Natiele Lopes. Tecnologia do Blogger.

capítulo 8-Em Fim Namorados


“E tudo o que tinha certeza,era que não queria parar de beijá-lo,e cada segundo que passava eu queria mais dele.







-MAS O QUE É ISSO! –explodiu alguém,muito do furioso...”





~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~





Ao escutar a voz de Charlie,Jacob e eu nos afastamos subitamente...Vovô tinha uma expressão com um misto de espanto,ultraje e incredulidade...






-Vocês podem me explicar o que está acontecendo? – exigiu Charlie.


Eu não conseguia responder,mas foi Jacob que respondeu...






-Charlie...eu posso explicar. – disse Jack. Bom,não foi bem uma resposta.






- Então explica. – ordenou Charlie – Porque eu quero saber,porque você e minha neta estão se esfregando na cozinha da minha casa.






Antes de Jack responder a vovô,Seth e Sue entraram na cozinha.


-O que está acontecendo? – perguntou Seth,olhando para mim e Jack alternadamente.






-Que falatório e esse Charlie?O que aconteceu para toda essa falação? – perguntou Sue,olhando para Charlie.






Mas antes do vovô responder,Jack se adiantou em explicar.


-Ele pegou Renesmee e eu nos beijando. – sussurrou Jack


Seth e Sue olharam com surpresa para Jacob


-Se beijando? Aquilo parecia um apouca vergonha...- explodiu Charlie fazendo a todos voltar a olhá-lo.


Eu não conseguia dizer uma mínima palavra,e minha conciência dizia para eu falar algo,pois Áquila cituação iria terminar de uma forma não tão agradável...






-Perdoe me Charlie...Não foi a minha intenção dês respeitar a sua casa. – disse Jack


Charlie ergueu uma sobrancelha e disse...






-A é? Então me diga rapaz,quais são as suas intenções? Porque acho que teremos um boa e longa conversa. – dizia Charlie,mas Sue intercedeu.






-Sim...haverá uma conversa.Mas não hoje,porque já está tarde...E antes de tudo todos deverão se acalmar.- disse Sue. – E principalmente você Charlie;pois sua preção pode aumentar ,se continuar nervoso assim.






-É...minha mãe está certa.E é melhor deixar para resolver isso com mais calma,em outra hora... – dizia Seth,mas Charlie o interrompeu.






-Nada disso...Vai ser agora que vamos resolver. – falou Charlie decidido.






-Vai ser outro dia sim,e ponto! – disse Sue,dando a palavra final. – E além do mais,já está tarde,e Renesmee precisa dormi,pois irá acordar cedo para ir a escola...






-Amanhã é domingo,e não tem aula no domingo. – observou vovô com um olhar desconfiado






Sue revirou os olhos,e disse


-Sim ,não tem aula;mas você esqueceu que ela não estuda na escola aqui de Forks...e que onde ela estuda um domingo no mês,todos o professores e alunos se reúnem para a caridade? – disse ela.






Realmente havia este detalhe,e como também eu havia me esquecido. Embora fosse a escola da cidade,era uma regra imposta para todos os alunos...,usando o argumento de ganhar pontos de participação no conceito escolar...Sendo que eu não precisava de pontos por já me dar bem em todas as matérias,mas a minha amiga Anne,ela tinha alguns pendências,então ela me pediu para que estivesse nesse tal dia de caridade,para fazer companhia a ela...E Sue me fez lembrar desse compromisso na qual eu mesmo já tinha me esquecido,e com certeza daria um baita bolo em Anne outra vez...Bom,realmente nem ela mesmo deveria está lembrando,mas o bom é que esse dia de caridade não seria tão um dia,e sim um amanhã de caridade...Portanto foi a desculpa que Sue teve para fazer o meu avô desistir dessa futura conversa.






Charlie tinha uma expressão de que havia lembrando,e inclusive ele mesmo disse que na escola daqui deveria ter esse dia de caridade...






-Tudo bem! Vamos deixar para outro dia. – assentiu vovô,olhando para Jack seriamente,mas para mim,ele olhou com um jeito de que a conversa seria hoje mesmo para mim.E o seu olhar fez com que os pelos de muna nuca se arrepiasse.






-Eu acho melhor eu ir...- sussurrou Jack,e me olhou com uma expressão relutante.Como se o fato dele ir agora e me deixar,estava o fazendo sofrer...E o engraçado era que eu sentia o mesmo.Mas como eu não iria sentir?Ainda mais depois do que acabara de acontecer conosco.






-Eu te acompanho até a porta Jack – disse Seth


Jack assentiu para Seth,e me dirigiu um outro olhar;e esse dizia mais que palavra,pois era uma promessa de que breve voltaríamos nos ver.


Charlie deu passagem para Jacob sair da cozinha...E quando Jack saiu,Charlie voltou a me encarar.Mas antes deu me movimentar em direção ao meu quarto,ele começou a falar,e me fazendo hesitar.


-Ante de subir para o seu quarto...Quero falar com você micinha – disse vovô.


-Charlie,deixa a menina dormi.Amanhã vocês conversam. – pediu Sue


-Sue eu não vou demorar,no que tenho q dizer a ela.E por favor nos deixem a sós? – pediu Charlie.






Sue percebeu que nada iria fazer vovô desistir de falar comigo;então ela assentiu e saiu da cozinha...


-Agora mocinha...eu quero saber o que está acontecendo entre você e Jacob? – perguntou ele seriamente.


Eu não tinha como responder,o certo porque eu nem mesmo sabia o que estava acontecendo entre Jack e eu.E tudo que eu sabia que era algo muito forte.Mas como explicá-lo?


-Nada além do que o senhor viu .- sussurrei. Realmente não havia nada,pois aquele beijo foi a única coisa que aconteceu entre ele e eu.






-Nada?Como acha que eu deva acreditar que não há mais nada depois que os via a beijando daquela forma? – perguntou ele






-Não foi só ele que beijou...e eu também o beijei – defendi. Charlie ao escutar o que eu disse,parecia que ele estava ficando roxo.






-Olha Renesmee...eu vou ligar para os seus pais ,e contar a eles essa situação...- dizia ele,mas quando ele falou a palavra PAIS,eu me desesperei e o interrompi implorando a ele...


-NÃO! – exclamei começando a chorar. – Por favor vovô,não faça isso. – implorei


Charlie me olhou com espanto e com os olhos arregalados,vendo o tamanho o meu desespero.


-Calma...Para que todo esse desespero...? – pediu vovô.






-Vovô por favor,não conte para eles...Porque se não eles viram me buscar e arrastar pelos cabelos,para voltar a morar com eles. E eu não quero ir embora...Porque já foi um custo tê-los convencido de deixarem eu morar com o senhor...- dizia aos prantos.






-Que é isso,menina!Deixa de exagero...-pediu ele,mas eu o interrompi.


-Não é exagero,vovô.Eu sei o que estou falando...E por favor,não conte a eles. – implorei


Charlie continuava me olhando com uma expressão assustada...Então eu continuei a falar.






-Olha vovô,eu sei que o senhor está chateado comigo.E se quiser me por de castigo,me coloca que eu aceito de bom grado...- disse indo até ele,e tentando conter as minhas lágrimas. – E com relação ao Jack...,eu sei que nós dois erramos;mas...por favor.Nos de a chance de fazermos o certo...Nos conhecermos...e por fim namorar se as coisa caminharem por esse ângulo...E se assim for,eu mesmo contarei para os meus pais...






-Renesmee,mas ele é bem mais velho que você...E fora que você pareciam se conhecer a muito tempo,pela intimidade que havia naquele beijo...Deus! O infarto que sua mãe não me causou quando era solteira,você vai causar.






-Ele não parece ser tão mais velho do que eu...E o senhor o conhece,e deve saber que ele não é um rapaz que fará algo de ruim comigo...E a parte de conhecer ele...bom..eu já havia esbarrado com ele por ai...,e conversamos algumas vezes,e o beijo só foi uma conseqüência do que possivelmente estava rolando entre nós – menti em parte...bom,eu não ia falar que conheci ele em forma de lobo...E eu tinha que dar uma desculpa qualquer para fazê-lo entender o que aconteceu.


-É mesmo? Você não me disse que já havia o conhecido. – falou ele com uma expressão desconfiada.


“Céus! Agora eu teria que mentir mesmo.Que emaranhado que eu me enfiei!” pensei.






-Bem...é que eu tinha visto uma foto dele no dia em que fomos pescar com Billy,e ele me falou que era o filho dele...dai depois desse dia eu sem querer esbarrei com ele na cidade...então foi aquela situação de “Ah foi sem querer! E bla bla bla...”e por fim eu reparei que já tinha o visto em algum lugar,e me lembrei aonde ,e então eu perguntei se ele era o filho do Billy...e ele me confirmou...Me apresentei a ele,conversamos e só...até que hoje aconteceu o que o senhor viu...- menti na maior naturalidade.






Confesso que eu quase me enrolei,mas com a cara de que acreditava que Charlie fez,eu me senti em parte aliviada,mas sabia que se eu fosse igual a minha mãe,uma péssima mentirosa,eu tava era ferrada...


- Então vovô...o senhor vai nos dar a chance de fazer o certo...- sussurrei.Pois ele ficou em silêncio parecendo está ponderando algo;e aquilo já estava me matando.


Tudo o que queria era que ele me dissesse que não iria contar os meus pais...E além de saber o que ele seriam capaz de fazer,ainda tinha a história de que eles mantinham um segredo na qual eu não entendia,e principalmente porque eles hesitavam em pronunciar o nome do Jacob em casa,e a assiduamente quando eu estava por perto.Mas isso não tinha relevância agora,pois só o que me importava era saber se o meu avô,não iria complicar as coisas comigo.


-Bem Renesmee...antes de falar o que decidi,eu queria saber o porque de tanto medo deu contar aos seus pais?Pois medo não,melhor dizendo desespero. – ele perguntou meio preocupado.


Deus!Agora o que eu iria responder? Bom seja o que for,eu teria que falar...


-Bem...é que eles são muito protetores,e isso me da nos nervos.Pois se eu desse um espirro sempre tinha alguém da família para saber se era algo grave...E fora a falta de privacidade,e liberdade...E se eles descobrirem que eu estou a namorar. Deus!O mais certos é que eles venham me buscar e me trancarem num convento a sete milhões de chave;ou se não,viram se mudar para cidade outra vez,e me manterão sob vigilância constante. – disse






Vovô revirou os olhos,como se eu estivesse exagerando.O pior era que eu não estava,e sim estava editando a verdade do que realmente eles seriam capaz de fazer.






-Eu não acho que seja tanto...Apesar deu mesmo ter visto o mimo e proteção que eles tem a você,mas...- ele dizia mas eu o interrompi.






-O senhor fala baseado pelo o que viu.E eu falo com base do que eu vivi e senti. – retruquei quase com os olhos marejados de lagrimas,que começaram a brotar.- Vovô eu estou muito feliz em viver com o senhor,e ter a que eu não tinha vivendo com eles...e não quero que um fato de que o senhor me viu beijado um rapaz,seja motivo de uma guerra exagerada de super proteção de meus pais.Eu sei vovô,que o senhor é capaz de lidar com isso melhor que eles...E a mamãe me disse que o senhor foi um bom pai,e eu acredito que o senhor possa ser um bom avô...,e sei que é.Só lhe peço que acredite em si mesmo,e mostre que o senhor soube cuidar de mim,sem interferência deles.


Charlie me olhava sem entender,e disse...


-Você fala como se sofresse,vivendo com eles...Renemee é estranho ouvir você dizer isso,pois eu não tenho nada para oferecer a você,além de meu amor de avô,e um teto para te abrigar...E quanto a seus pais,podem te oferecer tudo e muito mais – disse ele.






-Vovô qual é a parte que o senhor não entendeu,que não me importo com luxo,coisas caras...que meus pais possam me dar...Mas o que eles não me davam o senhor me dar;que é liberdade,uma chance de ser uma pessoa normal que anda de ônibus para ir a escola,pescar,jogar jogos entediantes,porém divertidos por ser algo normal. – argumentei.


Charlie respirou profundamente,olhando em meus olhos.Franzi o cenho com medo de que o meu argumento não iria dar certo.






-Bom,está certo.Vou dar essa chance a você – disse Charlie.E antes deu pular em seu pescoço enchendo-lhe de beijos,ele falou mas algo – Mas ainda sim eu tenho que conversar com Jacob,e saber qual as intenções dele com você.Pois você está sob a minha responsabilidade. – assenti.






E com isso,eu fui até ele sem hesitar lhe dando um monte de beijos...






-Ai eu te amo vovô! O senhor é o melhor avô do mundo. – disse entre beijos em sua bochecha. Charlie corou.






-Ah ta bom garota!Não exagera...- disse ele num meio sorriso envergonhado






-Eu não exagero.Eu Sá falo a verdade. – disse e depois lhe dando um outro beijo no rosto.






Antes de encerrar a nossa conversa,algo me veio em mente.Eu precisava ter certeza de que o vovô iria conversar com Jacob;e não me enrolar e ligando as escondidas para os meus pais.Eu sei que esse meus pensamentos era infantis,mas eu precisava me certificar de que realmente ele falou a verdade em dizer que iria me dar uma chance.






-Então?O senhor vai ligar para o Jacob agora e pedir para que ele venha falar com o senhor amanhã? – perguntei sem hesitar.


-Que pressa é essa garota! Jacob deve já está dormindo a essa hora...e amanhã eu logo para ele. – disse ele com uma expressão absurda sobre o que acabara de perguntei a ele.


-Duvido que ele já esteja dormindo,porque PRIMEIRO: já faz uns 30 minutos desde que ele foi embora;e SEGUNDO: duvido mais ainda que ele esteja acordado depois se sentindo péssimo com o que houve aqui. – disse.


-E como você sabe que ele está péssimo?- perguntou ele com uma sobrancelha erguida.


Bem,eu realmente sabia,sei lá como,mas eu sabia...Pois eu sentia isso,como se aquele beijo fundisse os nossos sentimentos um com o outro.Mas não iria explicar dessa forma para Charlie.


-E não deveria está? Pois eu ainda estou péssima.E envergonhada,pelo senhor ter nos flagrado daquele jeito...Mas não me arrependo do beijo. – disse com muita verdade e certeza na voz.


Vovô me olhou com incredulidade,e parecia que ele iria surtar a qualquer momento caso eu falasse mais alguma coisa intimamente indiscreta.


-Eu joguei pedra na cruz,e a pisoteei!- suspirou ele. –E os meus cabelos de pré grisalho,vão para o branco logo, logo .


Antes que ele me enrolasse,eu insisti novamente.


-Então?Vai ligar agora?- perguntei ansiosa.


-Tenho outra escolha? – perguntou ele,se rendendo.


-Ah...?NÃOOOO! – disse


Charlie respirou profundamente outra vez...


-Está certo...Vamos lá. – disse ele indo em direção ao telefone.E eu o segui.






Ele pegou o telefone,e nessa hora Sue e Seth que estavam longe sentados na sala vendo a TV ;nos observou de longe com incredulidade,mas ao ver o meu olhar alegre,ela sua postura tranqüilizou.


Com a minha audição aguçada,escutei o toque do telefona chamando...E no terceiro toque alguém atendeu...


Quando escutei uma voz rouca e sensual responder...O meu coração parecia que iria explodir de tanta emoção...Eu juro que até ele conseguiria escutar o meu coração bater do outro lado da linha...E esse pensamento,até me fez corar,com a possibilidade.


Deus! Não sei porque,mas eu estava apaixonada por ele,mas será que ele sentia o mesmo por mim?


Essa duvida me fez pensar varias coisas,nas quais essa são seria a hora de pensar sobre isso. Então eu tentei prestar atenção no que Charlie dizia.






-Ah...Jacob,eu sei que está tarde...é que...- pausa – é que eu queria saber se você pode vir amanhã de manhã para conversarmos sobre o que aconteceu hoje. Poderá vir? – perguntou vovô com duvida.


Ai! Ele tinha que mandá-lo vir de manhã? Justamente no horário que eu não estaria em casa...E o pior! Eu não iria saber o que eles conversaram...E se o Jacob iria pedi-lo permissão para me namorar,ou se ia dizer que aquilo foi um erro,e que não iria chegar mais perto de mim...Ai não,isso não pode acontecer!






Ao pensar isso,senti o meu rosto mudar de expressão,de otimismo para desespero...E do outro lado da linha escuto a voz de Jacob responder.


-Amanhã de manhã? Bem...eu tinha umas coisas para fazer,mas eu posso adiar.E pode deixar que eu estarei ao sem falta. – garantiu ele.


-Então ta...Eu espero por você amanhã- disse vovô.






-Claro claro...Até amanhã então. – disse Jacob


-Até! – respondeu Charlie e desligando o telefone em seguida.Então ele olhou para mim e disse: - Satisfeita ? Agora estou absorvido? – disse ele com seriedade no rosto,mas com a voz zombeteira. Nessa hora escutei Seth,dando risada;mas foi ai que eu me lembrei de um detalhe,pois ele me devia uma por não ter me apresentado o Jacob formalmente.Então eu lhe dirigi um olhar serio,mas voltei a olhar o vovô.






-Sim. – disse sorrindo.- E obrigado por tudo vovô.- fui abraçá-lo.


-Que nada...- disse ele retribuindo o abraço.






Mamãe sempre disse que o vovô era um homem que não demonstrava muito os seus sentimentos,mas comigo era diferente.Talvez era porque eu me permitia e o permitia demonstrar qualquer outro tipo de sentimento.






-Bom...acho que vou dormir. – disse me desvencilhando de seu abraço.- Boa noite vovô






-Boa noite,e durma bem – desejou ele. Sorri para ele


-Ah mas com certeza ela vai dormir bem.Depois de ter dado uma de terrorista com você Charlie..., e conseguido de te enrolar...- dizia Seth zombando


- Seth Cida da sua vida,filho. – disse Sue dando um tapa na cabeça de Seth.


-Auuuu! Não precisava bater mãe. – reclamou Seth






Com isso eu tive que rir,e quando ele olhou para mim me vendo rir dele.Ele fez um som de um rosnado que só eu pude escutar,e foi ai que eu lhe mostrei a língua,fazendo ele começar a rir.






-Boa noite Sue! E boa noite para você também...- disse essa ultima para Seth,indo direto subir a escada...Não querendo lhe dar mais uma chance de falar besteira...E eu o arrancasse a língua;e isso não seria legal.






Quando chaguei em meu quarto,fechei a porta e fui direto me deitar na cama...Fiquei olhando por uns segundos para o teto...,tentando imaginar como seria a conversa do vovô com o Jacob...E esses mesmos pensamentos fez voltar aquela insegurança...


Eu sei que já estava virando paranóia,mas estava difícil de não pensar.Pois me angustiava a possibilidade do Jacob não me querer como eu o queria.Mas olhar por um outro lado,da para ver que ele sente o mesmo por mim...Só que isso já estava me fazendo pirar,pois não saber o certo é frustrante.


Então,antes que eu adormecesse,fui até o banheiro fazer a minha higiene bucal,e quando voltava para o quarto escutei o meu celular tocar.


Então fui correndo para pegá-lo com a esperança de que poderia ser ele,mas quando vi o numero,minhas esperanças se foram.


-Alô? – perguntei entediada


-Uou...! Obrigado pela animação em atender sua melhor amiga.- disse Anne






-De nada!E você não esperava que eu fizesse festa por você ligar esta hora.Já são quase meia noite!Sabia? – perguntei


-Eu sei.E tenho um relógio bem de frente para a minha cama – respondeu ela indignada.


-Então isso significa que você ficou cega. Mas o seu tato está bem aguçado,pois conseguiu me ligar...Então me diga!Onde aprendeu a ler em braile? – perguntei sinicamente


-Sem graça! E para que todo esse mau humor?- perguntou ela triste.


-A palavra sono te diz alguma coisa?Além do meu dia ter sido um desastre? Isso é pouco ou quer mais? – perguntei sarcasticamente.


-Nãoooo! Essa parte você pode guardar para o seu travesseiro.- ela brincou.E eu acabei rindo.Pois com essa louca não dava para ficar chateada com ela por muito tempo.


-Tudo bem...Então me diga logo o que você quer,para eu ir me lamentar com o meu travesseiro.- disse


-Liguei para confirmar se você irá comigo amanhã na escola,para o dia de caridade? – perguntou ela cantarolando.


-Claro que sim.Eu compro o que prometo.- disse


-Certo...Então eu estarei ai na sua casa as 7 meia para irmos juntas a escola...Bem,não que eu não confio em sua promessa,mas com o bolo que você me deu hoje sedo,não vou me arriscar


Respirei fundo,contando até três para não mandá-la tomar naquele lugar onde ninguém quer ir.


-Se é só isso Anne...Boa noite e até amanhã,sua chata. – não dei tempo para ela responder;pois eu desliguei muito mau humorada com o comentário idiota dela.Mas eu pude escutar sua risadinha do outro lado da linha,e um “você me ama mesmo assim”,quando desliguei.


Pois fiquei chateada com a o comentário dela,pois como ela pode falar daquele jeito sabendo o que eu passei hoje?Bem..., de certa forma,ela não sabia literalmente o que passei.Mas agora não era mais hora de ficar remoendo a atitude da minha amiga louca sem noção.


Respirei profundamente,deixei o meu corpo cair na cama...Fechei os meus olhos,mas as lembranças do beijo que aconteceu entre ele e eu,vagava em minha memória.


Céus,mas que beijo foi aquele? Eu perdi completamente a noção...E se não fosse Charlie nos ter flagrado,eu com certeza tinha perdido completamente o meu pudor! Não,eu já havia perdido,mas só havia a certeza de que ainda estávamos vestido.E o desejo de que ele me tomasse ali mesmo,fazendo me sua.


“Renesmee Carlie Cullen! Onde já se viu uma moça de respeito pensar em se entregar a um homem que mal você conhece!Deus mas o cheiro de sua pele,os seus lábios quentes e macios nos meus...,o seu corpo musculosa prensado no meu...,faz qualquer moça de respeito perder o juízo! A ponte de me sentir molhada completamente por ele.”- pensei.


Esses pensamentos,me fez pensar que se a uma possibilidade dele ter me achado uma vadia.”Não, não,não,não não...Ele não é assim...Eu sei que ele se sentiu tão necessitado por mim quanto eu por ele...Ai Inferno!Vai dormir Renesmee.Pois amanhã...,quer dizer hoje cedo você terá de se levantar para ir a escola...e fora o tempo que você estará lá,tu vás ficar inquieta,imaginando o que possa está acontecendo.”


Reprimindo a mim mesma,fechei os meus olhos para tentar dormir...Revirei toda noite pela cama,mas só foi no momento em que eu comecei a lembrar do beijo de Jacob que tive a certeza de que estava sonhando,e só foi ai que senti um ardor em minha pele,pois o sol estava adentrando pela janela de meu quarto,por mais que estivesse fechada.


Olhei para o relógio,e vi que faltava uma hora e meia para eu ir a escola.


Demônios!Quem foi o infeliz que inventou está merda de dia de caridade,obrigando os alunos fazer parte disso uma forma de ganhar pontos.Já não é o suficiente os teste,trabalhos,feiras...sei lá mais o que,para termos pontos bimestrais?


Eles deviam deixar para os velhos desocupados,que não tem nada para fazer,e que não tem só o sábado e o domingo para descansa.Mas fazer o que?


Sem relutar,e relutando ao mesmo tempo,levantei me...indo direto para o banheiro.E antes de atravessar a porta,algo veio em mente.Pois daqui algumas horas,Jacob estará aqui para falar com Charlie...E isso me fez voltar a ficar nervosa.Céus! Vejo que hoje as minhas unhas não irão sobreviver o meu nervosismo.


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~


POV Jacob:






Ao vê-la bem na minha frente,contemplando os seus lindos olhos,e deslumbrando com o seu brilho,senti como se o meu mundo tivesse parado naquele exato momento.O meu desejo era de tomá-la em meus braços,e beijá-la intensamente.E quando seu lábios se abriu um imenso sorriso,tudo e mais alguma coisa em minha vida fez sentido...Pois só aquele lindo sorriso,foi como o melhor presente que já ganhei em minha vida...O ouro mais puro e valiosa,ao lado daquele lindo sorriso,era ouro de tolo...






Mas antes deu poder dizer alguma palavra,Seth aparece der repente exclamando felicidade em me ver.Eu juro que quase revirei os olhos pelo seu exagero.Pois ele já tinha me visto hoje sedo,e agora parecia agir feito um idiota...Tudo o que veio em minha mente,foi a simples pergunta:”Será que homem fica histérico? Vai lá saber!






Depois da atitude exagerada de Seth,ele ao invés de me apresentar a ela,ele começou a tagarelar e me puxando até a sala de jantar para anunciar que eu estava ali.


Bom,mesmo que eu tivesse chagado numa hora inoportuna,fui bem recebido por Sue e Charlie...E como sempre de costumeira rotina de Sue,ela me convidou para jantar com eles...E felizmente até Charlie insistiu.


Mas durante todo Jantar foi uma grande tortura. Pois já não bastava o desejo de beijá-la assim que eu a vi parada na porta,agora tinha que me segurar para não esquecer onde eu estava,e quem estava a minha volta ,e a agarrá-la e fazer minha.


Quando senti o seu perfume,na hora em que ela colocou o pratos e os talheres que ela se ofereceu em pegá-los para mim,senti as minha calça ficar apertada.Pois o meu amiginho lá em baixo estava a ponto de explodir.


As vezes eu não sabia se era o meu coração que falhava ou era o meu corpo que tremia clamando por ela.Mas ao vê-la permanentemente corar quando os seus olhos encontrava os meus a encarando.Tive a certeza de que era o coração dela falhando igual ao meu.


Ela estava de frente para mim,do outro lado da mesa...A maldita mesa que me separava dela. Por um momento os olhos dela ficaram sem foco...,e tudo o que fiz foi desejar era que eu queria poder saber o que ela estava pensando...,mas foi então que algo me fez ver algo além de seus pensamentos...Pude sentir o cheiro de sua intimidade...,ela estava completamente molhada só para mim.Infernos!Será que realmente era para mim?


Não importa,pois isso foi o que bastou para me fazer perder o controle,e querer jogar aquela mesa que nos separava para longe,e e me deliciasse de todo o teu mel...


Acho que Seth percebeu o que eu estivesse a ponto de fazer,e começou a tagarelar outra vez.Algo sobre um tal vídeo de sei lá sobre o que de coração...Mas eu não estava nem ai para isso,e sim para um só coração que estava a palpitar com trem descarrilhado a minha frente...






Depois que todos jantaram,Seth me obrigou a ir ver o tal vídeo que ele insistira que eu visse.Eu juro que essa palhaçada dele,estava me irritando,e eu não entendia porque ele agia feito um moleque de quinze anos que um dia ele já foi.


Eu me perguntava:O que deu nele? E ele sabia o quanto eu estava ansioso para vê-la,e que seria difícil ficar afastado dela.


Tentando fingir que eu escutava o que ele dizia,eu escutei quando ela pedia a Sue que ela iria terminar de lavar a louça do jantar. E no momento em que vi que ela iria ficar sozinha na cozinha...Tratei de dar um jeito de ir até ela,e poder pelo menos falar com ela...


Seth saiu do quarto para ir pegar algo no quarto do andar de cima,e foi esse o momento que precisei para ir até ela...


Com cuidado,fui até a cozinha,e sem Charlie e Sue que viam TV perceberam a minha passagem...Sabe?Coisa de lobo!






E quando cruzei a saleira da cozinha,não consegui me conter.O cheiro dela,de sua excitação ,estava impreguinado em seu corpo...,e quando dei por mim,ela já estava de frente para mim.E em questão de segundo,nossos lábios estavam prensados um no outro.


Foi um beijo totalmente intenso,apaixonante.Pois suas mãos delicada tocava cada músculo do meu corpo,e puxava mais para perto do corpo dela.Exigindo que se encaixasse um no outro...Eu estava completamente a beira da loucura,pois eu queria possuí-la ali mesmo,mas não podia fazer,porque ela merecia algo muito melhor do que um chão de uma cozinha...Ela merecia o paraíso..., e se dependesse de mim,seria o paraíso que ela iria ter.


Seus lábios,suas mãos,mostravam me o quanto o seu corpo clamava pelo meu.Mas antes que qualquer sanidade fosse tomado por completo pela loucura,a voz de Charlie esbravejou,fazendo que eu e ela nos separássemos imediatamente.






Os olhos de Charlie mostravam indignação.Mas como eu iria explicar aquilo tudo?


Eu até que tentei,mas não consegui.E se talvez ele estivesse calmo,eu tivesse mais calmo,eu poderia dizer a ele que as minhas intenções com a neta dele era as melhores.Mas acho que ele não iria acreditar se eu falasse isso agora...


Mas Porra! Como ele iria acreditar,se ela acabara de flagrar eu dando uns maiores amaços em sua neta em plena cozinha de sua casa?


A minha sorte era que a arma dele estava bem longe de sua mão.Imagine se ele tivesse com ela? Com certeza eu sairia morto,e não para ir a delegacia...


Por sorte foi Sue que me salvou,quer dizer,nos salvou.Dizendo que deixasse essa futura conversa para depois...Pois acho que ela viu que nada iria se resolver se discutisemos com a mente nervosos.


Eu sei que sou um alfa,mas confesso que quase me borrei.Eu sei que Charlie é só um simples humano,mas o meu medo era que algo maior tirasse a oportunidade de conhecê-la,e perdê-la.


***********************


Seth me acompanhou até a porta,depois que eu direcionei um olhar para ela que voltaríamos nos ver...


Quando estava na minha moto,resolvo perguntar de uma vez por todos o que deu no Seth...


-Seth o que deu em você? Porque você agiu como um idiota infantil ?- perguntei o interrompendo no que ele dizia...


Ele me olhou surpreso,mas entendeu o que eu quis dizer.


-Agir como idiota foi o único jeito de não fazer você cometer uma loucura,mas parece que eu perdi foi tempo,porque a loucura já foi feita.- disse ele


Por mais que eu realmente tivesse cometido quase uma loucura,eu não iria deixar barato as atitudes dele.


-Eu não iria fazer uma loucura se você tivesse feito o que disse que iria fazer. QUAL É SETH? Primeiro disse que me ligaria para dizer como ela estava! Segundo;quando eu já estava em sua porta,nem para me apresentar a ela,e Terceiro; você fez de tudo para me manter afastado dela ...E vai dizer por que motivo?Porque a única coisa que me vem a cabeça,é que você está afim dela.Pois eu vi como você a agarrou mais sedo lá no posto...


-MAS VOCÊ FICOU LOUCO? – disse ele num sussurro reprimindo um berro,e não chamar a tenção. – Ela é como um irmã para mim,e nada mais que isso...E ao contrario de você de você que ficou todos estes anos a perseguindo com intuito de matá-la,eu a vi concluir de sua fase pré adolescente para sua fase adulta.E garanto que essa parte só o que surgiu entre nós foi só um a amizade de irmão com irmã. – suspirou – E quer saber tu é uma maior anta! Por que até o papa lá no Vaticano presenciou uma parada cardíaca cada vez que ela olhava para você.E isso não é o suficiente para você ver que ela gosta de você?E quer você?


Quando ele mencionou a parte sobre matá-la senti me encolher,mas ao colocar um detalhe em pauta,acabei percebendo que o acusei injustamente.


-Ta desculpa.É que...é que eu fiquei meio que ... –disse


-Confuso? – terminou ele a minha frase. – Tudo bem cara,pois a confusão é o pré sintoma da idiotice,mas no seu caso a idiotice estava no estagio terminal – disse ele com o seu jeito zombeteiro.


Por mais que eu tenha o ofendido,Seth sempre termina a suas conversas apreensivas com o seu bom humor,fazendo com que até esquecemos do porque de toda a tensão.






E agora eu percebi o qual foi a sua intenção.Fazer com que eu me protegesse de mim mesmo.E como ele disse,acabou sendo em vão.


-Ta legal ...É melhor eu ir. – disse desanimado,pois eu não queria ir e deixá-la sozinha.






- É cara..vai lá.E vê se esfria a cabeça,e amanhã é ouro dia,e com certeza as coisas estarão melhor. – disse Ele






-Será que Charlie estará de bom humor amanhã? E não dará o tiro que ele não me deu hoje? – disse hesitante.


Seth ponderou um segundo e disse.


-Bom...não faço idéia,mas alguém lá dentro está intercedendo por vocês dois. – disse ele apontando para dentro da casa.


Então pude escutar ela pedindo um chance para que fizéssemos o certo e entre outras coisa que argumentava para Charlie aceitar.Ao escutar o seu esforço para que houvesse um oportunidade de nos conhecemos,me fez sentir uma imensa alegria,por ver que ela me quer por perto.


Quando escutei as desculpas que ela deu respondendo de onde nos conhecíamos,tive vontade de rir.Pois era engraçado que a filha da Bella mentia melhor que ela mesma.Ao lembrar desse nome,percebi que não sentia mais dor,só de pensar nela,mas me fez sentir remorso pelo que causei a ela.Se realmente eu tivesse parado,escutado...nada do que aconteceu teria acontecido...E hoje cada um estaria feliz vivendo a sua vida como deveria ser.


-Uau! Essa garota com aquela carinha de anjinho,é maior terrorista emocional que eu já conheci.- disse Seth me tirando do breve devaneio- Agora eu entendo como ela convenceu Edward e Bella de deixarem vir morar aqui. – ele sorriu.






Então resolvi que era hora de ir.


- Seth me faz um favor.e dessa vez vê se cumpri. – pedi


- Sim senhor- respondeu ele sorrindo.


- Olha..eu vou para casa,e assim que você ver que deu um bom resultado a conversa dela com o Charlie,tu me ligar para dizer se está tudo bem.


-Pode deixar. – assentiu ele.


Depois disse fui correndo em minha moto a toda.e em dez minutos já estava adentrando em casa.


Billy já estava dormindo,pois eu já escutava o seu ronco lá da estrada.


Desabei no sofá,e peguei o controle remoto pára ligar a TV ,pois tudo o que eu tinha certeza era que eu não iria conseguir dormir enquanto eu não tivesse noticia de que ela estava bem,ou até depois se eu conseguiria falar com Charlie sem levar um tiro no traseiro.


E foi em meios a esses pensamentos que o toque do telefone,me trouxe de volta a terra.


Não demorei ao atender,pois poderia ser Seth,mas não era .E fiquei surpreso com que era.


Charlie perguntou de forma tranqüila e calma se eu poderia ir em sua casa para conversarmos.É claro que eu não iria perder a oportunidade.E dei a certeza a ele de que estaria logo de manhã lá.


Pelo telefone,eu sentia que ela estava perto...Eu poderia dizer que eu escutava até o som de seu coração...


********************


Na manhã seguinte,já estava de pé logo sedo,pois não consegui dormi a noite inteira...Porque tudo que só pensava e no nosso beijo,no seu cheiro,e que eu queria nesse exato momento está com ela.


Procurei me conter,para eu não ir cometer outra loucura outra vez...E ir até o quarto dela e aquecê-la a noite toda com o calor do meu corpo.Mas eu sabia que não conseguiria me conter,e no final eu realmente sairia dali a base de tiros coso Charlie nos pegasse.Como também tinha o fato de que ele iria nos uma chance,e não iria contar os pais dela...


Sem conseguir engolir nada no café,fui em direção a minha garagem pegar a minha moto.


Ao chegarem frente da casa dos Swan,não hesitei .Desliguei a moto e fui até a porta.


O cheiro dela estava ali,como se ela tivesse acabado de passar por ali.Eu não escutava o som de seu coração dentro da casa,pois o som do dela era diferente dos outros...Então me lembrei de algo que Sue falou ontem antes deu ir embora.Ela iria a escola hoje,para uma tal de dia de caridade.


Ao lembrar isso,não pude deixar de sorrir,pois algo malicioso passou em minha mente.”Pois bem que ela podia fazer uma caridade para mim”.Balancei a cabeça tirando esses pensamentos que estavam fazendo o meu amiguinho lá em baixo ganhar vida.E toquei a campainha.


Não demorou muito,e Charlie quem abriu a porta.


-Jacob...tão sedo! Eu esperava que viesse um pouco maios tarde. – disse Charlie surpreso.


-Bem...eu achei que queria fala logo sedo...,mas se quiser eu volto outra hora...


-Não nada disso.Vamos!Entre. – disse ele me interrompendo – Pelo menos não haverá ninguém para nos interromper.Seth foi com Sue na feira em Port Angeles, e Renesme um poço de ansiedade foi na escola.Então sobrou eu.- dizia ele enquanto eu entrava e o seguia até a sala.


-Então.Senti se – apontou ele para o sofá.


Sentei me e encontrei o olhar dele serio em minha direção.Mas antes que eu pudesse falar,ele já estava falando.






-Bom,Jacob...Não vou ficar de rodeios – pousou ele cruzando os braços no peito,e se encostando de forma ereta na poltrona a minha frente.- Me diz...o que você quer realmente com a minha neta?


-Ah...Charlie primeiramente eu quero me desculpar por ter a beijado daquela forma na ...


-Segundo ela,ela também o beijou- disse ele complementando.A face dele parecia um tomate vermelho,de tanta vergonha ao esta assumindo isso de sua própria neta.Então ignorei e continuei a falar.


-Certo. É...com relação as minhas intenções,são as mis sinceras e boas.Eu não vou a tratá-la como um qualquer.Eu quero a conhecê-la...e ver aonde vai dar – disse,mas na minha mente o meu desejo era poder tomá-la par mim imediatamente,e nunca mais deixá-la sair de perto de mim.


- Eu acredito em você.Mas eu não entendo o que você quer com ela,sendo que há varias moças de sua idade que poderão ser o que você precisa que elas sejam para você,e te oferecer algo que ela não pode te oferecer.- pausou ele. – Jacob ela pode ter um corpo de uma mulher,mas ela só é uma garota,inexperiente e foi educada de forma protetora pelos pais...bom...,não falo tanto por Bella,mas pelos outros da família...






-Charlie eu entendo onde queira chegar,mas eu não quero uma mulher para me satisfazer somente sexualmente...e não pé isso que eu procuro em sua neta...E eu acho que com o tempo irei descobrir se ela tem tudo o que eu preciso.E com relação a ela ser um garota,e pelo pouco que conheci dela,ela é uma pessoa segura de si...E isso não é algo que uma garota de sua idade é,e sim uma mulher. – disse cautelosamente,mas na verdade,eu sabia que ela era a pessoa que me daria tudo que precisasse,e seria também,pois ela nasceu para mim,foi feita para mim ,destinada para mim.


- E se ela não for o que você precisa,e que seja? Eu quero que você entenda que eu não quero que ela sofra,e no final ela ter que suportar se trocada por alguém que superou as suas expectativas Jack. – disse ele.


- Charlie eu sou homem o suficiente para agir de forma correta.E garanto a você se algo mudar,antes que eu a faça sofrer,eu serei justo e digno para romper tudo sem a mogoa-la.- disse.Mas eu sabia que esse dia nunca chegaria,pois só iria existir ela,e mais ninguém...Pois agora só que existe para mim somente ela.


-Tudo bem.Mas só vou te dizer uma coisa.Ela esta sob a minha responsabilidade,e se algo acontecer com ela,você terá de enfrentar a mim,fora a fúria dos Cullen que terá de enfrentar.


“Bem,dessa parte eu já sabia que teria que enfrentar,sedo ou tarde.Pois eu fico já até posso imaginar qual será a reação de todos quando souberem que eu,justo eu tive um imprinting com Renesmee. Bella eu não imagino,pois ela é bem imprevisível,mas Edward,esse sim vai querer me esfolar vivo.Mas até lá,vou curtir o amor da minha linda mestiça.Ironia não?”


-Pode ficar tranqüilo Charlie...Não farei nade que você se arrependa de ter deixado eu namorar com ela. – garanti.


-Namoro né...?- suspirou ele. – Pois acho que terei de partilhar da mesma guilhotina quando eles souberem que permiti esse namoro.


-Não se preocupe.Eu defendo o senhor. – garanti sorrindo.


Charlie revirou os olhos,e disse...


-É...acho que assim já me sinto mais seguro- zombou ele – Bem.Então tenha a minha permissão,e benção .


-Muito obrigado Charlie,e garanto que o senhor não vai se arrepender.- disse


-Assim espero rapaz- disse ele.


-Bom...é...acho que já vou indo- disse já me levantando- É Charlie...


- Sim? – respondeu ele


- Bom é que o senhor disse que Renesmee foi a escola,e eu queria saber onde ela estuda...Pois eu gostaria de ir buscá-la e fazer lhe uma surpresa .


Charlie me olhou com uma sobrancelha erguida e disse.


- Surpresa...?- disse


-É! – só o que falei


-Ok! Vou te explicar com chaga lá...Mas vê lá o que você vai aprontar com ela no caminho. – disse ele.


-Bem...se não for nenhum problema ,eu gostaria de levá-la para almoçar de depois passear conversamos um pouco.Se me permitir.- disse


- Sei! Então ta.Por mim tudo bem.Só não a traga muito tarde – pediu ele.


-Pode deixar.Antes das seis estaremos de volta. – prometi.E é claro que iria cumprir.E não iria vacilar de cara,já, que durão do Charlie me deu permissão de namorar sua neta.Neta...Será que ele realmente sabia que era a sua neta de verdade?Bem,isso eu procuro saber depois,mas o que eu mais queria agora era ver a minha Nessie.Bem..,tomara que ela não se incomoda deu chamá-la assim,pois o seu nome é muito cumprido.






Depois que Charlie,me explicou onde era escola que ela estuda,fui direto para lá e doido para vê-la...


O caminho foi tranqüilo até lá...e foi fácil de achar a sua escola,pois as vezes que vinha para essas bandas eu passava em frente de vê em quando.


Era um escola grande e bonita,e na cara que era uma escola de granfino.E pelo que eu conhecia dos Cullen isso só podia ter sido idéia do Edward...


Epa! Espera ai! EDWARD? Já é a segunda vez em pensamentos que o chamo pelo nome e não de sanguessuga fedorento. Ah! Quer saber? Foda-se ! Já foi.


Mas a verdade,é que realmente a idéia de matricular Nessie nessa escola foi dele,com suas embromações de conceçõe.E bom...m até Bella caiu nessa.


Fiquei uns quinze minutos encostado na moto olhando para a entrada da escola.Na frente havia varias garotas e alguns garotos conversando ,e alguns deles me olhavam sem parar,mas principalmente as garotas com coxixos e sorrisinhos direcionados para mim.Mas não estava nem ai para elas,pois a única pessoa que me interessava estava acabando de sair acompanhada de uma amiga.


Ela estava linda,com um acalca jeans escura ,uma blusa obviamente de alça com um casaco cobrindo a parte nua de seus ombros.


Ao vê-la o meu sorriso foi de orelha a orelha.


“Para o mundo que eu quero descer...Mas que visão do paraíso é aquela...?Ai eu quero um desse pra mim...”- disse a amiga de Nessie que estava ao seu lado,me encarando de boca aberta.


Nesse momento foi quando ela virou em minha direção,encontrando o meu olhar.E o seu sorriso iluminou tanto quando o meu.


“Segue o teu caminho,e ponha um óculos,que aquele ali já tem dona. – disse Nessie”


Sim,ela estava certa,pois o coração desse lobo já tem dona.


“Então vai lá,toma o que é teu,e seja feliz amiga.Enquanto eu fico chupando dedo”- disse a amiga dela


Nessie assentiu sorrindo para a sua amiga,sem tirar os seus olhos dos meus...E veio em minha direção,mas linda do que nunca...


CONTINUA......


Bem,como sempre está ai o tema do cap...Bom gente pode ser que vcs achem que não tem nada haver a musica com o cap.Mas é que eu vi no blog de uma amiga minha,e quis colocá-lo como tema deste cap,pois eu não sabia qual musica coloca,pois travei totalmente.Ah mas eu melhorei um pouco.Agora



ai que vem a novidade...Sabe quem é que está cantando? Nada mais nada menos de que o nosso GOSTOSO E APETITOSO Taylor Lautner.Sim,é ele mesmo.DesfruteBeM,como sempre este é o tema do cap 8...Tá eu sei que quando vcs escutarem vão achar que não tem nada haver,mas é que eu visitei um blog de uma amiga,é amei...Só que m amores e babem.Bjs e Ah! não esqueçam...só irei postar o proximo cap de Destinados na quinta ou sexat que vem
                             ***BY:Lu Fanfics***
obs:amiga minha sou eu(rsrsr)

0 comentários:

Postar um comentário

Comente,critique,elogie e de as suas sugestões,mais sem ofensas ok?Que eu sou muito sensível rsrsrs.

Seguidores

Instagram

Neces In Love Story Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados