Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

Capítulo 11-Inimigos

POV RENESMEE:




-Hora,hora...!O que temos aqui...?


Uma voz masculina rompeu o silêncio em minha volta.Mas nesse momento de torpor,eu sentia a presença não só de um homem,mas sim de duas pessoas.


Sem ao menos eu me dar ao trabalho de olhá-los,eu senti as suas aproximações em direção a mim.Não me importei se aqueles seres passavam alguma ameaça ou perigo,eu só continuei mergulhada em minha dor.


As minhas lágrimas,não paravam de rolar em meu rosto.E tudo o que eu sabia era que aqueles estranhos,continuavam a se aproximar de mim.


Sutilmente eu senti os dois pararem em minha frente,vendo a minha figura desolada,e olhando o nada.Eu sabia que eles sussurravam algumas coisas,mas a minha mente não deixavam eu poder ouvir ou entender cada palavra ditas por eles...


**********************************


POV VOLTURI * FELIX E DEMETRI*


Felix e Demetri estavam em uma missão junto a seu mestre Aro,mas antes de voltarem para o seus respectivo lar em Volterra,foram caçar e por fim encontrar seu mestre com uma parte da guarda que os esperavam em um local apropriado de encontro.


Aro e sua guarde tinha viajado a uma missão de suas fingidas punições ,mas ao voltarem com sucesso de seus êxitos.Todos tinham sede,e a maior parte da guarda haviam caçado.E os únicos que anda não haviam caçado era Demetri e Felix,e com a permissão de seu mestre foram caçar.




Eles corriam em direção uma parte nevada,mas que no fim haveria uma pequena cidade onde ele poderiam encontrar sua presa.Mas antes de chegarem a extremidade para onde seguiam,Um vento ao norte soprou,trazendo um cheiro diferente,porém apetitoso para o seus paladares.Felix não resistiu ao cheiro e foi direto para onde vinha aquele aroma dos deuses.


Demetri o seguiu,e quando ambos chegaram ao local onde o cheiro estava intenso.Se depararam com uma linda figura cuja expressão era vazia...


-Hora,hora...!O que temos aqui. – disse Felix,e admirou-se pela falta de reflexo da humana a sua frente.


Demetri se sentia rígido,pois ele estva com muita sede,e sendo que foi Felix que a encontrou,seria só ele a saciara sua sede,sendo que ele teria que ficar olhando.


Vendo que a jovem em suas frentes não se movia e nem piscavam,com cautela se aproximaram.Quando estavam a poucos centímetro,pararam e foi Felix que voltou a falar.


- Estou admirado por uma bela jovem esta sozinha no meio do nada.Ha muito perigo por ai.Sabia? – disse ele.


A garota não respondeu a sua pergunta,e nem parecia está com medo,pela ameaça que ele corria.Ela parecia está em um estado de catatônico. E mesmo assim,quem continuou a fala foi Demetri, sem ao menos se importar se haveria medo na evidente presa.Mas a sua voz tinha um tom de despeito.


-Acho que não há motivo para você ir tão longe saciar a sua sede Felix.Ao contrário de mim,que tem ir mais além.


-É verdade...- murmurou Felix,ainda olhando com intensidade e desejo para a jovem desconhecida.


Então ele se aproximou dela,deixando Demetri um pouco para trás.E se abaixou a frente da jovem,de uma forma que o seu joelho estivesse ao são e o outro erguido para apoiar o seu braço...


Por fim Felix levou a sua mão direita ao rosto molhados de lágrimas da jovem,e posou em seu queixo.E fazendo com que ela ficasse com os seu olhos a olhá-lo,mas os olhos dela estavam sem foco,pois ainda estavam longe em seus pensamentos.


-É uma pena eu ter que beber o seu sangue,porque você é tão linda.- suspirou Felix,e nessa hora ele reparou que ela tinha um cheiro diferente dos humanos. – Você tem um odor muito estranho,mas para mim ainda é apetitoso...Me diga...?Qual é o seu nome?


Demetri ao escutar a pergunta idiota de Felix,bufou rolando os olhos e disse...


-Hunf!Para que saber o nome dessa humana?Sacie a sua sede,e vamos em borá. – disse ele com azedume.


-Paciência Demetri!Estou pensando se antes de beber o seu sangue,eu desfrute o seu corpo antes...Além de tudo,faz um bom tempo que não aprecio uma pele quente e macia,e muito menos humana...


-Diz isto porque tens sua caça em suas mão. – retrucou Demetre.


-Não precisa se exaltar .Hoje eu estou de bom humor e quero compartilhá-la com você.Está preciosa tem vários atributos que podem satisfazer a nós dois.O que acha? – disse Felix dessa vez olhando para Demetri por cima de seu ombro.


Demetri tinha uma expressão de que estava se decidindo. A jovem ainda estava com sua postura de estátua viva,e sem perceber os planos de Felix e Demetri em usá-la como o seu o objeto de orgia,para saciar os seus desejos masculinos,e por fim matá-la,e sugando a até a ultima gota de seu sangue.


Demetri caminhou até ela avaliando a,e parou ao lado de Felix.


-Acho que aceito a sua oferta,pois esta humana não é tão asquerosa .E você está certo em sua avaliação,sobre os atributos femininos dela.Tudo em seu corpo me agrada,e confesso que minhas mãos estão queimando de desejo em tocar estes seios nos quais nunca toquei igual,a nenhuma das fêmeas de nossa espécie.Excitante! – disse Demetri,fazendo com que Felix risse satisfeito com a aceitação de seu amigo.


-Realmente – disse Felix apreciando o volume dos busto da jovem,que estavam um pouco a mostra,devido a alguns botões de sua blusa estarem abertos um pouco.Então ,Ele voltou a olhar para o rosto dela,direcionando as suas palavras a ela. – Você ainda não me respondeu ,qual é o seu nome. – insistiu Felix.Ele inclinou a sua cabeça de lado,esperando a resposta,mas Demetri quebrou o silencio.


-Que delicioso...! Ainda por cima é arisca.- disse ele sorrindo.
-Como adoro mulheres ariscas! Sinto me excitado só de pensar em senti-la se debater em meus braços enquanto a penetro por trás. – disse Felix com um olhar predador.


-Partilho de sua adoração,pois adoro o som dos estalos de seus ossos sendo quebrados,enquanto as possuo,antes de beber o seu sangue...Isso é tudo que faz valer a pena possuir uma simples humana...- disse Demetri.


Na sua velocidade inumana,Demetri pegou a jovem em sua braços pousando as costas dela em seu peitoral,e assim fazendo a jovem por acordar de sua postura de estátua.


-Não faça isso! – sussurrou a jovem arfando em sua defesa.


-E porque não fazermos? – disse Felix se postando na frente dela com um sorriso malicioso.


-Chega de conversar Felix.E faça as honras ao nosso banquete. – disse Demetri,roçando os seus dentes na pele marfim e macia da jovem.


-Com prazer. – respondeu Feliz se aproximando.


-Não! – disse a Jovem.


-Sim...- sussurrou Demetri em seu ouvido


Numa velocidade desconhecida para Demetri,a jovem desviou de sua primeira dentas em seu pescoço.E se desvencilhando de seus braços.


Tanto Felix quanto Demetri,não reagiram ao espanto de como uma simples humana pode se desvencilhar de um aperto de um vampiro.


-Por favor! Não façam isso. – pediu a jovem outra vez com um olhar inocente,trazendo uma desconfiança aos vampiros.




-Quem é você? – perguntou Felix com desconfiança


Mas antes da jovem responder,Demetri falou.


-Tem algo de errado Felix.E essa garota,não parece tão humana observando melhor agora.Ela parece sem mais quente que um humano normal...E escute o seu coração!Não bate como qualquer um. – disse Demetri


Felix observando o que Demetri observara,assentiu ao que ele disse.


-Você está certo. – disse ,mas agora falou diretamente com a Jovem – Você não respondeu.Quem é você?


A jovem observou minuciosamente a pergunta,mas resolveu responder a primeira pergunta em que ele fez .


-Eu me chamo Renesmee.Renesmee Cullen. – disse ela


Os dois vampiro se entre olharam,não acreditando no que escutaram.Pois ela era uma Cullen?Como assim uma Cullen? Todos os Cullen são vampiros...A não ser que outro idiota apaixonado se interessou por uma outra humana.Mas essa não parece ser tão humana.


-Cullen? Você? Uma Cullen? Duvido. – disse Demetri
Renesmee o olhou calmamente ,mas respondeu com altivez.




-Sim,eu sou.E não tenho porque mentir. – disse ela.


-Então diga o que você é.Pois não é uma vampira,e também não é uma humana. – retrucou Felix.


Renesmee ponderou por um segundo,pois uma coisa ela sabia.Ela não poderia dizer o que ela era realmente,pois ainda existia uma ocultação do que ela era ainda mais esconder dos Volturi a sua existência.


-Não interessa a você o que sou.- respondeu ela sem ter medo.


-Pode não interessar a mim,mas irá interessar o meu mestre. – respondeu Felix


-Mestre? Que mestre?– disse ela com incredulidade.


-Aro. – disse Demetri. Nesse momento Nessie observou as veste de ambos vampiro,e viu um broxe com brasão da família real.OS VOLTURI.


Quando ela percebeu o que aconteceu.Demetri estava com ela em seu ombro a carregando para longe daquele lugar onde ela estava a e a levando pra conhecer o seu mestre.E pelo que ela pode ver,não teria escapatória em não conhecer Aro.


Como bons leais saudados,Felix e Demetri levou a sua caça para a presença de seu mestre,deixando o seu desejo de saciar suas sedes e fazer o que eles julgavam ser certo.Mas suas prioridades a isso era por eles saber que tudo que envolvias os Cullen Aro se interessava,e lá estava uma coisa muito interessante que envolvia o nome dos Cullen


****************************************


POV OS CULLEN. # Minutos depois da figa de Renesmee.#






A discussão ainda estava a toda na sala da mansão Cullen. Injurias, insultos saiam dos lábios de Rosalie.Jacob por mais que retrucava com veemência em sua defesa,e por mais que mostrava,que se arrependeu por tudo o que fez,e que realmente amava Renesmee e queria o seu bem...Nesse momento querendo ou não tudos viam a verdade nas suas palavras,todos menos Rosalie.Até mesmo Edward a ajudava um pouco,mas a sua atitude agora era mis de um pai ciumento que via a sua filhinha mostrando ser uma mulher.E o homem que um dia disputou com ele o amor de sua existência e agora sendo o seu genro,e vendo toda a verdade e sentimento na mente dele,pra ele é difícil aceitar os fatos.


-Você é um hipócrita seu fedorento. – disse Rose


-Eu não sou hipócrita coisa nenhuma sua loira falsa.E eu sei que errei,mas eu me arrependo muito e sinto muito.Mas infelizmente eu não posso fazer o tempo parar e fazer o tudo ao contrario. Mas agora tudo o que posso fazer é pedir desculpas.e se não for o suficiente eu lamento. – disse Jack


-Pois lamente,pois ninguém aqui ira te perdoar,ainda mais agora que você está usando Renesmee como produto de vingança.- acusou rose


-Eu não estou a usando coisa nenhuma.Eu realmente a amo.Ao contrario de você que não pensa em suas palavras para a magoá-la .


--CALEM A BOCA VOCÊS DOIS! NÃO IMPORTA MAIS O PASSADO,O QUE IMPORTA É O FUTURO...SEI QUE VOCÊ ERROU JACK E VEJO QUE ESTA ARREPENDIDO.MAS AGORA O QUE ME IMPORTA É A FELICIDADE DE MINHA FILHA.E SE VOCÃ A AMA EU ACEITO VOCÊ COMO O MEU GENRO,COMO ESPERO QUE POSSAMOS REONSTRUIR A NOSSA AMIZADE. – disse Bella


Todos ficaram espantados com as palavras de Bella


-Bella você ficou louca? – disse Rosalie


-Bella o que você está fazendo? – disse Edward,não entendendo a atitude da sua esposa.-Como você pode perdoar esse daí depois de tudo?


-Eu não perdoei você Edward quando me abandonou anos atrás? – rebateu ela.


Edward ficou com uma expressão de dor,mas surpreso que Bella apos em pauta aquele fato agora.


-Foi diferente. – disse ele.


-Não,não é diferente. Foram magoas,sofrimentos. E eu sofri com aquilo,como sofri fugindo para proteger a minha filha.Mas se eu perdoei você no passado,então porque eu não posso perdoar o Jack? E acima de tudo Edward,está em joga a felicidade de nossa filha. Você não vê? Ela desde antes de vir para Forks ,ela parecesse distante de nós.E quando eu penso que as coisas então mudando,tudo voltar.E eu não vou fazer mais nada para afastá-la de mim,e creio que ninguém, aqui vai querer fazer isso. Desde ontem eu estou pensando em tudo o que aconteceu,e tudo que conclui foi que se impor a ela o que queremos o que ela faça,perderemos ela de vez.E eu sei que Jack não fará mau a ela,e a fará feliz,como eu vou me sentir feliz em vê-los juntos felizes ,e ele com o seu amor verdadeiro e destinados para ele.


Edward observou as palavras de Bella,mesmo não querendo ele viu que ela tinha razão,pois a felicidade de Renesmee,era acima de tudo a prioridade.E querendo ou não,ele tinha que admitir que Jack era a felicidade de sua filha,pois mesmo ela não demonstrando ele sabia que sua filha tinha uma certa ligação com Jack,mas não sabendo de sua existência.


Por fim,uma voz sobre saltou,um fato que ninguém havia reparado...


-Onde está Renesmeee? – perguntou Emmet.


Todos olharam em direção onde pensavam que ela estava ,mas não havia ninguém.pois antes de alguém ir procurá-la ,uma visão surgiu na mente de Alice.


-Mas o quê que é isso?- perguntou Edward postado em frente a Alice.


Alice voltou ao foco,mas não sabia direito o que significava a sua visão.mas antes que ela respondesse,outra visão surgiu em sua mente.Em sua visão ela primeiro viu Felix e Demetri indo ,em uma direção na qual em parte ele somem um pouco.E depois Aro em um lugar mais distante onde eles estavam,mas depois tudo some,como se o que fez Demetri e Felix sumir,fizesse mesmo com Aro e mais alguns de sua guarda.E tudo em sua visão indicava a uma pessoa.


-O que isso significa Alice...? – Edward perguntava já completamente atordoado.


-Só o que posso concluir,é que é inevitável o encontro de Aro com ela


-NÃO! – disse Edward.


-O que está acontecendo? O que Alice viu? – perguntou Esme.


-Renesmee.Ela esta correndo perigo.Acho que ela encontrou com Felix e Demetri,e eles a estão levando para Aro. – respondeu Alice.


-Para Volterra? – disse Calisle.


-Não,nas montanhas do Canadá ao sul...


-Temos que ajudá-la. – disse jasper.


-Eu vou com vocês. – disse Jack desesperado.


_Jack,não.É perigoso...,e os Volturi não sabe da existência de lobisomem.E isso pode ser perigoso pra você . – disse Bella.


-Isso não me importa. E o que me importa e salvar Nessie. – respondeu ele.


-Ah que maravilha! Primeiro quer que ela morra ,agora quer salvar ela. – resmungou Rosalie


-Cala boca Rosalie! Isso não é hora de acusação. – disse Edward. – E você Jacob,se quer correr esse risco por Renesmee fica por sua conta.Agora vamos antes que seja tarde.


Todos assentira.E não havia mais tempo.Era correr,ou correr.E todos correram ao socorro de Renesmee.




*************************************************************************************




POV RENESMEE:




Eu sentia a necessidade de me defender,mas o que eu poderia fazer com esses dois vampiros que me levam para ao alcance do temido Aro.


E não demorou muito a corrida,e logo eles estavam numa campina com pouca neve.Lá estava mais ou menos dez vampiros.E uma deles me observava com curiosidade...Foi quando fui levada até ele,e pude concluir que era nada menos que o tal Aro de que minha família falaram...


-Porque trouxeram está humana aqui? – perguntou Aro com curiosidade aos dois vampiro,se não me engano Felix e Demetri como se chamam.


-Mestre...Ela não é humana. – disse o grandalhão,Felix.


Aro me observou com cautela,e deu uma sorriso da qual parecia não acreditar no que seu subordinado falara.


-Ela não é humana? Pois não vejo ao contrário. – disse Aro com incredulidade no olhar.


- Mestre! Ela disse que é uma Cullen. – disse demetri.


Ao escutar o que Demetri disse,Aro arqueou um sobrancelha,mostrando um interesse maior ao ouvir falar o nome Cullen.


-Disse? Então só há uma forma de saber se ela falou a verdade. – disse Aro vindo em minha direção.E quando ficou a poucos centímetros de mim,ele pegou a minha mão e fez uma cara de que estava perdido em pensamentos.Ante que eu pestanejasse ele soltou a minha mão,com uma sorriso irônico em seus lábios.


-Parece que ela disse a verdade.- sorriu. –Quem diria que eu estivesse diante da filha de Edward com Isabella.Concebida e trazida ao mundo por sua mãe ainda humana. Kkkkkkk. Fascinante!


Aro refletiu por um momento ,e voltou a falar.Mas uma coisa que me intrigou de primeira me trouxe a resposta.Aro era uma leito de memórias.Ele com um toque em suas mãos,veria todas as suas lembranças ,pensamentos passados.


- Mas o que na verdade me fascinou foi esse seu dom de manipular a mente de todos,destruindo sem menos o tocar. – disse ela


Nesse momento,eu comecei a temer,pois pelo que sei de Aro ela é o tipo de homem que gostar de ter vampiros com Don para compor a sua guarda de aquisidores . Imediatamente,mostrei com ele não teria chance de me convencer a entrar,na sua guarda.


-Se você está pensando em cogitar em me convidar a fazer parte da sua guarda,pois não perca o seu tempo. – disse sem hesitar.


Na mesma hora,senti uma dor incontrolável,e não fazia idéia de onde vinha essa dor.Mas como eu não sabia como parar aquela dor,tudo que só consegui fazer,é me concentrar de onde vinha aquela dor.E foi fácil descobrir.


Usando o meu dom em meio a dor,eu pude ver a intensidade cerebral de um daqueles vampiros.E era uma garota com carinha de anjo que estava logo atrás do seu mestre assim que cheguei.ela tinha um sorriso triunfante,com diversão ao meu sofrimento.Na mesma hora,todo ódio me consumiu,e tratei logo de tirar aquele sorrisinho.


Num piscar de olhos quando ela ainda sorria com minha dor,no mesmo segundo ela estava estirada ao chão como se estivesse morta.Igual eu fiz com o meu pai.Eu podia muito bem destruir não só o seu cérebro,eu podia estilhaçar a sua cabeça e só sobrando o seu corpo.Mas eu queria mostrar a ela que ela não podia me dominar,mas se fizesse outra vez não pouparia esforços.


No mesmo instante que ela caiu,eu estava de pé a olhando com o mesmo sorriso de satisfação que ela deu a mim.


-Jane? – um garoto com a carinha de anjo igual a vaca que parece que se chama Jane estão ao seu lado,sacudindo o seu corpo totalmente sem sentido.


Aro a olhou com surpresa,e voltou a me olhar com fascínio.E o tal Felix veio em minha direção querendo me dominar,mas como Jane,ele acabou no chão como um morto.


E como achavam que poderiam me dominar,dois dos guardas veio até mim,e antes de tocar em um fio de cabelo meu,eles estava com suas cabeças estilhaçadas em pedaços.Nessa hora Aro me olhou com espanto,vendo que eu poderia fazer.E pelo que vi ,ele não estava disposto a perder mais de seus preciosos por minha causa.


Tudo o que eu via era,cada mente daqueles seres imundos mediucre.Eu sabia que isso iria causar um desejo de Aro me ter sob seu domínio.Mas eu não iria aceitar.


-Não se preocupe.O grandalhão aqui e a coisinha ali,em segundos estão de pé outra vez. – disse a Aro


Dadas as minhas palavras,os dois se levantaram e rosnaram para mim.E quando eu estava preste a fazer o mesmo com ele,Aro intercedeu.


-Nada de atacá-la. – ordenou ele.


Com a posição de cachorros obedientes ele se posicionaram numa forma normal.


Jane ainda me olhava com fúria,e eu para provocá-la disse um “O que?” num sussurrrou.


Mas antes que ela desse um rosnado,Aro voltou a falar para mim,mas sua expressão era nada cordial.


-Vamos ao que interessa. Você pode dizer que não fará parte da minha guarda.Mas a sua única alternativa é aceitar,pois não posso deixá-la sair com vida,pondo em risco a natureza de nossa espécie com uma criatura desconhecida como você. – disse ele.


Não sei como,e porque,eu não me reconheci,pois na mesma hora,eu comecei a gargalhar do que ele disse.Eu juro,mas para mim foi uma ridícula tentativa de ameaça,e também juro que acho que esse dom que ela tem é uma porcaria,pois se ele viu do que sou capaz,não ousaria em me ameaçar.


-Está rindo de mim?Como ousa ? – disse ele entre dentes.


-Sim.Você mostra ser um homem astuto,mas me parece um ser muito burro.E não está se poupando a não pagar mico. Por acaso não percebeu do que sou capaz? Suas ameaças não me valem de nada...Porque antes de qualquer um desses seus soldadinhos de merda me tocar,eles já estarão com suas cabeças explodidas,e inclusive você. – disse


Aro já não era mais aquele homem cordial,pois ele via que era verdade...E nessa hora eu sentia e via em sua mente um desejo de vingança...Mas já fui logo tirando as suas idéias da sua cabeça.


-E uma coisa Aro.Não pense que eu não estou vendo você formar uma idéia de vingança,ou uma forma de mim atingir.Seja o que for,antes de encostar em alguém de minha família ,de todos que eu amo,até mesmo o homem que eu amo...- pausei sentindo a dor em me lembrar dele. – Você não estará mais nesse mundo para contar suas historias,e nem os seus soldadinhos de chumbo.


-Sua...- dizia Aro,mas ele se calou quando outras presenças chegaram naquela campina.


Pelo canto dos olhos pude ver que eram a minha família,e até mesmo ele em sua forma lupina.Por um instante eu senti o seu olhar angustiado em mim.E pude sentir a sua dor,mas me contive para não perder a minha dignidade e orgulho,e me concentrar no que tinha em minha frente.


-Vejo que chegaram reforços! – comentou Aro com ironia.


-Se pensa assim,é problema é seu.Mas sabe que antes deles mover um dedo,eu mesmo já tenho acabando com você e sua guarda. – disse .


Aro se conteve,e viu que não teria escapatória em sair com o seu rabinho entre as pernas,porque se não ele não sairia vivo dali. E pelo que senti na hora em que eu acabei com um de seus guardas,era que um deles era um escudo protetor.E se um escudo tem seu dom quebrado por mim,com certeza os outros também teriam o fim do mesmo.


Sem formalidades,Aro dar ordens a sua guarda,e todos se postam para partir. Sem ao menos fazer a sua pose de bom homem para a minha família.Se foi para além das árvores com sua guarda.


Quando vi que suas presenças estavam bem longe daquela campina,senti o alivio.


-Filha.Você está bem? – olhei para o lado minha mãe me olhando com uma expressão preocupada.Nessa hora eu me lembrei das palavras de Tia Rosalie,que minha mãe era o amor da vida de Jack.Nestas palavras me lembrei,que ele só me amou por causa de uma magia lupina,ao contrario teria me matado no momento em que me viu pela primeira vez.


Ao constatar essa verdade,as lágrimas voltaram a escorrer o meu rosto.E a voz do meu pai,sussurrar próximo a mim.


-Não ,é bem assim filha...- sussurrou ele,mas antes que ele respondesse o que eu estava pensando do fato dele agora esta falando aquilo ,sendo que ele mesmo quer me ver longe do Jack,era absurdo para mim...


-Não posso querer que você fique longe do que ter faz feliz.- disse ele


Sem quere respondê-lo...disse outra coisa.


-Vou pra casa. – disse


-Vai ficar com a gente na mansão? – perguntou Alice,com um olhar esperançoso


-Não.Vou ficar com Charlie por enquanto. Preciso de tempo,e ficar sozinha.- Sem esperar uma resposta ou outra coisa,sai correndo em direção contraria,seguindo o rastro de minha família de volta para casa,mas quando cheguei próxima aos arredores da mansão,desviei em direção a casa do meu avô.


Quando cheguei em casa,não reparei se tinha alguém em casa,e fui direto para o meu quarto.Lá desabei na cama e comecei a chorar.Chorar e chorar.Pois por hora era a única coisa a fazer,e depois tomar uma decisão.


E dentro de mim,uma dor multiplicada por mil vez flamejava intensamente dentro do meu coração.E no meu ouvido ecoava umas palavras ditas pelo meu pai.


“Deixe ela ir.Ela precisa pensar,outra hora vocês conversam melhor.”


E Nessa hora uma dor invadiu o meu peito como se fosse explodir.E eu sabia quem queria vir atrás de mim.Era ele,mas ele teria que esperar...pois as palavras que seriam ditas a ele,teriam que ser decididas e definidas,por hora a gora eu só quero chorar.






CONTINUA....
                                                        **BY:Lu Fanfics**

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados