiro.Fazê-la ver que nada mais importa,e só o que importa eu o que podemos viver juntos...Devo admitir que o nosso feliz pra sempre está longe de acontecer,mas eu vou correr o risco de encontrar,e mostrá-la a cada dia com felicidade podemos encontrar o caminho certo para felicidade.






Mesmo sabendo que posso só ver em seu olhar o desprezo,e acusação por tudo,estou aqui diante de sua janela tomando a coragem de subir até seu quarto e dizer tudo o que tenho a dizer.ter a minha chance de explicar.Eu sei que deveria dá-la um tempo,mas eu não consigo agüentar,eu sinto a dor que ela sente,e tudo o que eu quero é acabar com essa dor.






Num impulso subo até a sua janela,que por sorte estava aberta.Entrei sem fazer barulho ,pois se ela estivesse dormindo eu não iria acordá-la.Mas ao invés de vê-la dormindo ela estava sentada na sua cama,olhando em minha direção.Sua expressão era seria,porem havia dor em seus olhos marejado e vermelhos pelo choro.Ao vê-la naquele estado eu senti o meu coração se despedaçar,e uma vontade enorme de ir até ela e tomá-la em meus braços e dizer a ela que o meu amor some é dela,e que o passado não é nada com o que estamos vivendo hoje.Mas antes de dar qualquer passo em sua direção,sua voz quebrou o silencio fazendo o meu corpo ficar congelado ao ouvir a frieza em sua voz.






-O que está fazendo aqui? – disse ela com um tom de reprovação.






Limpei a minha mente,para tentar clareá-la,e dizer tudo o que o meu coração dizia que eu tinha que falar.






-Precisava te ver.Falar com você...Nessie eu...- dizia me aproximando dela,mas fui interrompido por ela.






-Jack para. Eu não quero falar e nem te escutar.Não agora. – disse ela com a voz firme.






-Se não quiser falar então me escute.É só o que te peço – pedi já estando ao sua frente.






-Eu não quero escutar nada.Eu já disse...Eu preciso de tempo pra pensar...- dizia ela mas eu a interrompi.






-Pensar o que? Pensar e tomar uma decisão devido aquela loira linguaruda falou e depois eu não ter chance de falar o meu lado dessa história?Não eu vou falar e você vai escutar.Então assim depois se você ainda querer terá o seu tempo pra pensar.E se ainda não quiser me escutar,você pode usar o seu dom e me fazer esquecer do que tenho a falar,ou me deixar impotente,um discerebrado...






-Sabe muito bem que eu nunca faria isso...- disse ela limpando uma lágrimas dos seus olhos,e voltou a falar. – Pois bem,então fale.






Por uns minutos eu fiquei olhando para ela,e me perguntei se eu já havia a perdido.Mas se eu havia perdido,eu teria que tentar trazê-la para mim de volta.






-Nessie...,eu amo você...- ao escutar as minha palavras ela deu uma risada irônica.






-Não você não me ama.O que você sente é algo imposto a você.Não é algo natural...E não minta pra mim.






-Não é mentira. – disse entre dente,sentindo uma lágrima cair no canto dos meus olhos. – Eu a amo sim.Você acha que tido que vivemos esse pouco tempo,foi tudo uma mentira?






Ela não disse nada,mas o seu olhar mostrava que ela acreditava que sim.Meu peito doía,e sangrava ao mesmo tempo.Mas continuei a falar.






-Você quer a verdade? Então direi.- disse pegando em seu rosto e fazendo ela me olhar nos olhos. – Eu amei a sua mãe um dia,e como eu fiquei furioso quando soube que ela estava grávida de seu pai,mas mesmo assim no final de tudo,eu larguei tudo para está ao, lado dela.Quando eu pensei que ela estava morta,eu fui tomado pelo ódio...E usei tida a minha força me dedicando a uma maldita vingança sem sentido,até que eu mesmo me cansei...Mas todo esse tempo,eu me sentia assombrado por sonhos que consideravam um pesadelo,mas hoje eu sei que era muito mais.Pois tinha um significado...Eu toda noite escutava o seu nome sendo sussurrado para mim,como se me chamasse.E quando eu soube que você esteve na minha casa,e senti o seu cheiro ...,tudo se intensificou em mim. Eu sabia que tinha algo muito forte que não sei o que era,mas que ligava eu a você...E eu não queria descobrir o que era,e nem deixar sentir o que eu sentia.Mas quando te vi,foi que eu entendi tudo,pois sempre foi para não ficarmos juntos.Pois eu a amo,e você não é uma substituta na minha vida,você é a única e sempre foi para sem assim.Eu sei que errei no passado,mas todo mundo erra...,e eu sei que todos merecemos uma segunda chance.Então amor...,eu não sei se tem motivos para perdoar algo,mas eu lhe peço que me deixe te provar que eu te amo,deixe eu provar ao contrario de suas duvidas.E ter a chance de fazer feliz.










Ao terminar de falar tudo,vi que no olhar dela,havia uma confusão e ao mesmo tempo duvidas...,mas a magoa estava La também.Eu tinha esperança que ela me abraçasse,e dissesse que iria me dar essa chance,só que foi ao contrario.






-Como disse,Jack ...,eu preciso pensar.E digerir tudo,e saber se eu posso esquecer tudo,ou tentar a passar uma borracha.Mas eu duvido muito de que vou ter sangue frio e fingir que nada aconteceu...






-Nessie eu...






-Jack. Como você queria...,eu o escutei.Mas agora eu quero que você me deixe.Preciso de um tempo...E enquanto isso,não quero que me procure,ou a me buscara a escola ou forçar algum tipo de encontro além do normal,se ocorrer. – disse ela firme,e decidida.






-Mas...- tentei argumentar,mas não consegui.






-Agora vá embora,e me deixe.E quando eu tiver uma resposta a tudo e a todos,eu irei procurá-lo.E enquanto isso não me procure.- sua palavras tinha um tom de ordem,eu nessa hora eu senti os cabos me obrigando a fazer o que ela queria.Eu me sentia vazio,em farrapos..,eu não queria ficar longe dela,e muito menos conseguiria ficar.E mas outra vez ,e dessa vez foi uma ordem imediata.






-Vai. – foi tudo que ela disse,e eu me levantei de sua cama com os meus olhos marejados,sem enxergar mais nada na minha frente.






Pulei a janela,e fui correndo para a floresta.Não me déia ao trabalho de tirar a bermuda que usava,deixei o fogo me tomar,e sem piscar já estava sobre quatro patas.Corri a todas sem me importar se alguém estava vendo a minha dor...Corri sem saber para onde estava indo,até sentir a necessidade de parar e chorar,pois tudo o que eu podia fazer era chorar por ela.






Deixei o fogo sumir do meu corpo,e voltei a minha forma humana,e desabando por completo em toda dor que consumia em mim.






Não por quanto tempo fiquei ali naquele lugar desconhecido.E tudo que só sabia era do desejo de que tudo aquilo terminasse...E se eu pudesse morrer,naquele momento eu morreria...Não consegui mais pensar em nada,até que veio até mim,um cheiro conhecido,porem inesperado aquela presença ali.Bom...,talvez o meu desejo de morrer seria realizado,pois agora não tinha ninguém para evitar a minha morte.






-Eu poderia dizer que é patético está diante desta cena.Mas não...,se eu estivesse em seu lugar,eu estaria do mesmo estado. – comentou ele.






Eu o respondi,pois não tinha o que falar.Mas ele continuou a falar.






- Apesar de saber que você está profundamente arrependido ,e de muito mais coisas que pude ver em sua mente...Eu não consigo dizer que vou aceitar de bom grado...que você e minha filha fiquem junto.Mas em todo caso,eu não posso fazer nada,porque tanto ela quanto você,se amam. – disse ele.






-Porque é que você está falando isso Edward ? Você devia esta feliz que agora ela não me quer mais,e como você e toda a sua família quis eu não estarei perto dela...,mas não porque eu não queira,mas porque ela mesma não quer.- rebati






-E quem disse que ela não te quer? Eu sei e vejo o quanto ela te ama.- ele deu um sorriso irônico e continuou a dizer. – E sabe qual é o mais engraçado?É que eu sempre soube que havia uma ligação entre você e ela...por mais que ela me escondesse,eu via você nos sonhos dela.Era como se tudo na vida dela fizesse sentindo em quanto ela sonhava com você,e sua felicidade era maior.- ele falava como se tivesse recordando,mas voltou a olhar para mim. – E você está errado Jacob,pois eu não estou feliz.Ninguém está feliz...E só irei ficar feliz quando eu ver a minha filha voltar a sorrir.e mesmo que o motivo para ela voltar a sorrir seja você.E se a felicidade dela é você,eu irei aceitar.






-Eu deveria ficar feliz? – perguntei duvidando um pouco






Ele arqueou uma sobrancelha e disse...






- Poderia,mas saiba de uma coisa.Eu vou ficar de olho em você...Então...










- Tem todo esse direito...Mas não sei se haverá felicidade daqui pra frente. – disse










-De tempo ao tempo...,e quem sabe isso resolva. – disse ela já se virando,mas antes voltou a falar. – Ah! A propósito ...tome...- ele jogou um pacote que eu não havia reparado em suas mãos. – Sei que não está com um cheiro agradável para você,mas pelo menos serve para não ficar pelado por ai,quando for para casa.






-Mas...- eu estava intrigado por ele saber que eu não estava com nenhuma bermuda pra eu vesti,mas ele falou como...










-Eu tinha ido ver Renesmee e se ela estava bem,daí eu vi sua bermuda aos farrapos,.E quando eu entrei no quarto dela,ela já estava dormindo,então não quis acordá-la.Então resolvi que era hora de conversarmos,e antes fui em casa pegar algo que o servisse,então está ai. – ele apontou para o pacote. – Bem,eu vou indo,mas temos muito a conversar,só que agora eu vou deixar você só,e deixamos essa conversa para uma outra hora.Até breve Jacob.- ele disse e se virou para ir de vez,só que antes que fosse eu o chamei.






-Edward! – chamei e ele me olhou.






-Que? – disse ele.






-Valeu. – disse






Ele riu e disse... – Não tem de que. – se virou e partiu.






Fiquei ali no meio do nada,não sei por quanto tempo...Eu não consegui a me levantar,eu queria me afundar em algum lugar bem fundo,mas eu tinha que voltar a minha merda de realidade.Por fim eu me levantei e coloquei a calça que o Edward me deu amarrado no meu calcanhar.Deixei o fogo tomar conta de mim,e voltei a me transformar.Corri de volta para a minha casa,para encarar a solidão ...






****************************






Semanas se passaram ,e nada dela me procurar...Por varias noites eu não consegui resisti,e sempre ia até a sua janela e ficava a observar o seu sono...O meus coração acelerava descompensado quando eu escutava ela chamar o meu nome.Eu sabia que ela me amava,mas eu não entendia porque ela continuava assim ...,longe de mim.










Eu queria abraçá-la dizê-la que eu estava ali com ela,mas ela não queria eu por perto.Da mesma forma que eu não conseguia ficar longe e vinha velar o seu sono,eu ficava de longe a olhando quando saia de sua escola.As vezes eu tinha expectativas dela me ver e viesse falar comigo,mesmo pra mandar eu ir a merda,mas ela não vinha...










Nesse período Bella me procurou e conversamos sobre tudo...,como sempre a mesma Bella que me perdoava,me perdoou mais uma vez.E como antes ela foi uma grande amiga para mim...,me aconselhando,e me guiando para eu não enlouquecer,pela distancia e o desprezo de Nessie.Bella escutou tudo o que o que eu disse sobre o que sentia,e como eu me sentia um idiota,mas no final ela me dizia que era para eu ter paciência e que tudo iria se resolver.E que nesse ponto Nessie não era diferente dela,pois ela era teimosa também...










Todos os meus amigos tentaram me animar dizendo para eu ter calma que tudo daria certo no final.E eu estava quase mandando a todos ir tomar naquele lugar,pois pareciam que só isso que eles sabiam dizer...






Hoje por mais que eu estou nessa situação deprimente,pelo menos algo pode me animar um pouco,pois todos irão se reunis para fazer um mutirão,onde será a clinica comunitária onde Seth dará suas consultas para o povo carente da reserva.E agora ,além de formado,ele conseguiu sua licença medica,ele vai poder fazer o que ele tanto sonhou em fazer.






Todos estava animados,e a única coisa que eu queria saber,era se ela viria.Pois Seth me contou que ela queria ajudá-lo na clinica nas suas horas vagas,e se essa era forma de tê-la comigo,mesmo estando longe ao mesmo tempo,eu queria.






Estava pintando a frente da casa onde seria a clinica junto com Quil,e foi quando eu escutei um carro estacionar e depois o seu aroma chegar até a mim.






Quando os meus olhos se encontraram com os dela,foi como se eu me apaixonasse mais uma vez por ela...Eu escutei o seu coração se acelerar mais que o normal,e influenciando o meus pulsar no meu...Mas do nada os seus olhos baixaram com tristeza,e eu senti a sua tristeza.






Céus! Ela estava tão abatida,tão frágil que parecia que se alguém encostar o dedo em seu braço,ela poderia se desfazer.






Um desejo de tê-la comigo e protegê-la tomou conta de mim.E uma decisão veio em mim,pois hoje eu não iria me permitir ficar afastado dela,e farei de tudo para ficar ao seu lado.Se ela me ordenar me afastar,eu darei um jeito de fugir pela lateral e ficar com ela...














***********************************************************************************************






POV RENESMEE





Depois que Jack saiu com a expressão arrasada do meu quarto,eu voltei a desabar em choro.As palavras ditas por ele me fez perceber uma coisa: ele como eu sonhava um com o outro,mesmo sendo desconhecido,mas no meu caso eu sentia que havia algo que me unia a ele,mas quanto a ele,era ao contrario,pois o seu sonho era fruto do que fazia ele me odiar ainda mais.Se agora para ele havia sentido,tudo pra mim havia também.






Dentro de mim,havia um desejo de mandar tudo pro inferno,e esquecer da porcaria do passado,e viver o presente e o futuro com ele.E não esquecer das coisa boas que aconteceu entre ele e eu.Mas como eu poderia me esquecer de cada momento com ele...Eu ainda sinto o seu cheiro em minha pele,seu toque,cada beijo em meus lábios...






Quando eu o vi parado aqui em meu quarto,me olhando com aquele olhos negros que tanto amo...






Amo?Amo com todas as minhas força...E quando eu o vi,o meu desejo era me jogar em seus braços e pedi-lo que me dissesse que tudo não passava de um pesadelo,e uma mentira.E mais uma vez sentir seus lábios nos meus,Tê-lo dentro de mim...e saber que em cada toque que ele seria só meu,e era só meu.Mas me contive...






Quando ele saiu ,e algo dentro de mim dizia que era para eu correr,e chamá-lo e dizer que eu queria perto de mim,mas mantive o meu pedido.Não pedido ,mas uma ordem para ele se manter longe de mim...






Percebendo o que fiz,e um outro sentimento dizendo que era para deixar como está,ma fez conter nas minhas atitudes.Realmente eu precisava de tempo.Tempo para eu pensar,e deixar dissolver o orgulho,e o amor próprio do meu coração,e saber se por fim eu posso esquecer tudo o que sei,e dar continuidade ao que sinto por ele.






Tudo o que tinha que fazer primeiro,era tentar me redimir com a minha família,e depois decidir o que iria fazer...






Com essa certeza,eu acabei dormindo outra vez...










No dia seguinte o dia parecia uma daqueles dia morto,sem vida.Bem todos os dias que passei depois de tudo,foram dias morto.Até mesmo estando ao lado de uma amiga louca que só falava bobagem a toda hora.Mas ela se conteve vendo que eu realmente estava mal.






Durante esse período,eu falava pouco coma minha família,mas aos pouco tudo com ele estavam voltando ao normal,menos com tia Rosalie,que ainda não falava comigo.E eu não fazia questão,pois eu sabia que assim que pudesse,ela iria começar a falar mal do Jack,e eu já via escutado o suficiente dela...






Meu pai por fim,me perdoou de tê-lo atacado,e agora ele agia um pouco diferente comigo,mas era só a sua atitude de me deixar viver com liberdade.






Minha mãe sempre que me via triste ,me aconselhava a procurar o Jack e conversar com ele.Ela at´pe contou a mim a sua historia com ela.E me disse que hoje não existe mais nada além de amizade.E deu varias justificativas que mostra que o amor que Jack sente por mim ,é verdadeiro.Mas ela sabe que eu tenho o meu tempo,então ela não força muito.






No meio tempo,ele me ajudavam a progredir no meu novo dom,mortal...E eu estava começando a entender ele,e o dominar melhor.Só usando quando quero,sem sê-lo usado por mudança de humor.






E antes que eu me esqueça,a família toda voltaram a morar em Forks.O meu avô Carllisle voltou a consultar no hospital de Forks...










Quase três semanas se passaram,e as coisa continuavam a mesma,mas a minha amiga doida Anne, ela tentando me animar...E na escola ela não ,parava,mas agora ela já estava desistindo de me animar a te começou a me aconselhar.Vê se pode!






-Miga...,até quando você vai ficar nessa fossa ? – perguntou ela,mas antes deu responder,ela voltou a falar. – Olha eu sei que todo casal,tem suas brigas,mas quando é algo definitivo cada um vai pro seu canto.Mas no seu caso,você está sucumbindo nessa sua concha humana...






Anne não sabia o motivo verdadeiro deu ter dado um tempo com Jack.Ela pensa que nó brigamos por ciúmes,e ela de principio até deu a sua opinião,e é lógico enfatizando os porquês.Dizendo ...,com um namorado daquele quem não teria ciúmes.Mas agora ela acha isso tudo um exagero,e que eu parasse de orgulho...






-Olha amiga,eu não sei se você já percebeu,mas eu já vi o Jacob te olhando de longe.Olha...e eu confesso que ver o olhar dele pra você ,é de cortar o coração...






-Eu sei Anne,mas vamos mudar de assunto ta bom? – disse,E eu sabia que Le vinha ficar me olhando de longe,mas isso só dificultava as coisa.






Anne me olhava como se fosse me dar uma coça ,mas se limitou em falar...






-Olha Renesmee,eu respeito se você não quer falar,mas eu vou falar mesmo assim.Eu sei que você é louca por ele.Então para de ser idiota,e vê se resolve essa situação que já está um saco,ficar vendo você ai toda na depre...,e ao invés de resolver isso,mas se não quer resolver,pelo menos tente mudar essa cara,e viver o que você está propondo a viver.






Por um lado eu sabia que ela estava certa,mas o outro dizia que eu não estava preparada para enfrentar tudo,e decidir de uma vez o que eu queria.mas ainda cortando o assunto,resolvi mudar de conversa.






-Anne,vê se me deixa quieta.- disse.


-Claro que não.Eu sou sua amiga e quero o seu bem. – disse ela arguentando






-Tudo bem.E se você quer o meu bem,então cala a boca.Se não eu não vou te apresentar o Seth. – disse






-Você disse que não iria me apresentar a ela? Então eu desisto. – disse ela dando de ombro






-Eu nunca disse que não iria apresentá-lo,eu só disse que era pra você sossegar por que com ele não rola do jeito que você quer.Além dele ser mais velho que você. – disse não contendo o meu sorriso,por eu esta conseguindo distraí-la com outro assunto.- Agora se você não quer mais conhecê-lo tudo bem,só é uma pena que eu iria te convidar para ir comigo na inauguração da clinica onde ele dará consulta lá na reserva...,daí eu iria te apresentar a ele...E se ele não servisse teria outros gatos para você paquerar.






Ela me olhou como se eu tivesse falando uma coisa surpreendente,mas logo falou...






-Ok,tudo bem.Eu tecnicamente não mudei de idéia.Mas prioritamente ,eu não posso deixar de ir fazer companhia a você. – disse ela






-Ah sei! – disse com sarcasmo.






-Tá .ta bom ,eu confesso.Eu quero conhecê-lo e eu calo a minha boca.Proto! – disse ela fazendo um sinal de que estava fechando a boca.






Com isso acabei rindo,mas nessa hora comecei a sentir um pouco de tontura.Abaixei a cabeça,para ver se passava,mas não passava...






_ Miga o que foi? Você está bem? – perguntou Anne com a voz preocupada.










-Não só um pouco de tontura- disse






-Nessie...,você já foi ao medico?Você já está assim a uma semana ou mais.E fora que do nada to sai correndo pra vomitar . – disse ela






-Bem,ainda não...mas o meu avô é medico .Então não preciso ir a outro medico. – quando falei isso,ela bufou com a minha resposta então eu a olhei curiosa.






-Que foi? – perguntei






Ela rolou os olhos,e disse...






-Eu sei que você não vai a medico nenhum. – eu a olhei sem entender










-Porque você acha que não- sussurrei,e realmente eu não estava entendendo.






-Miga,você pode não querer me contar.Talvez com medo deu te criticar,mas saiba que eu não sou esse tipo de pessoa...






-Mas do que você esta falando? – a interrompi já ficando nervosa com sua acusação.






-To falando que você está com medo de ir ao medico,ou ir ao seu avô se consultar ,porque esta com medo que descubram a sua gravidez.Eu sei que o hospital mais próximo é o que seu avô trabalha,e mesmo que se consultasse com outro ele iria descobrir...E fora a sua família...


- ela tagarelava,mas eu me prendi a uma única palavra. “gravidez”,mas eu não podia está grávida.Podia?






O único homem com quem eu fiz amor foi com o Jack,mas foi só umas...Caraca!Mas foi o suficiente para eu engravidar,e fora que não usamos nenhuma proteção.Deus!O meu pai vai me matar.






Mas não,isso não pode está acontecendo.Não pode sim,...E vendo por esse ângulo,os sintomas indicam gravidez,pois já faz uma semana que eu acordo já correndo pro banheiro e vomitando nada ,só uma água amarga.E fora o cheiro de café que me enjoa,e as tontura...E minha...Cara...! eu nem me lembro quando foi a ultima vez que minha menstruação veio.Não pode ser!






Eu estava tão absorta nessa possibilidade,que eu só fui tirada dos meus devaneios pelos sacode de Anne.






-Nessie...Acorda! – disse ela me olhando preocupada. – Ta passando mal?






Os meus olhos ganharam foco,e eu a olhei ...atônita.










-Anne eu não posso está grávida. – sussurrei.






-Como não?Tudo indica que é.E eu apesar de ainda ser virgem eu sei das coisas,as aulas de anatomia são uteis ...E eu divido que não rolou nada entre você e o armário do pecado....- disse ela,e nessa hora eu sentir as minhas bochechas corarem.E isso foi a confirmação que ela precisava. – Pela sua cara eu acertei,né? – assenti ,e ela continuou a falar. –Vai me conta...foi bom?Ele é bom de cama...? E...






-Anne ...para com isso? – disse a repreendendo.






-Tudo bem.Faça isso! Esconde o seu ouro,e não faz mersha .Mas vamos voltar a outro assunto...O que você vai fazer?






-Não sei ...,não faço idéia. – disse






-Bem,eu sei o que você deve fazer.Primeiro,você tem que fazer um teste de gravidez.Segundo contar pro futuro papai.Ah não se que você pretenda tirar...- disse ela sussurrando a ultima frase,que me fez abrir os olhos com espanto.






-Não,eu não vou tirar. – disse,ela me olhou com um sorriso,e já fez outra pergunta.






-Posso ser a madrinha? – ela perguntou toda sapeca e sorridente.






Eu a olhei com cara de que não acreditava no que ela perguntava,ainda mais no meio de um caus.






-Que foi? – perguntou ela toda inocente.






-Eu estou aqui querendo saber como eu vou confirmar,se estou grávida ou não,e você me perguntando se pode ser a madrinha.Daqui a pouco você vai querer saber qual o nome se for menina ou menino. – disse






-É mesmo ne? Já escolheu o nome?






-Anne? – a repreendi






Ela deu uma gargalhada e disse...






-To brincando. E a resposta sua duvida de como ira confirmar é simples.Teste de farmácia ou ir ao hospital fazer exame de sangue.






Vendo o obvio da situação...Analisei o certo a fazer...Então decidi.






-Se é assim,primeiro eu vou fazer o teste de farmácia.E se der positivo,eu vou ao hospital fazer um exame mas profundo...






-Mas o seu avô? Você não ta com medo dele enfarta em saber que você está grávida?






-Meu avô é uma ótima pessoa,e se eu contar as coisas com calma,eu até consigo fazê-lo me ajudar a contar aos meus pais. – disse






Bem eu sei que Carlisle não iria me recriminar,então eu não tinha motivo pra temer.Então depois da aula,fui com Anne em uma farmácia,e lá mesmo eu fui ao banheiro e fiz o teste.Depois de cinco minutos veio o resultado.






-E ai?O que é que deu?- perguntou Anne curiosa.






Olhei para ela,sentindo as minhas pernas bambearem.






-Po...positivo. – respondi já sentindo o meu estômago embrulhar.






-Ahhhh! Eu vou ter um sobrinho.- deu uma ataque nela de doida.






-Cala boca sua doida. – repreendi






-Oh... desculpa.Mas ai?Você vai fazer o que agora?- perguntou ela






-Vou ao hospital,e falar com o meu avô.






-Mas já?






-Quanto mais tiver certeza melhor.E pra que eu vou enrolar...E do jeito que eu estou,daqui a pouco todos vão desconfiar – disse.






Anne fez uma cara pensativa,e disse...






-Bom você é quem sabe.- deu de ombro. – É...você quer que eu vá com você? –ela me olhou com os olhos meio que marejado,mas eu não podia envolvê-la em algo meu,tão delicado.Então procurei ser bem cautelosa.






-Bem,na verdade não precisa...- fui interrompida com a expressão de choro dela. “Nossa eu que estou grávida e ela que dar esses ataques!” – Olha eu quero falar com ele em particular,mas eu vou deixar que você seja a madrinha do meu bebe. – disse sorrido,mesmo sendo tosco em falar isso agora.






Ela abriu um enorme sorriso,e se jogou em mim me dando um monte de beijo.






-Ai amiga eu te amo! – disse entre beijos










-Ta bom ,agora me larga que estou com vontade de vomitar. – disse e na mesma hora ela me largou.






E por pior que fosse ,eu realmente queria vomitar.Depois de despeja o pouco que consegui comer no lanche da escola,escovei os meus dentes.Bom,eu sempre carrego pasta e escova de dente na minha bolsa coso precise.






Então fui ao hospital de Forfs,e chegando lá fui procurar o meu avô.






Ele ficou surpreso com a minha procura por ele...Contei a ele o porque deu vir procurá-lo,e falei tudo o que aconteceu até a parte que eu fiz um teste de farmácia,e deu positivo.






Como sempre ele foi compreensivo comigo,e imediatamente me levou para fazer um exame de sangue...,e como já esperado,o resultado deu positivo também.






-Nessie...,o que você pretende fazer agora? – perguntou ele com uma expressão preocupada.Engoli a seco e respondi.






-Bem...,primeiro eu vou contar aos meus pais,e se ele me deixarem viver...vou decidir se conto ao Jack.






-Querida eu sei que você está magoada com ele,mas acho que você deve agir de forma sabia.Tentarem se entender...- disse ele






-Vovô eu não quero que mais uma vez ele fica comigo por tem que ser.Já basta ele sentir o que sente por mim,por causa do imprinting.E agora ele ter que ficar comigo por eu está esperando um filho dele.






-Olha...,tudo o que posso dizer a você ,que não se precipite.Ele tem o direito de saber...E quanto ao que ele sente por você,já é hora de superar isso.Eu vejo em você o quanto você o ama,e está sofrendo por isso. – suspirou. – Nessie,você já viu os outros imprinting,e nenhum deles se sentiu mau por esta sendo amada por conta de uma magia.






-mas nenhuma delas teve o seu amor,apaixonado antes pela sua mãe,ou queria te matá-la por achar que havia matado a sua mãe.- rebati.ele me olhou ,ponderando no que argumentar....Mas acho que ele não tinha uma resposta sabia como ele tinha para todas.E o mais engraçado que eu queria que ele tivesse uma resposta.






-E se tivesse?Isso mudaria o seu modo de pensar? Você esqueceria o passado,e viveria só presente junto com ele? – sua pergunta me atingiu em cheio.E pelos seus olhos ele percebeu que suas palavras fez efeito em mim.Eu não respondi,só procurei guarda aquelas palavras a mim,e pensar. – Pense bem.E aja com maturidade,já que agora você está disposta a criar este pequeno ser humano que está a caminho dentro de seu ventre.- disse ele por fim.






-O senhor está certo.Eu vou pensar – suspirei e me levantei. – Vou indo,e...nos vemos na mansão. – disse lhe dando um beijo no rosto.






-Você vai direto pra lá? – perguntou ele.






-Não.Primeiro eu vou em casa tomar um banho e trocar essa roupa de escola.E vou até lá contar logo a eles.- disse.- E além do mais,eu não quero fazer o senhor esconder do meu pai leitor de mentes esse meu segredo por muito tempo.






Carlisle deu um sorriso,leve e assentiu.






-Você quer ajuda para contar a ele? – disse ele.






-Hum...não precisa.E na verdade,encarar os seus problemas faz parte da maturidade.E é bom enfrentar contando logo os meus pais.- ele assentiu






Depois disso,fui pra casa.E lá por um milagre,só havia Sue que estava preparando o jantar,embora agora Seth estava conosco desde que voltou assim que conseguiu a sua licença de médico,e desde então só vive em La Push preparando tudo para abrir a sua clinica..Então fui para o meu quarto só dizendo alto em bom tom que havia chegado.Pois agora eu procurava ficar longe da cozinha,pois ultimamente os temperos da Seu estavam me enjoando.E uma coisa eu sabia,ela estava desconfiada de alguma coisa,só que por sorte ela não me perguntava nada,talvez esperando que eu mesma a procurasse para lhe falar.






Já em meu quarto,fui direto pro banho,depois escolhi uma roupa bem adequada,uma calça jeans,blusa com manga cumprida e um casaquinho preto,e tênis.






Me despedi de Sue dizendo que iria a casa de meus pais,e que voltaria sói a noite.






No caminho dirigindo o meu carro,que tanto o meu pai me encheu em comprar para mim,e pelo menos não foi nada chamativo...Fique pensando nas palavras de Carlisle no hospital,mas tentei sai destes pensamentos,pois eu não queria que o meu pai visse tudo em minha mente antes de contar,agora que eu já estava chegando próximo a entrada que levava a mansão.






Chegando lá,como sempre bem tratada...E sem demorar,chamei os meus pais para conversar com ele,Embora que mesmo os outros em cômodo,pudesse escutar tudo,eu quis ter uma ambiente em que eu me sentisse segura para contar ele somente.Ridículo ,mas fiz.






Então contei a eles sobre a minha gravidez.O meu pai de primeira fez uma cara de que iria matar alguém,e esse alguém seria o Jack,mas a minha mãe mesmo não gostando muito da situação por eu ser muito nova,ela tentou aclamar o meu pai que já estava quase indo atrás do Jacó .Mas eu disse a ela que ela não sabia ainda,e que eu preferi contar a eles primeiro...






Alguns minutos depois,o meu pai já não estava mais com cara de que iria matar alguém...Bom,ele ficou meio que satisfeito por eu ter escolhido contar a eles primeiro,mas ele fez o seu sermão de como é complicado cuidar de um bebe,e bla bla bla...Mas eu argumentei que eu teria eles para me ajudar,e como era visível que seria assim,tudo ficou resolvido.Conversamos mais um pouco...e depois fomos anuncias o resto da família que já sabia...Que sem esperar,todos ficaram contentes e aceitaram a minha gravidez,dizendo que me amam acima de tudo, para me ajudar.






Tive que aturar as piadinhas de Tio Emmet,dizendo que agora eles teriam um filhotinho de cachorro para cuidar.E nessa hora,e espantosamente Tia Rosalie deu um tapa de quase arrancar a cabeça nele,dizendo que respeitasse o bebe,que não importava se o pai era um cachorro,a mula sem cabeça,ou saci perere,ou sei lá o que.E seria bem cuidado e tratado com todo carinho que merece.Nessa hora todos ficaram de boca aberta...E nem precisa dizer,que a partir daí,ela voltou a falar comigo,além de ter me pedido desculpa por tudo que ela falou naquele dia...Como também ela disse que nem tudo que ela disse era verdade,e que exagerou.






Apesar de tudo,algumas coisa eram verdade,mas agora eu tinha que pensar no que fazer .Contar ao Jack e criar o meu filho sem ter que fazer ele ficar comigo por causa da gravidez...






Depois de ter contado a todos,Tia Alice ficou me alugando já fazendo planos de como seria o quarto do bebe,e para piorar tia Rosalie se juntou com ela...No final a pergunta que não iria calar foi perguntada.E mais uma vez pelo incoviniente tio Emmet,mas dessa vez ninguém fez menção a reprimi-lo ,porque eles também queriam saber. Ti Emmet perguntou quando eu iria falar com o Jack ,mas nem eu mesmo sabia.






Depois da minha resposta,ninguém falou mais nada sobre isso,deixando que eu decide como eu quiser fazer.






**************************************************






Dois dias se passaram e hoje era sábado...Todos da casa estavam em La Push,pois hoje seria o mutirão para arrumar a casa onde seria a clinica de Seth.






Como ultimamente eu só vivia com sono,acabei acordando quase na hora do almoço.E Já pulando da cama,pois eu prometi ao Seth que iria dar uma passada lá.






Minha mãe e tia Rosalie não queriam que eu fosse,por causa do cheiro da tinta,e poderia fazer mal ao bebe,mas eu tive que argumentar e prometer que não pegaria peso,e ficaria longe da tinta,e eu só estava indo lá porque prometi ao Seth...Mas surgiu a pergunta se eu não iria logo falar com o Jack. Minha resposta foi talvez,mas ninguém falou nada ou argumentou o que deveria fazer.






Já de banho tomado,roupa limpa,e uma vontade de comer abacaxi com molho de carne,fui até a cozinha,e abri a geladeira tomando leite na garrafa.Bom foi tudo que conseguiu entrar no meu estômago.Então fui para o meu carro,e seguindo La Push.






Assim que cheguei lá me deparei com um cena que fez o meu coração acelerar como,ai sei lá o que...Jack estava de costa encima de uma escada,só de bermuda suja de tinta.Céus! Nessa hora eu tive vontade se ira até ele e agarrá-lo .Quando eu reparei que tinhas uma garotas passando por ele e dando sorrisinho para ele que parecia nem ligar,eu sai do carro que nem uma louco com vontade de arrancar a cabeças daquelas vadias oferecidas,mas acabei travando na hora que ele olhou diretamente pra mim.






Os seus olhos,tinha um sentimento de dor,saudade,desejo.Mas antes deu tomar coragem e ir falar com ele.É falar!Porque do nada eu quis contar a ele que eu esperava um filho dele.Só que der repente Seth apareceu gritando o meu nome.






-Até que em fim você chegou! – disse ele me abraçando. – Olha mocinha,não pense que você vai escapar.Já pode se trocando e colocando a mão na massa.






Quando eu ia abrir a boca pra retrucar,um cheiro chegou em mim em cheio.






-TODOS LAVEM AS MÃOS E VENHAM COMER. – gritou Sue chamando todos para o almoço.Em suas mãos ela carregava uma imensa travessa de peixe acebolado.






Uma ânsia começou a invadir a minha garganta.Seth não reparou a minha expressão.






-Salva pelo gongo! Vamos almoçar? – disse ele voltando a me olhar,mas quando ele olhou bem pro meu rosto sua expressão sorridente mudou para preocupada. – Nessie,você tá meia verde.Você está se sentindo bem?






Não sei porque ,eu odiei a palavra verde,e outra vez uma um vento trouxe o cheiro do peixe até mim.E nessa hora eu sai correndo com a mão na boca e despejando todo o leite que bebi numa moita próxima.






Minha ânsia era tão forte que todo mundo olhou onde eu estava fazendo barulho enquanto vomitava.






Seth estava do meu lado,sem entender porque eu estava assim.E isso só me fez me perguntar,é que espécie de médico fica todo confuso em ver alguém vomitar.






Quando parei de vomitar,nem reparei quem estava ao meu lado.Só sentia mãos quentes me envolvendo,e do nada,a minha cabeça começou a girar,e acabei apagando.






Quando voltei a consciência,me deparei com um olhar preocupado me fitando.Tentei me levantar,mas a tontura ,me envolveu outra vez.






-Fique deitada ...- sua voz rouca estava preocupada,e sua expressão era mais ainda.






Sentindo que não estava no mesmo lugar,eu perguntei.






-Onde eu estou?






-Na minha casa...Tecnicamente no meu quarto. – Jack respondeu






Respirei fundo,e olhei em seus olhos.Mas antes deu falar algo,ele começou a falar...










-Eu sei que você quer que eu fique longe de você,mas eu não podia ter ver daquele jeito e não está ao seu lado...Nessie eu...






-Tudo bem...Mas não fala nada que eu ainda estou enjoada...- disse o interrompendo.






-Ta enjoada ainda,quer que eu chame o sua mãe,ou seu pai,um médico? – disse ele vindo ao meu lado






-Temos uma médico perto,e parece que ele ficou mis assustado do que com a intenção de me socorrer.- brinquei






-Acho que foi pressão do momento.Tipo...,todo mundo esperando dele,e do nada travou. – disse ele






-Quer tomar algum remédio? O Seth deixou uma receita com o nome de um remédio para náuseas, e o Embry foi comprar para mim,enquanto eu ficava com você...






-Posso até tomar,mas não vai aliviar esse enjoou por muito tempo. – disse me sentando na cama.






Jack me olhou como se não estivesse entendendo o que eu quis dizer com aquilo,então continuei a falar.






-Não vai adiantar de nada o remédio...- dizia mas ele me interrompeu.






-Porque? – perguntou ele intrigado.






-Porque só vai passar daqui se não me engano ou tiver sorte,daqui a dois meses...






-Dois meses? Eu não estou entendendo.Porque daqui a dois meses?- ele parecia já está entrando em desespero.Então resolvi falar de vez






-Porque é normal quando uma mulher está grávida. – disse






Ele me olhou com incredulidade,e parecia que era ele que agora estava verde.






-Grávida? – sussurrou ele,não conseguindo falar direito.






-Sim.Eu estou grávida.Vou ter um filho seu.














CONTINUA.....
                           **BY:Lu Fanfics**

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados